A vida-história dos objetos: memórias para uma história da informática (1968-2008)

Autores

  • Ana Temudo Universidade Católica Portuguesa

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2020.162512

Palavras-chave:

História, Memória, Museu, Tecnologia, Cultura material

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de um projeto de musealização no Departamento de Engenharia da Computação da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), que teve como objetivo reunir a história da computação no contexto académico da cidade, entre os anos sessenta do século XX e a primeira década do século XXI. Esta pesquisa partiu da memória subjetiva e naturalmente falível (Pollack, 1992) das pessoas-chave entrevistadas que, através de seu testemunho, descreveram o impacto das transformações tecnológicas na sua experiência profissional e pessoal. Durante a investigação, não tentamos encontrar a história dos grandes momentos e seus "heróis", mas as narrativas pequenas, fragmentadas e diversas de pessoas-chave. O nosso objetivo foi criar uma narrativa rico nos desvios, falhas e imperfeições que distinguem o Homem da Máquina. Acumulamos histórias (Kopytoff, 1988) através de objetos que usamos como gatilhos de memória (Simon, 2010) para estabelecer uma história social da computação no Porto. Ao perceber que também estávamos interessados ​​em capturar a “memória processual”, os participantes começaram a descrever com entusiasmo momentos marcantes, imitando o som de máquinas e identificando amigos e colegas em documentos e fotografias. No entanto, o mais recorrente foi aceder à memória "episódica" e "histórica" ​​(David Manier e William Hirst 2010). Podemos dizer que esta é uma estória escrita por homens e anotada por mulheres. O património imaterial que este projeto registou na forma de entrevistas apoia e atribui valor ao património material (objetos, máquinas, utensílios, livros e documentos) existentes no museu da FEUP e atesta a pluralidade dos seus contextos de uso e agentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Appadurai, A. 1988. Introduction: commodities and the politics of value. In: Appadurai, A. (Ed.). The social life of things: commodities in cultural perspective. Cambridge University Press, Cambridge, 3-62.

Assman, A. 2011. Cultural memory and western civilization: functions, media, archives. Cambridge University Press, Cambridge.

Beira, E.; Heitor, M. 2004. Memórias das tecnologias e dos sistemas de informação em Portugal. Associação Industrial do Minho, Braga.

Gosden, C.; Marshall, Y. 1999. The cultural biography of objects. World Archaeology 31: 169-178.

Halbwachs, M. 1990. A memória coletiva. Vértice; Revista dos Tribunais, São Paulo.

Kopytoff, I. 1988. The cultural biography of things: commoditization as process. In: Appadurai, A. (Ed.). The social life of things: commodities in cultural perspective. Cambridge University Press, Cambridge, 3-62.

Manier, D.; Hirst, W. 2008. A cognitive taxonomy of collective memories. In: Erll, A.; Nünning, A. (Orgs.). A companion to cultural memory studies. Walter De Gruyter, Berlin, 253-262.

Morigi, V.J.; Rocha, C.P.V.; Semensatto, S. 2012. Memória, representações sociais e cultura material. Morpheus 8: 182-191.

Pink, S. 2009. Situating sensory ethnography: from academia to intervention. In: Doing sensory ethnography. SAGE, London, 7-23.

Pollack, M. 1992. Memória e identidade social. Estudos Históricos 5: 200-212.

Simon, N. 2010. Social objects. In: The participatory museum. Santa Cruz, California, Museum 2.0, 127-172.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

Temudo, A. (2020). A vida-história dos objetos: memórias para uma história da informática (1968-2008). Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (35), 122-134. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2020.162512