First approaches to the Araçá archaeological-palaeontological site, municipality of Corrente, southernmost Piauí

  • Keyla Maria Ribeiro Frazão Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá
  • Juan Carlos Cisneros Universidade Federal do Piauí
  • Abrahão Sanderson Nunes Fernandes da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Keywords: Geology, Lithic tools, Megafauna, Pleistocene-Holocene transition, Regional sampling

Abstract

This article aims to provide preliminary analyses and suggest the construction of a predictive model for archaeology in southernmost Piauí State, taking into account the geoenvironmental features of the region and a paleontological and archaeological site in the municipality of Corrente, Piauí. The study area features silicified sandstone and conspicuous lithic artifacts, mostly produced from this raw material, in addition to fossil remains of Eremotherium laurillardi, a mammal species typical from the American end-Pleistocene. It is thought that the presence of lithic instruments is linked to the availability of the prime matter, thus, a predictive model considering this pattern predicts the probability of archaeological resources in other areas that expose sedimentary layers bearing silicified sandstone. Although the presence of lithic artifacts in the fossil area has been observed, detailed stratigraphic and paleoenvironmental analyzes of the outcrop as well as dating of the evidence will be necessary to better understand the relationship between humans and megafauna at this site.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Keyla Maria Ribeiro Frazão, Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá

Arqueóloga, Núcleo de Arqueologia do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá.

Juan Carlos Cisneros, Universidade Federal do Piauí

Docente do Departamento de Arqueologia, Universidade Federal do Piauí.

Abrahão Sanderson Nunes Fernandes da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Docente do Departamento de História, Centro de Ensino da Região Seridó, Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

References

Aguiar, R.B.; Gomes, J.R.C. (Orgs.). 2004a. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Avelino Lopes. CPRM, Fortaleza.

Aguiar, R.B.; Gomes, J.R.C. (Orgs.). 2004b. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Corrente. CPRM, Fortaleza.

Aguiar, R.B.; Gomes, J.R.C. (Orgs.). 2004c. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Cristalândia do Piauí. CPRM, Fortaleza.

Aguiar, R.B.; Gomes, J.R.C. (Orgs.). 2004d. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Curimatá. CPRM, Fortaleza.

Aguiar, R.B.; Gomes, J.R.C. (Orgs.). 2004e. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Júlio Borges. CPRM, Fortaleza.

Aguiar, R.B.; Gomes, J.R.C. (Orgs.). 2004f. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Morro Cabeça no Tempo. CPRM, Fortaleza.

Aguiar, R.B.; Gomes, J.R.C. (Orgs.). 2004g. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Parnaguá. CPRM, Fortaleza.

Aguiar, R.B.; Gomes, J.R.C. (Orgs.). 2004h. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Riacho Frio. CPRM, Fortaleza.

Aguiar, R.B.; Gomes, J.R.C. (Orgs.). 2004i. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Sebastião Barros. CPRM, Fortaleza.

Aires da Fonseca, J. 2013. Levantamento regional na arqueologia amazônica: o uso de sistema de informação geográfica e sensoriamento remoto. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: Ciências Humanas 8: 675-690.

Aires da Fonseca, J. 2016. Aspectos teóricos e metodológicos no uso de modelos arqueológicos preditivos: uma abordagem na Amazônia brasileira. In: Magalhães, M.P. (Org.). Amazônia antropogênica. Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, 177 198.

Aires da Fonseca, J. 2018. Padrões de distribuição espacial e modelos preditivos: os sítios arqueológicos no baixo curso dos rios Nhamundá e Trombetas. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: Ciências Humanas 13: 353 376.

Andrade Jr., A.S.A. et al. 2004a. Atlas climatológico do estado do Piauí. Embrapa Meio Norte, Teresina.

Andrade Jr., A.S.A. et al. 2004b. Classificação climática do estado do Piauí. Embrapa Meio Norte, Teresina.

Araujo, A.G.M. 1992. As propriedades físicas dos arenitos silicificados e suas implicações na aptidão ao lascamento. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 2: 63-74.

Araujo, A.G.M. 1999. As geociências e suas implicações em teoria e métodos arqueológicos. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 3: 35 45.

Araujo, A.G.M. 2001. Teoria e método em arqueologia regional: um estudo de caso no Alto Paranapanema, estado de São Paulo. Tese de doutorado. Universidade de São Paulo, São Paulo.

Bélo, P.S.; Oliveira, É.V. 2013. Análise tafonômica de marcas em restos esqueletais de Hippidion, sítio Toca da Janela da Barra do Antonião, Piauí, Brasil. Estudos geológicos 23: 59 79.

Binford, L.R. 1972. The new archaeology: an American archaeologist gives his own opinion. The Listener 87: 174 176.

Binford, L. 2001. Where do research problems come from? American Antiquity 66: 669 678.

Bitencourt, A.L.V. 2008. Princípios, métodos e algumas aplicações da geoarqueologia. In: Rubin, J.C.R.; Silva, R.T. (Orgs.). Geoarqueologia: teoria e prática. Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 41 70.

Borrero, L.A. 2009. The elusive evidence: the archaeological record of the South American extinct megafauna. In: Haynes, G. (Ed.). American megafaunal extinctions at the end of the Pleistocene. Springer, New York, 145 168.

Campos, J.E.G.; Dardenne, M.A. 1997. Origem e evolução tectônica da Bacia Sanfranciscana. Revista Brasileira de Geociências 27: 283 294.

Castro, A.A.J.F. 2007. Unidades de Planejamento: uma proposta para o estado do Piauí com base na dimensão diversidade de ecossistemas. Publicações Avulsas em Conservação de Ecossistemas 18: 1 28.

CPRM – Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais. 2006. Mapa geológico do estado do Piauí. Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, Teresina.

Crawford, O.S.G. 1912. The distribution of early Bronze Age settlements in Britain. Geographical Journal 40: 184 203.

Crawford, O.S.G. 1922. Prehistoric geography. Geographical Review 12: 257 263.

Criado Boado, F. 1999. Capa 6: criterios y convenciones en arqueología del paisaje: del terreno al espacio: planteamientos y perspectivas para la arqueología del paisaje. Grupo de Investigación en Arqueología del Paisaje, Santiago de Compostela.

Dantas, M.A.T. 2012. Contribuição ao conhecimento da megafauna pleistocênica da Região Intertropical brasileira. Tese de doutorado. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

Dantas, M.A.T. et al. 2012. An anthropogenic modification in an Eremotherium tooth from northeastern Brazil. Quaternary International 253: 107 109.

Dantas, M.A.T. et al. 2014. Dated evidence of the interaction between humans and megafauna in the late Pleistocene of Sergipe state, northeastern Brazil. Quaternary International 352: 197 199.

Fariña, R.A. et al. 2013. Arroyo del Vizcaíno, Uruguay: a fossil rich 30 ka old megafaunal locality with cut marked bones. Proceedings of the Royal Society B 281: 1 6.

Felice, G.D. 2006. Contribuição para estudos geoarqueológicos e paleoambientais: proposta metodológica (estudo de caso: Maciço Calcário do Garrincho, Piauí, Brasil). Tese de doutorado. Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Ferreira, R.V.; Dantas, M.E. 2010. Relevo. In: Pfaltzgraff, P.A.S.; Torres, F.S.M.; Brandão, R.L. (Orgs.). Geodiversidade do estado do Piauí. CPRM, Recife, 47 64.

Fogaça, E.; Lourdeau, A. 2008. Uma abordagem tecno funcional e evolutiva dos instrumentos plano convexos (lesmas) da transição Pleistoceno/Holoceno no Brasil central. Revista FUMDHAMentos 7: 261 347.

Fonseca Jr., J.A.A. 2013. Levantamento regional na arqueologia amazônica: o uso de sistema de informação geográfica e sensoriamento remoto. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: Ciências Humanas 8: 675 690.

Frazão, K.M.R. 2015. Estudo preliminar de um sítio arqueológico e paleontológico, município de Corrente, extremo sul do Piauí, e proposta de um modelo preditivo. Trabalho de conclusão de curso. Universidade Federal do Piauí, Teresina.

Frazão, K.M.R. 2018. Sítio Arqueológico-Paleontológico Araçá, município de Corrente (PI): contexto geoarqueológico e paleodeposicional. Dissertação de mestrado. Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Funari, P.P.A. 1988. Arqueologia. Ática, São Paulo.

Gamble, C. 2008. Archaeology: the basics. 2. ed. Routledge, New York.

Greene, K. 2003. Archaeology: an introduction. Taylor & Francis, London.

Guérin, C. et al. 2002. Toca da Janela da Barra do Antonião, São Raimundo Nonato, Piauí: rica fauna pleistocênica e registro da pré história brasileira. Sigep 69: 131 137.

Guidon, M.S. et al. 2003. A revised chronology of the lowest occupation layer of Pedra Furada Rock Shelter, Piauı́, Brazil: the Pleistocene peopling of the Americas. Quaternary Science Reviews 22: 2303-2310.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2002. Mapa de clima do Brasil. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Rio de Janeiro.

Jacomine, P.K.T. et al. 1986. Levantamento exploratório: reconhecimento de solos do estado do Piauí. Embrapa, Rio de Janeiro.

Jochim, M.A. 1976. Hunter-gatherer subsistence and settlement: a predictive model. Academic Press, New York.

Kipnis, R. 1997. Uso de modelos preditivos para diagnosticar recursos arqueológicos em áreas a serem afetadas por empreendimentos de impacto ambiental. In: Caldarelli, S.B. (Org.). Atas do Simpósio sobre Política Nacional do Meio Ambiente e Patrimônio Cultura, Fórum Interdisciplinar para o Avanço da Arqueologia. IGPA UCG, Goiânia, 34 40.

Kohler, T.A. 1988. Predictive locational modelling: history and current practice. In: Judge, W.; Sebastian, L. (Eds.). Quantifying the present and predicting the past. Government Printing Office, Washington, 19 60.

Lima, E.A.M.; Brandão, R.L. 2010. Geologia. In: Pfaltzgraff, P.A.S.; Torres, F.S.M.; Brandão, R.L. (Org.). Geodiversidade do estado do Piauí. CPRM, Recife, 17 24.

Lima, I.M.M.F. 1987. Relevo piauiense: uma proposta de classificação. Carta Cepro 12: 55 84.

Lourdeau, A. 2006. A pertinência de uma abordagem tecnológica para o estudo do povoamento pré histórico do Planalto Central do Brasil. Habitus 4: 685 710.

Mabessone, J.M. 2002. História geológica da província Borborema (NE Brasil). Revista de Geologia 15: 119 129.

Marques, M.; Hilbert, K. 2009. A tradição (arqueológica) itaparica: a materialidade textual e a semantização dos objetos. Revista Trajetos 7: 68 80.

MMA – Ministério do Meio Ambiente. 2006. Caderno da região hidrográfica do Parnaíba. MMA, Brasília.

Morais, J.L. 1999. Perspectivas geoambientais da arqueologia do Paranapanema paulista. Tese de doutorado. Universidade de São Paulo, São Paulo.

Neves, W.A; Piló, L.B. 2008. O povo de Luzia: em busca dos primeiros americanos. Globo Editora, São Paulo.

Oliveira L.S. 2017. Um ateliê no extremo sul piauiense: uma abordagem inclusiva da produção lítica no município de Corrente, Piauí. Dissertação de mestrado. Universidade Federal do Piauí, Teresina.

Perez, G.C; Afonso, M.C.; Mota, L.T. 2018. Métodos de análise espacial para sítios arqueológicos: um modelo preditivo para o estado de São Paulo. Cadernos do Lepaarq 15: 98-120.

Periman, R.D. 2005. Modeling landscapes and past vegetation patterns of New Mexico’s Rio del Oso Valley. Geoarchaeology 20: 193 210.

Pilgram, T. 1987. Predicting Archaeological Sites from Environmental Variables. BAR publishing, Oxford.

Plog, S.; Hegmon, M. 1993. The sample richness relation: the relevance of research questions, sampling strategies, and behavioral variation. American Antiquity 58: 489 496.

Prous, A. 1992. Arqueologia brasileira. UnB, Brasília.

Prous, A. 1997. O povoamento da América visto do Brasil: uma perspectiva crítica. Revista USP 34: 8 21.

Prous, A.; Ribeiro, L. 2010. As pesquisas de arte rupestre no Brasil. In: Anais do 14º Congresso Internacional da Ifrao, 2010, Piauí.

Rapp, G.R.; Hill, C.L. 2006. Geoarchaeology: the Earth science approach to archaeological interpretation. 2. ed. Yale University Press, New Haven.

Redman, C.L. 1973. Multistage fieldwork and analytical techniques. American Antiquity 38: 61 79.

Santos, M.E.C.M.; Carvalho, M.S.S. 2004. Paleontologia das bacias do Parnaíba, Grajaú e São Luís: reconstituições paleobiológicas. 2. ed. CPRM, Rio de Janeiro.

Santos Jr., V.; Porpino, K.O.; Silva, A.S.N.F. 2008. A megafauna extinta e os artefatos culturais de um tanque natural na região central do Rio Grande do Norte. Contexto 3: 176 193.

Schmitz, P.I. 1980. A evolução da cultura no sudoeste de Goiás, Brasil. Pesquisas: série Antropologia 31: 185 225.

Schmitz, P.I.; Novasco, R.V. 2011. Arqueologia no planalto: o uso do SIG na aplicação de análises espaciais dos sítios arqueológicos da localidade Boa Parada, Município de São José do Cerrito, SC. Museu de Arqueologia e Etnologia 21: 167 183.

Silva, J.C. 2003. Arqueologia no médio São Francisco: indígenas, vaqueiros e missionários. Tese de Doutorado. Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Trigger, B.G. 2004. História do pensamento arqueológico. São Paulo: Odysseus.

Tsuchiya, Í. et al. 2002a. Utilização de regressão logística para avaliação de prováveis áreas de ocupações pretéritas. In: Anais do 2º Simpósio Brasileiro de Geomática, 2002, São Paulo, 565 573.

Tsuchiya, Í. et al. 2002b. Visualização cartográfica como ferramenta de suporte à implementação de um modelo preditivo em arqueologia: um estudo de caso. In: Anais do 2º Simpósio Brasileiro de Geomática, 2002, São Paulo, 574 584.

Warren, R.E. 1990. Predictive modelling in archaeology: a primer. In: Allen, K.M.S.; Green, S.W.; Zubrow, E.B.W. (Eds.). Interpreting space: GIS and archaeology. Taylor & Francis, London, 90 111.

White, T.D.; Folkens, P.A. 2005. The human bone manual. Elsevier Academic Press, San Diego.

Published
2018-10-09
How to Cite
Frazão, K., Cisneros, J., & Silva, A. (2018). First approaches to the Araçá archaeological-palaeontological site, municipality of Corrente, southernmost Piauí. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (30), 84-103. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2018.116492
Section
Articles