Público e Arqueologia Marítima: caminho para a musealização

Autores

  • Cristiane Eugênia da Silva Amarante Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2594-5939.revmaesupl.2011.113560

Palavras-chave:

Arqueologia Marítima - Musealização da Arqueologia - Arqueologia Pública

Resumo

A proposta deste artigo é apresentar uma experiência desenvolvida na cidade de Santos, litoral de São Paulo, Brasil, com crianças de uma escola pública municipal. Vários encontros foram elaborados para a aproximação com os temas Arqueologia, Arqueologia Marítima, Museu e Porto. Em uma cidade em que o mar está tão presente, há uma cultura inerente de maritimidade, de aproximação com o mar que é natural. Sendo assim, uma arqueologia em Santos que despreze esse aspecto não pode estar com pleta. A intenção é pensar na musealização de materiais provenientes de várias escavações ocorridas na cidade ao longo dos anos. A musealização será construída a partir de um debate com o público, para saber com o essas questões são elaboradas e com preendê-las para futuras criações de planos museológicos em consonância com Arqueologia Pública e a Nova Museologia

Downloads

Publicado

2011-09-10

Como Citar

Amarante, C. E. da S. (2011). Público e Arqueologia Marítima: caminho para a musealização. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia. Suplemento, (supl.11), 213-219. https://doi.org/10.11606/issn.2594-5939.revmaesupl.2011.113560

Edição

Seção

Comunicações