De onde vêm essa voz e seu grito? Reflexões sobre o primeiro Jorge Amado, protagonista do romance de 1930

Autores

  • Thiago Mio Salla Universidade de São Paulo
  • Roberto Amado Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.i127p145-158

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Mio Salla, Universidade de São Paulo

Professor e pesquisador da ECA/USP e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa da FFLCH/USP.

Roberto Amado, Universidade de São Paulo

Jornalista, escritor e mestrando no Programa de Pós-Graduação em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa da FFLCH/USP.

Referências

ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno de. Jorge Amado: política e literatura. Rio de Janeiro, Campus, 1979.

ALMEIDA, José Maurício Gomes de. A tradição regionalista no romance brasileiro (1875-1945). 2ª ed. Rio de Janeiro, Topbooks, 1999.

AMADO, Jorge. “Evolução da poesia brasileira”. A Batalha. Rio de Janeiro, 20/11/1932, p. 1.

AMADO, Jorge. “A academia e o Brasil Integral”. Revista Momento, ano I, n. 2. Rio de Janeiro, 1º/12/1933a, s/p.

AMADO, Jorge. “O gororoba”. Boletim de Ariel, ano III, n. 3. Rio de Janeiro, 3/12/1933b, p. 71.

AMADO, Jorge. “Apontamentos sobre o moderno romance brasileiro”. Lanterna Verde, n. 1. Rio de Janeiro, maio/1934a, pp. 48-51.

AMADO, Jorge. “Trecho de biografia”. Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 5/12/1934b, pp. 3-5.

AMADO, Jorge. “A volta de um romancista”. Boletim de Ariel, ano IV, n. 6. Rio de Janeiro, mar./1935a, pp. 158-9.

AMADO, Jorge. “Poeta sem assunto”. Revista Acadêmica, ano III, n. 15. Rio de Janeiro, nov./1935b, p. 6.

AMADO, Jorge. “Romance moderno”. Diário de Notícias. Rio de Janeiro, 22/12/1935c, p. 19.

AMADO, Jorge. País do carnaval, Cacau, Suor. São Paulo, Martins, 1974.

AMADO, Jorge. Navegação de cabotagem. Rio de Janeiro, Record, 1992.

ANDRADE, Mário de. O empalhador de passarinho. São Paulo, Martins, 1972.

BUENO, Luís. “Os três tempos do romance de 30”. Teresa, n. 3. São Paulo, 26/12/2002, pp. 254-83.

BUENO, Luís. Uma história do romance de 30. São Paulo, Edusp, 2015.

CANDIDO, Antonio. Educação pela noite e outros ensaios. São Paulo, Ática, 1989.

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira. 2 vols. Belo Horizonte/Rio de Janeiro, Itatiaia, vol. 2 (1836-1880), s/d.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade. São Paulo, Nacional, 1965.

CANO, Wilson. “Da década de 1920 a 1930: transição à crise e à industrialização no Brasil”. Revista de Políticas Públicas, v. 16, n. 1, jan.-jun./2012, pp. 79-90.

CASTRO, Moacyr Werneck de. “Sobre um romance do norte”. Revista Acadêmica, ano II, n. 10. Rio de Janeiro, abr./1935, s.p.

DUARTE, Eduardo de Assis. Jorge Amado: romance em tempo de utopia. Rio de Janeiro, Record, 1996.

FREYRE, Gilberto. “Sociologia e literatura”. Lanterna Verde, n. 4. Rio de Janeiro, nov./1936, pp. 15-8.

HALLEWELL, Laurence. O livro no Brasil (sua história). São Paulo, T.A. Queiroz/Edusp, 1985.

JORGE AMADO: 30 anos de literatura. São Paulo, Martins, 1961.

JUREMA, Aderbal. “Literatura revolucionária e reacionária”. Boletim de Ariel, ano III, n. 8. Rio de Janeiro, maio/1934, p. 217.

LAFETÁ, João Luiz. 1930: a crítica e o modernismo. São Paulo, Editora 34/Duas Cidades, 2000.

MELLO, Mário Vieira de. Desenvolvimento e cultura. O problema do esteticismo no Brasil. São Paulo, Nacional, 1963.

OLIVEIRA, José Osório de. História breve da literatura brasileira. Lisboa, Inquérito, 1939.

PAES, José Paulo. De Cacau a Gabriela, um percurso pastoral. Salvador, Casa das Palavras/Fundação Jorge Amado, 1991.

RAILLARD, Alice. Conversando com Jorge Amado. Rio de Janeiro, Record, 1962.

SALLA, Thiago Mio. “Literatura, política e legitimação institucional: o romance de 1930 e o Modernismo de 1922 segundo a retórica estado-novista”. Teresa, n. 16. São Paulo, 2015, pp. 117-134.

TATI, Miécio. Jorge Amado: vida e obra. Belo Horizonte, Itatiaia, 1961.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

Salla, T. M., & Amado, R. (2020). De onde vêm essa voz e seu grito? Reflexões sobre o primeiro Jorge Amado, protagonista do romance de 1930. Revista USP, (127), 145-158. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.i127p145-158