MOTETOS SECULARES SOBRE A ENEIDA DE VIRGÍLIO

O HEXÂMETRO DACTÍLICO EM ARRANJOS DE “DULCESEXUVIAE” NO SÉC. XVI

  • Fernando Cardoso Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho. Instituto de Artes
Palavras-chave: Moteto secular, Hexâmetro datílico, Dulces exuviae, Isaac, Celtis

Resumo

O moteto latino secular, que no século XV desenvolveu-se a partir de temáticas cotidianas, assume uma temática humanista a partir do século XVI, difundida principalmente por Conrad Celtisno norte da Europa, com base em obras líricas de autores gregos e romanos arranjadas segundo padrões métricos que não se adequam às métricas convencionais da polifonia. Compositores como Senfl e Hofhaimer representam o apogeu desta escrita que contemplava especialmente os Épodos de Horácio; outros textos, como os versos da Eneida de Virgílio, seriam também arranjados em modelos típicos do moteto sacro, mas provavelmente sob influência dos arranjos métricos de Isaac ao final do século XV; um destes textos, “Dulces exuviae”, ganha não menos que dezoito arranjos ao longo do século XVI. A análise destes arranjos aponta para um maior compromisso com o hexâmetro datílico quando a textura tende à homofonia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-10-21
Como Citar
Cardoso, F. (2018). MOTETOS SECULARES SOBRE A ENEIDA DE VIRGÍLIO. Revista Música, 18(especial), 31-48. https://doi.org/10.11606/rm.v18iespecial.151027