Contribuição para a compreensão da religião e variações da cultura material dos índios Kashuiéna

Autores

  • Gottfried Polykrates Museum für Völkerkunde Hamburg
  • Sayuri Arakawa Avenues: The World School

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2021.182695

Palavras-chave:

Katxuyana, cultura material, xamanismo, Guianas, indumentária, Rio Cachorro

Resumo

Escrito em homenagem póstuma ao antigo diretor do Museu Goeldi (Walter Albergo Eglers), nesse texto Polykrates apresenta informações gerais não apenas sobre os índios então nominados como Kashuiéna, mas também traça um panorama dos demais povos e sua distribuição pelo interflúvio Trombetas-Mapuera-Nhamundá e fronteira com a então Guiana Inglesa. Em seguida descreve aspectos da vida ritual dos Kashuiéna, com base nas informações obtidas em suas estadias na região, diretamente com piases (pajés) desse grupo, e também discorre brevemente sobre alguns itens da cultura material e vestimentas (antigas e então em uso), de homens e mulheres, com ênfase nos estojos penianos masculinos e saias femininas (de fibras e de miçangas).

 

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Gottfried Polykrates, Museum für Völkerkunde Hamburg

    Nascido na Grécia, em 1927, foi alpinista e instrutor no exército grego de técnicas de guerra realizadas em períodos de inverno. Após a Guerra Civil na Grécia, chegou à Dinamarca, onde viveu de 1952 a 1969. Nesse período, realizou várias viagens como etnógrafo amador, e em cinco delas visitou indígenas na floresta amazônica. Paralelamente às viagens para a América do Sul, também realizou outras expedições de caráter “semicientífico” enquanto vivia na Dinamarca. Essas expedições o levaram a países como Camarões, Líbia, Etiópia, Ruanda, Burundi, Zanzibar, Tanzânia e Bahrein. Polykrates terminou sua carreira como viajante em 1971, alguns anos depois de ter se mudado para a Áustria com sua família.

  • Sayuri Arakawa, Avenues: The World School

    Tradutora freelancer especializada em literatura, tecnologia, marketing e negócios. Além do conhecimento técnico formal, aplica a experiência profissional como tradutora, professora, coordenadora de pós-vendas e secretária de empresas multinacionais.

Referências

Frikel, P. 1957. Zur linguistisch-ethnologischen Gliederung der Indianerstämme von Nord-Pará (Brasilien) und den anliegenden Gebieten. Anthropos Bd. 52, H. 3./4. 509-563.

Haekel, Josef. 1958. Purá und Hochgott. Archiv für Völkerkunde, XIII, Wien, 25-50.

Nimuendajú, C. 1924. Os índios Parintintin do rio Madeira. In: Journal de la Societé des Americanistes. Tome 16, 201-278.

Nimuendajú, C. 1948. The “Parintintin” between the upper Tapajóz and Sao Manoel Rivers. In: Steward, J. H. (ed.). Handbook of South American Indians, Washington, v. 3, p. 295.

Kruse, A. 1955. Purá, das höchste wesen der Arikéna. Antropos, v. 50, fasc. 1-3, Switzerland, 404-416.

Polykrates, G. 1957. Ein besuch bei Indianern am Rio Trombetas. Ethnos, v. 22, 3-4, Stockholm.

Polykrates, G. 1961. Beiträge zur: Antropologie, Ethnografie und Sprachforschung der Kashuiéna Indianer sowie akkulturationserscheinungen. Ethnos, v. 26, 1-2, Stockholm.

Roth, Walter Edmund. 1924. An introductory Study of lhe Arts, Crafts, and Customs of the Guiana Indians. Thirty-eighth Annual Report of the Bureau of American Ethnology. 1916-17. Washington, 5-74.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

POLYKRATES, Gottfried. Contribuição para a compreensão da religião e variações da cultura material dos índios Kashuiéna. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, Brasil, n. 37, p. 76–91, 2021. DOI: 10.11606/issn.2448-1750.revmae.2021.182695. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revmae/article/view/182695.. Acesso em: 25 jul. 2024.