Portugal durante a ausência do rei

Autores

  • Lúcia Maria Bastos P. Neves Universidade Estadual do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i79p10-21

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Lúcia Maria Bastos P. Neves, Universidade Estadual do Rio de Janeiro

    é professora da Universidade Estadual do Rio de Janeiro.

Referências

ALCOCHETE, Nuno Daupias D’. Lettres de Diogo Ratton a Antonio de Araujo de Azevedo, Comte da Barca (1812-1817). Paris, Fundação Calouste Gulbenkian, 1973.

ALEXANDRE, Valentim. Os Sentidos do Império: Questão Nacional e Questão Colonial na Crise do Antigo Regime Português. Porto, Afrontamento, 1993.

ARAÚJO, Ana Cristina. “Revoltas e Ideologias em Conflito Durante as Invasões Francesas”, in Revista de História das Idéias. Revoltas e Revoluções, 7. Coimbra, 1985, pp. 7-90.

BANDARRA Descuberto nas suas Trovas. Colleçam de Profecias Mais Notáveis, Respeita a Felicidade de Portugal e Cahida dos Maiores Imperios do Mundo. Londres, impresso por W. Lewis, Paternoster, 1810.

BESTA de Sete Cabeças e Dez Cornos ou Napoleão, Imperador dos Franceses, A. Exposição litteral do Capítulo XIII do

Apocalypse por hum presbítero Andaluz. Lisboa, Offic. de Joaquim Thomaz de Aquino Bulhões, 1809.

BIANCARDI, Theodoro José. Cartas Americanas. Lisboa, Impressão de Alcobia, 1820 (1a edição em 1809).

BOISVERT, Georges. Un Pionnier de la Propagande Libérale au Portugal: João Bernardo da Rocha Loureiro (1778-1853). Paris, Fundação Calouste Gulbenkian/Centro Cultural Português, 1982.

CARVALHO, José Liberato Freire de. Ensaio Histórico-político sobre a Constituição e Governo do Reino de Portugal; Onde se Mostra Ser Aquele Reino, Desde a Sua Origem, uma Monarquia Representativa, e que o Absolutismo, a Superstição e a Influencia da Inglaterra São as Causas da sua Actual Decadência. 2a ed. mais correta e augmentada. Lisboa, Imprensa Nevesiana, 1843.

CASTRO, Zília Osório de. “Napoleão, ‘o Anticristo Descoberto’”, in Ler História, 17. Lisboa, 1989, pp. 93-111.

CHATEAUBRIAND. Mémoires d’Outre Tombe. [1848]. Paris, Gallimard, 1997.

CORREIO BRAZILIENSE ou Armazem Literário. Londres, 1808-1810.

DARNTON, Robert. Os Dentes Falsos de George Washington. Um Guia Não Convencional para o Século XVIII. Trad. de José Geraldo Couto. São Paulo, Companhia das Letras, 2005.

DELUMEAU, Jean. Mil Anos de Felicidade. Uma História do Paraíso. Trad. de Paulo Neves. São Paulo, Companhia das Letras, 1997.

DIAS, Graça & DIAS, J. S. da Silva. Os Primórdios da Maçonaria em Portugal. 2a ed. Lisboa, Instituto Nacional de Investigação Científica, 1986, v. 1, t. 2.

GAZETA DO ROCIO, cf. no 7, in Collecção das Celebres Gazetas do Rocio que para seu Desenfado Compoz certo Patusca, o qual Andava à Pesca de todas as Imposturas, que o Intruso Ministerio Francez Fazia Imprimir no Diario Portuguez. Lisboa, Typographia Lacerdina, 1808.

GIRARDET, Raoul. Mitos e Mitologias Políticas. Trad. de Maria Lúcia Machado. São Paulo, Companhia das Letras, 1987.

GODECHOT, Jacques. “Piemont-Sardaigne”, in J. Tulard (dir.). Dictionnaire Napoléon. Nouvelle Edition, Revue et Augmentée. Paris, Arthème Fayard, 1999.

HERMANN, Jacqueline. No Reino do Desejado. A Construção do Sebastianismo em Portugal, Séculos XVI e XVII. São Paulo, Companhia das Letras, 1998.

________. “O Sebastianismo e a Restauração Portuguesa”, in Voz Lusíada. Lisboa, Academia Lusíada de Ciências, Letras e Artes, no 11, 1999. pp. 3-16 (separata).

HESPANHA, António Manuel. História das Instituições: Épocas Medieval e Moderna. Coimbra, Almedina, 1982.

JUNOT, Jean-Adoche. Diário da I Invasão Francesa. Trad. de Manuel Ruas. Int. de António Ventura. Lisboa, Livros Horizonte, 2008.

JUNOT. Proclamação de Junot aos Habitantes de Lisboa. Lisboa, Impressão Régia, 1808.

LASLETT, Peter. O Mundo que Nós Perdemos. Trad. de Alexandre P. Torres e Hermes Serrão. Lisboa, Cosmos, 1975.

MACEDO, Jorge Borges de. O Bloqueio Continental. Economia e Guerra Peninsular. 2a ed. rev. Lisboa, Gradiva, 1990.

MEMÓRIA de Tudo Quanto se Passou no Tempo, em que Servi de Juiz do Povo em 1808, para Ser Presente a S. A. R., o Príncipe Regente Nosso Senhor; Seu Amigo de Lisboa sobre a Guerra Sebástica. Lisboa, Impressão Régia, 1810.

NEVES, J. Acúrsio das. Obras Completas de José Acúrsio das Neves. v. 1: História Geral da Invasão dos Franceses em

Portugal e da Restauração deste Reino. [1810]. Estudos introdutórios de Antonio Almodovar e Armando de Castro. Porto, Afrontamento, 1984.

NEVES, Lúcia Maria Bastos P. Napoleão Bonaparte: Imaginário e Política em Portugal (c. 1808-1810). São Paulo, Alameda, 2008.

O ÚLTIMO Desengano dos Sebastianistas Dado e Recebido nas Trovas do Pretinho do Japão. Lisboa, Offic. de Antonio

Rodrigues Galhardo, 1821.

PEDREIRA, Jorge Miguel Viana. Estrutura Industrial e Mercado Colonial: Portugal e Brasil (1780-1830). Lisboa, Difel, 1994.

PEREIRA, José Esteves Pereira. O Pensamento Político em Portugal no Século XVIII. Antonio Ribeiro dos Santos. Lisboa,

Instituto Nacional de Investigação Científica, 1983.

PERFÍDIA ou Política Infernal. Diálogo entre Lucifer e Bonaparte. Lisboa, Typografia Lacerdina, 1808.

POCOCK, J. G. A. “Burke and the Ancient Constitution: a Problem in the History of Ideas”, in Politics, Language and Time. Essays on Political Thought and History, New York, Atheneum, 1971.

PROTEÇÃO à Francesa. Rio de Janeiro, Impressão Régia, 1809.

RECEITA Especial para Fabricar Napoleões, Traduzida de um Novo Exemplar Impresso em Espanhol por um Amigo de Ganhar Vinténs. (É Infalível). Reimpresso no Rio de Janeiro, Imp. Régia, 1809.

REIS, A. do Carmo. Invasões Francesas. As Revoltas do Porto contra Junot. Lisboa, Editorial Notícias, [1991].

SANTOS, Maria Helena Carvalho dos. “A Evolução da Idéia de Constituição em Portugal”, in Revista de História das Idéias. A Revolução Francesa e a Península Ibérica. 10. Coimbra, 1988, pp. 435-56.

SCHMITT, Carl. O Conceito do Político. Trad. de Alvaro L. M. Valls. Petrópolis, Vozes, 1992.

SILBERT, Albert. Portugal na Europa Oitocentista. Trad. de Maria João Vaz. Lisboa, Salamandra, 1998.

SONHO de Napoleão. Lisboa, Off. de João Evangelista Garces, 1809.

SOUZA, Laura de Mello e. “Fugas de Reis: Histórias Conectadas”. Conferência de encerramento do Congresso Internacional 1808: a Corte no Brasil. Niterói, Universidade Federal Fluminense, 2008.

THOMPSON, E. P. “A Economia Moral da Multidão Inglesa no Século XVIII”, in Costumes em Comum. Estudos sobre a

Cultura Popular Tradicional. Trad. de Rosana Eichemberg. São Paulo, Companhia das Letras, 1998, pp. 150-202.

VALENSI, Lucette. Fábulas da Memória. A Batalha de Alcácer Quibir e o Mito do Sebastianismo. Trad. de Maria Helena

F. Martins. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1994.

VICENTE, Antonio Pedro. “José Accursio das Neves, Panfletário Antinapoleônico”, in Ler História, 17. Lisboa, 1989, pp. 113-27.

VILLALTA, Luiz Carlos. 1798-1808. O Império Luso-brasileiro e os Brasis. São Paulo, Companhia das Letras, 2000.

Downloads

Publicado

2008-09-01

Como Citar

NEVES, Lúcia Maria Bastos P. Portugal durante a ausência do rei . Revista USP, São Paulo, Brasil, n. 79, p. 10–21, 2008. DOI: 10.11606/issn.2316-9036.v0i79p10-21. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/13690.. Acesso em: 14 jul. 2024.