Reforma do Ensino Médio e a formação técnica e profissional

Autores

  • Evaldo Piolli Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Educação
  • Mauro Sala Instituto Federal de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.i127p69-86

Palavras-chave:

Reforma do Ensino Médio, Dualismo estrutural, Trabalho e educação

Resumo

Este trabalho analisa as implicações da reforma do Ensino Médio e seus desdobramentos nas mudanças curriculares previstas com a introdução dos itinerários formativos, em especial de formação técnica e profissional. A centralidade dada, na reforma, ao itinerário de formação técnica e profissonal e sua implementação, como no caso da rede estadual paulista, se apresenta como um elemento que reproduz e aprofunda o dualismo estrutural, criando outra dualidade dentro dessa dualidade através da oferta predominante de modalidades de cursos de qualificação aligeirados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evaldo Piolli, Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Educação

Professor da Faculdade de Educação da Unicamp e líder do Grupo de Estudos Trabalho, Saúde e Subjetividade (NETSS/FE/Unicamp

Mauro Sala, Instituto Federal de São Paulo

Professor de Sociologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), campus de Hortolândia.

Referências

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo, Boitempo, 2000.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 11/11/2020.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera a Lei n º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm. Acesso em: 11/11/2020.

BRASIL. Medida provisória nº 746, de 22 de setembro de 2016. Institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral.

Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/mpv/mpv746.htm. Acesso em: 11/11/2020.

BRASIL; MEC; CNE. Resoluçã o no 3, de 21 de novembro de 2018a. Atualiza as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=102481-rceb003-18&category_slug=novembro-2018-pdf&Itemid=30192 Acesso em: 11/11/2020.

BRASIL; MEC; CNE. Resoluçã o no 4, de 17 de dezembro de 2018b. Institui a Base Nacional Comum Curricular na Etapa do Ensino Médio (BNCC-EM). Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2018-pdf/104101-rcp004-18/file. Acesso em: 11/11/2020.

FREITAS, L. C. de. A reforma empresarial da educação: nova direita, velhas ideias. São Paulo, Expressão Popular, 2018.

KUENZER, A. Z. “Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relaçõ es entre educaçã o e trabalho”, in J. C. Lombardi; D. Saviani & J. L. Sanfelice (orgs.). Capitalismo, trabalho e educação. Campinas, Autores Associados, 2005.

KUENZER, A. Z. “Trabalho e escola: a flexibilização do Ensino Médio no contexto do regime de acumulação flexível”. Revista Educação e Sociedade, v. 38, n. 139. Campinas, abr.-jun./2017, pp. 331-54.

LAVAL, C. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. Londrina, Planta, 2004.

NEVES, L. M. W. “A sociedade civil como espaço estratégico de difusão da nova pedagogia da hegemonia”, in L. M W. Neves. A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo, Xamã. 2005.

MÉSZÁROS, I. Teoria da Alienação em Marx. São Paulo, Boitempo, 2006. OESP. “Reforma do Ensino Médio esbarra em falta de estrutura e recursos”, 2017

Disponível em: https://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,reforma-do-ensinomedio-esbarra-em-falta-de-estrutura-e-recursos,70001824448. Acesso em: 25/8/2020.

PIOLLI, E.; SALA, M. “O Novotec e a implementação da Reforma do Ensino Médio na rede estadual paulista”. Crítica Educativa, v. 5, n. 1. Sorocaba, jan.-jun./2019, pp. 183-98.

PIOLLI, E.; SALA, M. “Itinerário técnico e profissional na reforma do Ensino Médio paulista: dualidade e dualidade da dualidade”. Ideias de Esquerda, 9/8/2020.

SAHLBERG, P. “The Global Educational Reform Movement and Its Impact on Schooling”, in K. Mundy et al. (eds.). The handbook of global education policy. New Jersey, Wiley-Blackwell, 2016, pp. 128-44.

SÃO PAULO; SE; CEE. Resolução de 3-8-2020. Homologando, com fundamento no artigo 2o da Lei Federal 10.403, de 6-7-1971, a Deliberação CEE 186/2020, que “Fixa normas relativas ao Currículo Paulista do Ensino Médio para a rede estadual, rede privada e redes municipais que possuem instituições vinculadas ao Sistema de Ensino do Estado de São Paulo, e dá outras providências”.

SOUZA, I. “A pedagogia gerencialista do capital: neoliberalismo, empresariamento e mercadorização da educação ‘pública’-estatal”. Tese de doutorado. Campinas, Faculdade de Educação da Unicamp, 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

Piolli, E., & Sala, M. (2020). Reforma do Ensino Médio e a formação técnica e profissional. Revista USP, (127), 69-86. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.i127p69-86

Edição

Seção

Dossiê ensino público