Indicadores de desempenho, ciência brasileira e a cobertura das bases informacionais

Autores

  • Jacqueline Leta Universidade Federal do Rio de Janeiro; Instituto de Bioquímica Médica; Programa de Educação, Gestão e Difusão em Biociências

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i89p62-77

Palavras-chave:

cientometria, ciência brasileira, bases informacionais

Resumo

A elaboração e organização de mecanismos para avaliar e monitorar as atividades científicas tornou-se uma prática rotineira entre os diversos órgãos de fomento de países desenvolvidos a partir dos anos de 1960. Observa-se, assim, que, juntamente com a avaliação pelos pares, o desempenho da ciência e dos cientistas passou a ser medido e avaliado por parâmetros objetivos, sendo muitos deles do escopo dos estudos da cientometria. Ao longo das últimas décadas, o interesse por indicadores de produtividade (número de publicações) e de visibilidade (número de citações) disseminou-se, sendo amplamente utilizados na maior parte dos países. No Brasil, esse processo não foi diferente; as principais agências têm se apropriado desses indicadores tanto para divulgar e estimar o desempenho da ciência brasileira assim como para dar suporte a modelos de avaliação individuais e institucionais, como no caso dos programas de pós-graduação. Este texto pretende contextualizar a cientometria nos mecanismos de monitoramento da ciência, assim como dar um panorama das principais características da ciência brasileira, apontadas em diferentes estudos cientométricos e, por fim, discutir as limitações das principais bases informacionais que têm servido de fonte para estudos dessa natureza.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-05-01

Como Citar

Leta, J. (2011). Indicadores de desempenho, ciência brasileira e a cobertura das bases informacionais . Revista USP, (89), 62-77. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i89p62-77