A PRONUNTIATIO EM MÚSICA

RELAÇÕES ENTRE FRIEDRICH WILHELM MARPURG E JOHANN M. MEYFART

  • Stéphano Paschoal Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: Retórica, Pronuntiatio, música

Resumo

Este trabalho mostra as aproximações entre Retórica e Música, partindo de trechos da obra Teutsche Rhetorica oder Redekunst (1634) de Johann Matthäus Meyfart e das obras Des critischen Musicus an der Spree (1750) e Die Kunst das Clavier zu spielen (1762), de Friedrich Wilhelm Marpurg. As aproximações de que tratamos aqui dizem respeito à actio ou pronuntiatio, considerada a quinta parte da Retórica, segundo sua divisão clássica. Por serem as retóricas renascentistas (à época de Meyfart, por exemplo) retóricas literárias, é comum não haver nenhuma parte dedicada exclusivamente à pronuntiatio. A Teutsche Rhetorica oder Redekunst é, nesse caso, uma exceção. A aproximação entre Retórica e Música, ocorrida, primeiramente, como consequência da reforma curricular das Lateinschulen alemãs, proposta por Martinho Lutero, fez com que a Música passasse a ser descrita e analisada em termos retóricos. Em Música, a pronuntiatio encontra-se marcada no âmbito do musikalischer Vortrag, em que são dadas regras de boa execução do “discurso” musical. Buscamos aqui comparar as regras e aconselhamentos aos oradores no ato de ser proferido o discurso, e aquelas dadas aos intérpretes, ao tocar ou cantar. Com a comparação de excertos, será possível perceber a aproximação e semelhança de modos de proceder do orador e do intérprete.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-10-21
Como Citar
Paschoal, S. (2018). A PRONUNTIATIO EM MÚSICA. Revista Música, 18(especial), 93-108. https://doi.org/10.11606/rm.v18iespecial.151084