Igreja Matriz de São Raimundo Nonato-PI: Uma análise a partir da Arqueologia da Arquitetura

Autores

  • Ana Raquel Neves Maia Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Alencar de Miranda Amaral Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2020.162413

Palavras-chave:

Arqueologia da Arquitetura, Igreja, Estilo colonial, Arqueologia da paisagem, Arqueologia histórica

Resumo

O presente trabalho analisou a Igreja Matriz de São Raimundo Nonato-PIuma pelo viés da Arqueologia da Arquitetura por tratar-se de uma edificação de grande valor histórico para a cidade e uma das construções mais antigas da região. Foi edificada em 1876, data anterior a própria emancipação da cidade, que ocorreu em 1912. O foco principal deste trabalho foi identificar, analisar e descrever as características arquitetônicas e construtivas presentes na estrutura externa da Igreja, ou seja, a fachada. A arqueologia da Arquitetura e Histórica nos deram o embasamento teórico e metodológico necessário para analisar essas características, e por meio dos apontamentos da bibliografia especializada comparativamente identificar que a mesma se correlacionava aos modelos arquitetônicos vigentes no período colonial. Partindo desses pressupostos foi possível elencar 22 características arquitetônicas e construtivas coloniais na fachada da Igreja Matriz além de corroborar sua adequação ao estilo arquitetônico denominado Chã/chão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Albernaz, M.P.; Lima, C.M. 1998a. Dicionário Ilustrado de Arquitetura. Volume I-A a I. Proeditores, São Paulo.

Albernaz, M.P.; Lima, C.M. 1998b. Dicionário Ilustrado de Arquitetura. Volume II-J a Z. Proeditores, São Paulo.

Almeida Neta, M.F.; Kestering, C. 2013. Os rituais do morro do cruzeiro: atributos da identidade Sanraimundense. In: Kestering, C. (Org.). Anais Escavando a história de São Raimundo Nonato-PI. Univasf, São Raimundo Nonato, 257-286.

Aquino, K.P.N.; Santos, R.S. 2014. Cemitério Nossa Senhora de Lourdes: lugar de memória da cidade de São Raimundo Nonato-PI. In: Kestering, C. (Org.). Anais Escavando história: São Raimundo Nonato além dos cem anos: III exposição II ciclo de palestras. Univasf, São Raimundo Nonato, 2014, 36-46.

Arraes, E. 2014. Entre reses e almas: questões sobre urbanização, arquitetura e arte das missões jesuíticas dos sertões das capitanias do Norte. Pós 21: 84-100.

Brazon, M. 2012. Aproximação a historiografia da arquitetura colonial brasileira as ideias de John Bury. Da Pesquisa 7: 190-205.

Bury, J. 2006. Arquitetura e arte no Brasil Colonial. Iphan: Monumenta, Brasília.

Carvalho, M.A. et al. 2016. 140 anos de um patrimônio edificado: Igreja Catedral de São Raimundo Nonato – Piauí (1874-1876). In: Kestering, C. (Org.). Anais Escavando história: São Raimundo Nonato além dos cem anos: V exposição IV ciclo de palestras. Univasf, São Raimundo Nonato, 81-87.

Cavalcante, F.J.P. 2008. Pe. Henrique José Cavalcante: o mestre da caridade. Petrolina, [s. n.].

Cavalcanti Filho, I. 2013. Documentando a arquitetura religiosa no Brasil colonial: a linguagem expressa na iconografia azulejar dos conventos franciscanos no Nordeste. In: Anais do 3º Seminário ibero-americano: Arquitetura e documentação, 2013, Belo Horizonte.

Costa, L. 1952. Arquitetura brasileira. Ministério da Educação e Saúde, Rio de Janeiro.

Costa, L. 2010. A arquitetura dos jesuítas no Brasil. ARS 8: 127-195.

Cruz: suas formas e significados. 2018. Disponível em: <https://bit.ly/30cJJht> Acesso em: 10/08/2018.

Dias, W.P. 2001. São Raimundo Nonato: de distrito freguesia a vila. Teresina, [s.n.].

Gomes, J.N. 2015. As festividades do padroeiro em São Raimundo Nonato-Piauí (2000-2014). Trabalho de conclusão de curso. Universidade Estadual do Piauí, São Raimundo Nonato.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017. Pilão Arcado – História & Fotos. Disponível em: <https://bit.ly/33gITlE>. Acesso em: 10/09/2019.

Instituto Oswaldo Cruz. 2019. Expedições cientificas do Instituto Oswaldo Cruz ao Nordeste do Brasil – Parte I. Disponível em: <https://bit.ly/2CTGAdS> acesso em: 01/09/2019.

Kestering, C. (Org.). 2013. Escavando a história de São Raimundo Nonato-Pi. Univasf, Petrolina.

Loewen, A.B. 2011. Estilo desornamentado, arquitetura-chã: alguns aspectos do renascimento na Península Ibérica. Pós 18: 56-69.

Mayer, V.F. 2003. Aspectos gerais da arquitetura religiosa colonial baiana. Arqtexto 3: 144-153. Disponível em: <https://bit.ly/2CUMj37>. Acesso em: 30/07/2018.

Najjar, R. 2002. Manual de arqueologia histórica em projetos de restauração. Iphan, Rio de Janeiro. Disponível em: <https://bit.ly/30ekFGM>. Acesso em: 10/03/2018.

Najjar, R. 2011. Para além dos cacos: a Arqueologia Histórica a partir de três superartefatos (estudo de caso de três igrejas jesuíticas). Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas 6: 71-91.

Pereira, S.G. 2005. A historiografia da arquitetura brasileira no século XIX e os conceitos de estilo e tipologia. Estudos Ibero-Americanos 31: 143-154.

Piauí. Fundação Cultural do Piauí. Coordenação de registro e conservação. 2012. Cadastro das edificações de valor histórico e arquitetônico de São Raimundo Nonato-PI. Fundac, Teresina.

Pinheiro, M.L.B. 2013. Repercussão das ideias de Ricardo Severo e Raulino no debate arquitetônico dos anos de 1920 no Brasil. In: Fernandes, J.M.; Pinheiro, M.L.B. (Coords.). Portugal, Brasil, África: urbanismo e arquitetura – do ecletismo ao modernismo. Caleidoscópio, Casal de Cambra, 47-67.

Pires, T.A.P. 2008. Padre Antônio Joaquim Gomes. Casa da Memória, Jaguariúna. Disponível em: <https://bit.ly/30dso8j>. Acesso em: 01/09/2019.

Rio de Janeiro. Secretaria Municipal de Urbanismo. Centro de Arquitetura e Urbanismo. 2000. Guia de arquitetura colonial, neoclássica e romântica do Rio de Janeiro. Centro de Arquitetura e Urbanismo, Rio de Janeiro.

Senos, N. 2012. A arquitectura portuguesa chã antes e depois de George Kubler. Revista Tritão 1: 1-21.

Silva, L.; Rocha, M.; Melo, N.B.A.L. 2015. A arquitetura dos templos católicos erguidos no sítio histórico de Teresina entre meados e final do século XIX. Anais do VII Mestre e Conselheiros. Agentes multiplicadores do Patrimônio- “Patrimônio e cidades”, 2015, Belo Horizonte.

Smith, R.C. 2012. Robert Smith e o Brasil: arquitetura e urbanismo. Iphan, Brasília.

Teles, A.C.S. 2014. Brasil: arquitetura religiosa barroca. Iphan, Brasília. Disponível em: <https://bit.ly/2EqoReb>. Acesso em: 30/07/2018.

Toledo, B.L. 2012. Esplendor do barroco luso-brasileiro. Ateliê Editorial, São Paulo.

Zarankin, A. 2001. Paredes que domesticam: arqueologia da arquitetura escolar capitalista: o caso de Buenos Aires. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Downloads

Publicado

2020-06-30

Como Citar

Maia, A. R. N., & Amaral, A. de M. (2020). Igreja Matriz de São Raimundo Nonato-PI: Uma análise a partir da Arqueologia da Arquitetura. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, 34(34), 72-86. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2020.162413