Entre estruturas e lembranças: análise da Fábrica de Cerâmica Castanheiro a partir da arqueologia industrial (São Raimundo Nonato/PI)

Autores

  • Alencar de Miranda Amaral Universidade Federal do Vale do São Francisco. Colegiado de Arqueologia e Preservação Patrimonial
  • Alan Alves Ribeiro Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Rosemary Aparecida Cardoso Universidade Federal de Juiz de Fora. Museu de Arqueologia e Etnologia Americana

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2021.163527

Palavras-chave:

Arqueologia industrial, Fábrica de Cerâmica Castanheiro, Modelo 3d, Arqueologia urbana, Arqueologia pública

Resumo

Esta pesquisa tem como objeto de estudo a Fábrica de Cerâmica Castanheiro, que manteve suas atividades produtivas entre 1980 e 2003 no bairro Santa Luzia em São Raimundo Nonato/PI. Conjugando os preceitos teórico-metodológicos da arqueologia industrial e urbana às narrativas de moradores locais, buscamos identificar os espaços produtivos da fábrica e problematizar sua importância para a organização espacial do bairro, avaliando como ela influenciou a urbanização, o processo de industrialização e o desenvolvimento econômico do município. Assim, por meio de prospecções, entrevistas semiestruturadas e levantamento documental, identificou-se que a fábrica era composta por cinco estruturas, com funcionalidades distintas: pátio de estocagem; galpão de produção (que abrigava os maquinários); local de armazenamento de matéria-prima (caixão alimentador); galpão de secagem; e espaço associado ao processo de queima (fornos, chaminé, sistema subterrâneo de exaustão). Essas constatações permitiram elaborar um modelo 3D do local. Percebeu-se que a fábrica contribuiu para o crescimento urbano do bairro, fornecendo material para a construção de casas e para seu desenvolvimento socioeconômico, gerando empregos que atraiam pessoas para residirem no bairro e trabalharem na fábrica, e, consequentemente, uma expansão geográfica e demográfica. A fábrica empregou cem funcionários, o que demonstra que a economia municipal contava com uma produção industrial relevante e não se limitava aos setores de serviço e agropastoril.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alencar de Miranda Amaral, Universidade Federal do Vale do São Francisco. Colegiado de Arqueologia e Preservação Patrimonial

Professor dos Colegiados de Graduação e Pós-graduação de Arqueologia da Universidade Federal do Vale
do São Francisco (Univasf).

Alan Alves Ribeiro, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Graduado em Arqueologia pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf).

Rosemary Aparecida Cardoso, Universidade Federal de Juiz de Fora. Museu de Arqueologia e Etnologia Americana

Colaboradora do Laboratório de Preservação Patrimonial da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf).

Referências

Agência Brasil. 2013. Iphan homologa tombamento da Estação Ferroviária de Teresina. Disponível em: <https://bit.ly/2Od3DpC>. Acesso em: 19/03/2021.

Alarcão, J. 1994. Arqueologia das cidades. In: Anais do Encontro de Arqueologia Urbana, 1994, Braga.

Boni, V.; Quaresma, S. 2005. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em ciências sociais. Em Tese 2: 68-80.

Bornal, W.G. 2008. Sítio histórico São Francisco: um estudo sob a ótica da arqueologia da paisagem. Tese de doutorado. Universidade de São Paulo, São Paulo.

Brasil. 1964. Lei nº 4.380, de 21 de agosto de 1964. Disponível em: <https://bit.ly/2PjK3sc>. Acesso em: 22/03/2021.

Cardoso, R.A. 2013. Arqueologia musealizada e educação patrimonial: caminhos e desafios da transmissão do conhecimento nos museus recifenses. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Cavalcanti, M.R.B. 2019. Patrimônio virtual: a reconstrução em 3D e a preservação do patrimônio cultural. Dissertação de mestrado. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro.

Cerdà, M. 2008. Arqueología industrial. PUV, València.

Clarke, K.; Palmer, M.; Neaverson, P. 1999. Industrial archaeology: principles and practice. Routledge, London.

Foley, V.P. 1968. On the meaning of industrial archaeology. Historical archaeology 2: 66-68.

Hodder, I. 1999. The archeological process: an introduction. Blackwell, Oxford.

Lucchese, M.C; Rossetto, R. 2018. A política urbana no governo militar (1964-1985). In: Bonduki, N. (Org). A luta pela reforma urbana no Brasil: Do Seminário de Habitação e Reforma Urbana ao Plano Diretor de São Paulo. Instituto Casa da Cidade, São Paulo, 35-80.

Luna, S.V. 1999. Planejamento de pesquisa: uma introdução. Educ, São Paulo.

Moraes, I.A. 2005. Memória social: solidariedade orgânica e disputa de sentidos. In: Gondar, J.; Dodebei, V. (Orgs.). O que é memória social. Contra Capa, Rio de Janeiro, 89-104.

Noivo, M.I.B.C. 2010. Percurso pela Alfama arqueológica. Dissertação de mestrado. Universidade Nova de Lisboa, Lisboa.

Oliveira, M.B. 2015. SketchUp aplicado ao projeto arquitetônico: da concepção à apresentação de projetos. Novatec, São Paulo.

Ribeiro, A.A. 2018. Contribuições para a arqueologia industrial de São Raimundo Nonato-PI: a Fábrica de Cerâmica Castanheiro e o desenvolvimento do bairro Santa Luzia. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal do Vale do São Francisco, São Raimundo Nonato.

Ribeiro, A.A; Alves, S.P.R. 2017. Memórias e histórias do Bairro Santa Luzia em São Raimundo Nonato - PI. In: Anais do Pet-Arqueologia, 2017, São Raimundo Nonato.

Santos, A.F. 2014. Potencialidade da arqueologia industrial em Sergipe: estudo de caso da Fábrica de Tecido Sergipe Industrial. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal de Sergipe, Laranjeiras.

Secult. 2018. Bens tombados e registrados do Piauí. Disponível em: <https://bit.ly/3czcUBG>. Acesso: 19/03/2021.

Silva, R.B. 1999. Concepções de arqueologia urbana em Lisboa. In: Anais do 2º Colóquio Temático Lisboa Ribeirinha, 1999, Lisboa.

Souza, R.A. 2013. Arqueologia em fábricas paulistas, entre chaminés e estacionamentos: ou dos métodos para escavar uma fábrica. Revista CPC 16: 136-173.

Vichnewski, H.T. 2004. As indústrias Matarazzo no interior paulista: arquitetura fabril e Patrimônio Industrial (1920-1960). Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

Amaral, A. de M., Ribeiro, A. A., & Cardoso, R. A. (2021). Entre estruturas e lembranças: análise da Fábrica de Cerâmica Castanheiro a partir da arqueologia industrial (São Raimundo Nonato/PI). Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (36), 226-246. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2021.163527

Edição

Seção

Dossiê