Guerrilla Girls e o MASP: questionando a desigualdade de gênero nos museus

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2023.199366

Palavras-chave:

Guerrilla Girls, MASP, Estudos de gênero, Arte feminista., Museologia e gênero

Resumo

O grupo Guerrilla Girls é formado por artistas ativistas do feminismo e suas obras denunciam a falta de visibilidade e espaço que minorias sociais – como as mulheres, LGBTQIA+, negros e latinos – têm nos universos museológico e artístico. Em 2017, o grupo fez sua primeira exposição individual no Brasil no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, apresentando obras que demonstram a disparidade entre artistas homens e artistas mulheres no tocante à inclusão de suas produções na narrativa de museus e galerias de arte. Isto posto, o foco deste artigo recai especificamente na produção artística das Guerrilla Girls que se refere à desigualdade de gênero e que foi exposto na mostra do MASP.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

Acayaba, C.; Figueiredo, P. 2022. Artistas mulheres representam cerca de 20% dos acervos do Masp e Pinacoteca: ‘difícil apagar exclusão do passado’, diz especialista. G1. Disponível em: <http://glo.bo/3sOTaEC>. Acesso em: 15/05/2022.

Grady, C. 2018. The waves of feminism, and why people keep fighting over them, explained. Vox Media. Disponível em: <https://bit.ly/44PawPd>. Acesso em: 10/04/2022.

Guerrilla Girls. 2020. Guerrilla Girls: the art of behaving badly. Chronicle Books, California.

Guerrilla Girls. 2022a. Posters, stickers, billboards, videos, actions: 1985-2022. Disponível em:<https://www.guerrillagirls.com/projects>. Acesso em: 06/04/2022.

Guerrilla Girls. 2022b. The Guerrilla Girls’ complete chronology. Disponível em:<https://www.guerrillagirls.com/chronology>. Acesso em: 07/04/2022.

Mandel, C. 2010. Estética del borde: cuerpo femenino, humor y resistencia. Revista Escena 33: 71-82. Disponível em:<https://bit.ly/3PxkYX8>. Acesso em: 21/04/2022.

Masp – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand. 2017a. Guerrilla Girls: estudo preliminar. Centro de Pesquisa do MASP, São Paulo.

Masp – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand. 2017b. Guerrilla Girls no MASP. São Paulo: Masp. Disponível em: https://masp.org.br/acervo/busca?author=guerrilla+girls. Acesso em: 11 maio 2022.

Masp – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand. 2017c. Relatório anual de atividades Masp 2017. Masp, São Paulo: Disponível em: <https://bit.ly/3Pc8wdV>. Acesso em: 30/04/2022.

Masp – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand. 2017d. Sobre o Masp. Masp, São Paulo. Disponível em: https://masp.org.br/sobre. Acesso em: 15/05/2022.

Mulheres no Acervo. 2020. Sobre. Disponível em: <https://bit.ly/3PC0k8i/>. Acesso em: 17/05/2022.

Oliveira, A.C.A.R.; Queiroz, M.S. 2017. Museologia: substantivo feminino: reflexões sobre museologia e gênero no Brasil.

Revista do Centro de Pesquisa e Formação 5: 61-77. Disponível em: <https://bit.ly/45DrxNn>. Acesso em: 06/04/2022.

Oliveira, L.S. 2020. Pode um museu de arte ter uma curadoria coletiva, feminista e descolonial? RevistaVisuais 6: 284-303.

Rechena, A. Museologia social e gênero. 2014. Cadernos do Ceom 27: 153-174. Disponível em: <https://bit.ly/3EA66AY>. Acesso em: 15/08/2023.

Seganfredo, T. 2019. Acervo do Margs tem quase 400 mulheres artistas, mas poucas integram exposições. Nonada. Disponível em: <https://bit.ly/3PflxTR>. Acesso em: 16/05/2022.

Simioni, A.P.C; Lima Junior, C. 2018. Heroínas em Batalha: figurações femininas em museus em tempos de centenário: Museu Paulista e Museu Histórico Nacional, 1922. Museologia & Interdisciplinaridade 7: 87-106. Disponível em: <https://bit.ly/4664XwJ>. Acesso em: 09/04/2021.

The World Bank. 2022. Population, female. Disponível em: https://bit.ly/3rgf1Ve. Acesso em: 13/09/2023.

Winters, J. 2020. Culture jamming: subversion as protest. Harvard Political Review. Disponível em: <https://bit.ly/3PBC2eF>. Acesso em: 06/04/2022

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

DUARTE, Letícia Saracini. Guerrilla Girls e o MASP: questionando a desigualdade de gênero nos museus. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, Brasil, n. 41, p. 215–226, 2023. DOI: 10.11606/issn.2448-1750.revmae.2023.199366. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revmae/article/view/199366.. Acesso em: 12 jun. 2024.