A contribuição dos Jogos Paralímpicos para a promoção da inclusão social: o discurso midiático como um obstáculo

Autores

  • Renato Francisco Rodrigues Marques Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i108p87-96

Palavras-chave:

Jogos Paralímpicos, esporte paralímpico, sensacionalismo, mídia, inclusão social.

Resumo

A inclusão social de pessoas com deficiência é um processo que perpassa tanto pelo empoderamento quanto por transformações da sociedade, de modo a proporcionar oportunidades de participação social plena. Sua efetividade está intimamente atrelada à transformação de paradigmas, estereótipos e preconceitos. Isso é possível por meio da educação formal, da mídia e de fenômenos socioculturais capazes de contribuir para modificar ou reforçar valores morais, como o esporte. O objetivo geral deste ensaio é propor uma reflexão a respeito da maneira como atletas paralímpicos são retratados pela mídia durante os Jogos Paralímpicos e o produto dessa forma de interação com os espectadores. Conclui-se que os atletas querem ser reconhecidos como pessoas produtivas e eficientes assim como qualquer outro cidadão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Francisco Rodrigues Marques, Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte

RENATO FRANCISCO RODRIGUES MARQUES é professor da Escola de Educação Física e Esporte da USP de Ribeirão Preto.

Referências

BAILEY, S. Athlete First: a History of the Paralympic Movement. West Sussex, John Wiley & Sons, 2008.

BERGER, R. J. “Disability and the Dedicated Wheelchair Athlete: Beyond the ‘Supercrip’ Critique”, in Journal of Contemporary Ethnography, v. 37, n. 6, 2008, pp. 647-78.

BOURDIEU, P. Questões de Sociologia. Rio de Janeiro, Marco Zero, 1983.

. Coisas Ditas. São Paulo, Brasiliense, 1990.

. Sobre a Televisão. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1997.

BRITTAIN, I. The Paralympic Games Explained. New York, Routledge, 2010.

COSTA, A. M. da; WINCKLER, C. “A Educação Física e o Esporte Paralímpico”, in M. T. de Mello; C. Winckler (orgs.). Esporte Paralímpico. São Paulo, Atheneu, 2012.

DE PAUW, Karen; GAVRON, Susan J. Disability and Sport. Champaign, Human Kinectics, 1995.

HARDIN, M. M.; HARDIN, B. “The ‘Supercrip’ in Sport Media: Wheelchair Athletes Discuss Hegemony´s Disabled Hero”, in Sociology of Sport Online, v. 7, n. 1, 2004, pp. 1-14.

HOWE, P. D. Sport, Professionalism and Pain: Ethnographies of Injury and Risk. New York, Routledge, 2004.

. The Cultural Politics of the Paralympic Movement. Throught an Anthropological Lens. New York, Routledge, 2008.

HOWE, P. D; JONES, C. “Classification of Disabled Athletes: (Dis) Empowering the Paralympic Practice Community”, in Adapted Phisycal Activity Quaterly, v. 23, 2006, pp. 29-46.

MARQUES, R. F. R.; GUTIERREZ, L. G. O Esporte Paralímpico no Brasil: Profissionalismo, Administração e Classificação de Atletas. São Paulo, Phorte, 2014.

Downloads

Publicado

2016-03-28

Como Citar

Marques, R. F. R. (2016). A contribuição dos Jogos Paralímpicos para a promoção da inclusão social: o discurso midiático como um obstáculo. Revista USP, (108), 87-96. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i108p87-96

Edição

Seção

Dossiê Jogos Olímpicos