O lado humano da Arqueologia Forense: entrevista com Criméia Almeida

Autores

  • Criméia Alice Schmidt Almeida Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos
  • João Pedro Silva de Albuquerque Universidade Federal de São Paulo. Centro de Antropologia e Arqueologia Forense (UNIFESP-CAAF)
  • Aline Feitoza de Oliveira Universidade Federal de São Paulo. Centro de Antropologia e Arqueologia Forense/CAAF
  • Marília Oliveira Calazans Universidade Federal de São Paulo. Centro de Antropologia e Arqueologia Forense/CAAF
  • Rebeca Righetti Ramos Universidade Federal de São Paulo. Centro de Antropologia e Arqueologia Forense (UNIFESP-CAAF)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2020.163719

Palavras-chave:

Arqueologia da Resistência, Comissões de Familiares, Pe´rícia humanizada, Desaparecidos e mortos politicos, antropologia forense

Resumo

Criméia Alice Schmidt Almeida participou da VI Semana Internacional de Arqueologia Discentes do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, na mesa de debate sobre Arqueologia da Repressão e Resistência: Materialidade e Patrimônio em Áreas de Conflito. Após sua fala, foi proposta uma entrevista para entender sua trajetória, sua aproximação com os campos da Arqueologia e Antropologia e seu contato com equipes internacionais e impressões sobre atuação de arqueólogos nos trabalhos de buscas e identificações desenvolvidos no Brasil. A entrevista permitiu reforçar a importância da troca entre as equipes técnicas e as famílias de pessoas desaparecidas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Pedro Silva de Albuquerque, Universidade Federal de São Paulo. Centro de Antropologia e Arqueologia Forense (UNIFESP-CAAF)

Bacharel em Gestão da Informação e Mestre em Ciência da Informação pela UFPE. Possuo interesse principalmente, mas não exclusivamente, nas áreas de Análise e Interpretação de dados, Disseminação da Informação, Fluxos informacionais, Monitoramento e Análise de mídias sociais, Memória, Comportamento informacional e Cibercultura. 

Referências

Almeida, C.A.S. 2019. Humanizar as ciências forenses. Podcast 1049. Disponível em: <https://spoti.fi/30bm5lC>. Acesso em: 10/02/2020.

Alves Filho, M.; Miranda, A. 2001. O Projeto Perus, passo a passo. Jornal da Unicamp 15: 2-5.

Brasil. 2014. Portaria nº 620, de 9 de outubro de 2014. Institui o Grupo de Trabalho Perus. Disponível em: <https://bit.ly/39IxVqv>. Acesso em: 16/05/2020.

Calazans, M.O. et al. 2019. A Vala de Perus e as universidades públicas na trajetória por Memória, verdade e Justiça (1990-2019). Revista Hydra 4: 8-49.

Dutrénit Bielous, S. 2020. An introduction: departure, journey, arrival. In: Dutrénit Bielous, S. (Ed.). Forensic anthropology teams in Latin America. Routledge, New York, 01-11.https://doi.org/10.4324/9780429031335

Gaspari, E. 2014. A ditadura escancarada. 2. ed. Intrínseca, Rio de Janeiro.

Hattori, M. 2017. Documentação da Unicamp. In: Hattori, M. (Org.). Relatório de investigação preliminar e antemortem., , xx-xx.

Instituto Macuco. (Ed.). 2012. Vala clandestina de Perus: desaparecidos políticos, um capítulo não encerrado da história brasileira. Ed. do Autor, São Paulo.

Ministério Público Federal. 2012. Denúncia apresentada pelo MPF contra Carlos Alberto Brilhante Ustra e Dirceu Gravina. Procuradoria da República em São Paulo, São Paulo.

Palhares, F. 2001. A história que poucos conhecem. Jornal da Unicamp 160: 13-14.

Souza, R.A. et al. 2015. A retomada das análises da vala clandestina de Perus. In: São Paulo. Relatório Final da Comissão Estadual da Verdade Rubens Paiva. Alesp, São Paulo, 1-79.

Souza, R.A. 2019. A materialidade da repressão à guerrilha do Araguaia e do terrorismo de Estado no Bico do Papagaio, TO/PA: noite e nevoeiro na Amazônia. Tese de doutorado. Universidade de São Paulo, São Paulo.

Teles, J.A. 2014. Os segredos e os mitos sobre a guerrilha Araguaia (1972-1974). História Unisinos 18: 464-480.

Teles, J. 2018. A vala clandestina de Perus: entre o passado e o presente. Revista Insurgência 4: 300-341.

Downloads

Publicado

2020-06-30

Como Citar

Almeida, C. A. S., Albuquerque, J. P. S. de, Oliveira, A. F. de, Calazans, M. O., & Ramos, R. R. (2020). O lado humano da Arqueologia Forense: entrevista com Criméia Almeida. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, 34(34), 187-193. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2020.163719

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)