Agenda 20+20 e o fim de um ciclo para o Movimento Olímpico Internacional

Autores

  • Katia Rubio Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i108p21-28

Palavras-chave:

Movimento Olímpico, Agenda 20 20, olimpismo.

Resumo

Passado mais de um século desde o início dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, o Movimento Olímpico busca uma mudança de trajetória na busca do espírito olímpico perdido. Depois de sofrer profundas transformações que puseram em risco o chamado “espírito olímpico”, colaborando para isso a ascensão do profissionalismo e dos interesses comerciais que rondam o maior espetáculo do planeta, o atual presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) faz um chamamento à comunidade olímpica internacional propondo diálogo, inclusão e transformações em uma das instituições mais fechadas do planeta. O objetivo deste texto é discutir o reposicionamento do Movimento Olímpico e as recomendações estratégicas do COI denominados Agenda 20 + 20, no que diz respeito ao futuro do Movimento Olímpico e dos Jogos Olímpicos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Katia Rubio, Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte
    KATIA RUBIO é professora associada da Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo e membro da Academia Olímpica Brasileira.

Referências

BROWN, C. G. “Masculinity and Secularisation in Twentieth-Century Bretain”, in Y. M.Werner (ed.). Christian Masculinity. Men and religion in Northern Europe in the 19th and 20th Centuries. Leuven, Leuven University Press, 2011.

ELIAS, N. Time: An Essay. Oxford, Blackwell, 1992.

GUTTMANN, A. The Games Must Go on: Avery Brundage and the Olympic Movement. New York, Columbia University Press, 1982.

HOBSBAWM, E. Era dos Extremos. São Paulo, Companhia das Letras, 1995.

INTERNATIONAL Olympic Committee. Olympic Agenda 2020 20+20 Recommendations. Disponível em: http://www.olympic.org/Documents/Olympic_Agenda_2020/Olympic_Agenda_2020-20-20_Recommendations-ENG.pdf

KRÜGER, A. “The Unfinished Symphony: A History of the Olympic Games from Coubertin to Samaranch”, in J. Riordan; A. Krüger (eds.). The International Politics of Sport in the 20th Century. London, E. & F.N. Spon, 1999.

MCCOMB, D. G. Sports in World History. New York, Routledge, 2004.

MÜLLER, N. Olympism Selected Writings. Pierre de Coubertin 1863-1937. Lausanne, International Olympic Committee, 2000.

RUBIO, K. O Atleta e o Mito do Herói. São Paulo, Casa do Psicólogo, 2001.

. “The Professionalism Legacy: The Impact of Amadorism Transformation Among Brazilian Olympic Medalists”, in M. Moragas; C. Kennett; N. Puig (eds.). The Legacy of the Olympic Games 1984-2000. Barcelona/Lausanne, Olympic Studies Centre of the Autonomous University of Barcelona/Olympic Studies Centre of the International Olympic Committee, 2003.

. “Jogos Olímpicos da Era Moderna: Uma Proposta de Periodização”, in Rev. Bras. Educ. Fís. Esporte, v. 24, n. 1. São Paulo, jan.-mar./2010, pp. 55-68.

SANTOS, M. A Natureza do Espaço. São Paulo, Hucitec, 1996.

WALSH A. J.; GIULIANOTTI, R. “This Sporting Mammon: A Normative Critique of the Commodification of Sport”, in Journal of the Philosophy of Sport, vol. 28, issue 1, 2001, pp. 53-77.

WISHART, D. “Period and Region”, in Progress in Human Geography, 28(3), 2004, pp. 305-19.

Downloads

Publicado

2016-03-28

Edição

Seção

Dossiê Jogos Olímpicos

Como Citar

RUBIO, Katia. Agenda 20+20 e o fim de um ciclo para o Movimento Olímpico Internacional. Revista USP, São Paulo, Brasil, n. 108, p. 21–28, 2016. DOI: 10.11606/issn.2316-9036.v0i108p21-28. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/118234.. Acesso em: 15 jul. 2024.