Musicoterapia no atendimento domiciliar: avaliações para saúde e bem-estar de idosos

Autores

  • Rafaela Santos Soares Pesquisadora independente
  • Marina Horta Freire Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Música

DOI:

https://doi.org/10.11606/rm.v21i1.185765

Palavras-chave:

Musicoterapia, Idosos, Atendimento domiciliar, Avaliação

Resumo

Este artigo apresenta os resultados iniciais de pesquisa na área de Musicoterapia, realizadas com idosos em atendimento domiciliar. Visando observar os possíveis benefícios da Musicoterapia, participaram 33 idosos que recebiam atendimento da instituição parceira, divididos aleatoriamente em grupo Intervenção e Controle. Os idosos do grupo Intervenção participaram de programa de 10 sessões musicoterapêuticas no intervalo de 21 semanas e tiveram apoio de vídeos complementares com material pensado individualmente. Os idosos do grupo Controle receberam seus cuidados habituais sem as sessões musicoterapêuticas nem os vídeos de apoio. As avaliação inicial e final foram feitas de forma cega por meio de material audiovisual gravado, utilizando a escala SEMPA (INGELMO, 2012) para avaliar as dimensões psicomotora, perceptivo-cognitiva, comunicacional e socioemocional dos participantes. Os resultados demonstraram que as avaliações iniciais sempre foram melhores que as finais em ambos os grupos designados. Futuras análises, com outras escalas, serão feitas para a continuação desta pesquisa e verificação dos resultados iniciais.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafaela Santos Soares, Pesquisadora independente

Rafaela Soares é graduada em Música com habilitação em Musicoterapia (2019) pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Participou de cursos de formação introdutória em Musicoterapia Analítica (Brian Abrams - Centro Biomédico da Música) e Musicoterapia Focal Obstétrica (Gabriel Federico - Centro Biomédico da Música).

Marina Horta Freire, Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Música

Marina Freire é musicoterapeuta, Professora Adjunta do curso de Musicoterapia (Bacharelado em Música, habilitação Musicoterapia) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Doutora em Música pela UFMG (2019), mestra em Neurociências pela UFMG (2014); bacharela em Musicoterapia pela Universidade de Ribeirão Preto (2007); trainee na Abordagem Nordoff-Robbins de Musicoterapia pela Universidade de Nova York (2018-cursando).

Referências

BARCELLOS, Lia Rejane Mendes. Diálogo entre as novas práticas da musicoterapia e os cursos de formação de musicoterapeutas. In: DREHER, S. C.; MAYER, G. C. T. A Clínica na Musicoterapia: avanços e perspectivas. São Leopoldo: EST, 2014. p. 61-75.

CEBA, Maria del Mar Ordõno; Aida Fernández Barón, Vanesa Fernández Rodríguez. Beneficios de la musicoterapia en ancianos con demencia. Pérez-Fuentes, Maria del Carmen Cuidados, aspectos psicológicos y actividad física en relación con la salud Volumen II. 2016. Capítulo 52. p. 355-360

COLL, Orion Casals. Música, Reminiscencia y Envejecimiento Activo. In: Congreso Nacional de Musicoterapia. 5º ed. 2014. Barcelona. Orquestrando la Musicoterapia. P. 137-138.

INGELMO, Maria Elena González (Org.). SEMPA: Sistema de Evaluación Musicoterapéutica para Personas con Alzheimer y otras Demencias. 1º ed. Madrid: Ministerio de Sanidad, Servicios Sociales e Igualdad. 2012. NIPO: 686-12-011-0

KARST, Lara T. A musicoterapia na assistência domiciliar aos cuidadores da criança em cuidados paliativos oncológicos. Goiânia, 2015. 141f. Dissertação (Mestrado em Música) - Universidade Federal de Goiás, Escola de Música e Artes Cênicas (Emac), Programa de Pós-Graduação em Música, Goiânia, 2015.

MARQUES, Daiane Pazzini. A importância da musicoterapia para o envelhecimento ativo. Revista Portal de Divulgação. Vol. 15. P. 18-24. 2011

PINHEIRO, Y.; REIS, M.; MIRANDA, C.; BARBOSA, S.; FREIRE, M. Musicoterapia na assistência domiciliar a idosos. Revista Brasileira de Musicoterapia, ano XIX, ed. especial, p.266-269, 2017.

SEQUERA-MARTÍN, et al. Musicoterapia en la demencia del paciente anciano: fundamentos, aplicaciones y evidencia científica actual. Psicogeriatría, Espanha, v. 5, p. 93-100, 2015.

ZMITROWICZAB, J.; MOURA, R. Instrumento de avaliação em Musicoterapia: uma revisão. Revista Brasileira de Musicoterapia, v. XX, n. 24, p. 114–135, 2018.

Downloads

Publicado

2021-07-27

Como Citar

Soares, R. S., & Freire, M. H. . (2021). Musicoterapia no atendimento domiciliar: avaliações para saúde e bem-estar de idosos. Revista Música, 21(1), 407-420. https://doi.org/10.11606/rm.v21i1.185765