A operação dos reservatórios e o planejamento da operação hidrotérmica do Sistema Interligado Nacional

Autores

  • Renato Carlos Zambon Universidade de São Paulo. Escola Politécnica. Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental (PHA).

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i104p133-144

Palavras-chave:

recursos hídricos, usinas hidrelétricas, operação de reservatórios.

Resumo

O sistema elétrico brasileiro é um sistema hidrotérmico de grande porte, com forte predominância de usinas hidrelétricas, cerca de 150 delas de médio e grande porte. Entre 2000 e 2012, em média 91% da geração foi de origem hidrelétrica, o restante complementado principalmente por usinas térmicas. Desde o final de 2012 até hoje, com seca severa atingindo as principais bacias do país, a participação das hidrelétricas caiu para uma média de 76% da geração, com um despacho muito acentuado das usinas térmicas e grande deplecionamento dos reservatórios. À luz do estado atual do sistema, este artigo discute o planejamento da operação, considerando reservatórios e usinas individualizadas, a evolução da capacidade instalada e de armazenamento, a não estacionariedade das séries históricas de vazões afluentes, as restrições operativas associadas a usos múltiplos da água e os cenários no horizonte de quatro anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Carlos Zambon, Universidade de São Paulo. Escola Politécnica. Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental (PHA).

Professor do Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental (PHA) da Escola Politécnica da USP.

Downloads

Publicado

2015-03-05

Como Citar

Zambon, R. C. (2015). A operação dos reservatórios e o planejamento da operação hidrotérmica do Sistema Interligado Nacional. Revista USP, (104), 133-144. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i104p133-144

Edição

Seção

Dossiê Energia Elétrica