Múmias digitais: práticas funerárias em Assassin's Creed Origins

Autores

  • Jessica Silva Mendes Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia
  • Matheus Morais Cruz Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2021.163762

Palavras-chave:

Egito Antigo, Antiguidade clássica, Cultura material, Simulação digital, Jogos eletrônicos

Resumo

Este artigo  busca apresentar, sob o viés arqueológico, uma análise crítica das principais características das práticas funerárias do Antigo Egito representadas no jogo eletrônico Assassin’s Creed Origins, desenvolvido pela produtora Ubisoft Entertainment S.A.. Essa pesquisa foi desenvolvida no âmbito da produção de trabalhos do Grupo de Pesquisa (CNPq) ARISE – Arqueologia Interativa e Simulações Eletrônicas e visa pormenorizar as representações materiais do mundo funerário (mumificação, enterramentos, e outros fatores), bem como o impacto do diálogo entre desenvolvedores, historiadores/arqueólogos e o público em geral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jessica Silva Mendes, Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Arqueologia do Museu de Arqueologia e e Etnologia da Universidade de São Paulo (PPGArq-MAE/USP) com ênfase em egiptologia e coleções. Também é bacharel em História pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP e técnica em Museologia pela Escola Técnica Estadual Parque da Juventude (ETEC-PJ).

Matheus Morais Cruz, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Bacharel em História pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP) e mestrando em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP). Durante a graduação, obteve bolsa de pesquisa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) para o desenvolvimento de pesquisa de IC sobre a iconografia militar de moedas da Palestina Romana, e para a realização de estágio de pesquisa no exterior (BEPE-IC) na Tel-Aviv University com apoio institucional do Coin Department da Israel Antiquities Authority, do Israel Museum-Jerusalem e do Kadman Numismatic Pavilion do Eretz-Israel Museum-Tel Aviv. 

Referências

Andrews, C. 1984. Egyptian mummies. British Museum Publications, London.

Andrews, S. 2017. The Khufu ship of Ancient Egypt is one of the oldest, largest, and best-preserved vessels from antiquity. Disponível em: <https://bit.ly/2Q5ppMg>. Acesso em: 14/09/2018.

Assassin’s Creed Origins. 2017. Ubisoft, Montreal. Versão digital.

Assmann, J. 2005. Death and Salvation in Ancient Egypt. Cornell University Press, New York.

Bakos, M. 2004. Introdução. In: Bakos, M.(Org.) Egiptomania: o Egito no Brasil. Paris Editorial, São Paulo, 7-14.

David, A.R. 2008. Egyptian mummies: an overview. In: David, A.R. (Ed.). Egyptian mummies and modern science. Cambridge University Press, Cambridge, 10-18.

El Mahdy, C. 1995. Mummies, myth and magic. Thames and Hudson, London.

Hecko, L. 2013. Egiptomania e usos do passado: o Museu Egípcio e Rosacruz de Curitiba (PR). Tese de doutorado. Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Hornung, E. 1992. Idea into image: essays on Ancient Egyptian thought. Timken Publishers, New York.

Nielsen, H. 2017. Assassin’s Creed Origins: how Ubisoft painstakingly recreated ancient Egypt. Disponível em: <https://bit.ly/31Rbxbh>. Acesso em: 06/04/2021.

Prates, C. et al. 2011. Prostate metastatic bone cancer in an Egyptian Ptolemaic mummy, a proposed radiological diagnosis. International Journal of Paleopathology 1: 98-103.

Quirke, S. 2015. Exploring Ancient Egypt religion. Wiley Blackwell, Hoboken.

Ribeiro, A.; Trindade, S. 2017. O ensino da história e tecnologias: conexões, possibilidades e desafios no espaço das Humanidades Digitais. In: Porto, C.; Moreira, J.A. (Orgs.). Educação no ciberespaço: novas configurações, convergências e conexões. Edunit, Aracajú, 133-146.

Shaw, I. 2004. Ancient Egypt: a very short introduction. Oxford University Press, Oxford.

Shaw, I.; Nicholson, P. 2002. The British Museum dictionary of Ancient Egypt. The American University in Cairo Press, Cairo.

Teeter, E. 2011. Religion and ritual in ancient Egypt. Cambridge University Press, Cambridge.

Vaz, E.N.; Caetano, M.; Nijkamp, P. 2011. A multilevel spatial urban pressure analysis of the Giza Pyramid Plateau in Egypt. Journal of Heritage Tourism 6: 99-198.

Willems, H. 2014. The coffin texts and democracy. In: Willems, H. Historical and archaeological aspects of Egyptian funerary culture: religious ideas and ritual practice in middle kingdom elite cemeteries. Brill, Leiden, 124-229.

Downloads

Publicado

2021-08-12

Como Citar

Mendes, J. S., & Cruz, M. M. (2021). Múmias digitais: práticas funerárias em Assassin’s Creed Origins. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (36), 189-203. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2021.163762

Edição

Seção

Dossiê