A escola das facas ou A trivalência da lâmina

Autores

  • Jean Pierre Chauvin Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.i130p143-154

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Jean Pierre Chauvin, Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes

    Professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP

Referências

ANDRADE, C. D. “Procura da poesia”, in Obra completa. Rio de Janeiro, Nova Aguilar, 1964, pp. 138-9.

BARBOSA, J. A. B. A imitação da forma: uma leitura de João Cabral de Melo Neto. São Paulo, Duas Cidades, 1975.

BORSATO, F. R. “Princípios ecfrásticos em Paisagens com figuras, de João Cabral”. Signótica (UFG), n. 32. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/sig/article/view/58769. Acesso em: 8/12/2020.

CAMPOS, G. Pequeno dicionário de poética. Rio de Janeiro, Edições de Ouro, 1960.

CAMPOS, H. “O geômetra engajado”, in Metalinguagem e outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. 4ª ed. São Paulo, Perspectiva, 2006, pp. 77-88.

CARVALHO, M. S. F. Preambulares do livro seiscentista em Portugal e no Brasil. Teresina, Editora Universitária da UFPI/Fapepi, 2009.

CARVALHO, R. S. A Espanha de João Cabral e Murilo Mendes. São Paulo, Editora 34, 2011.

DONNE, J. The complete poetry and selected prose. New York, The Modern Library, 2001.

ESCOREL, L. A pedra e o rio: uma interpretação da poesia de João Cabral de Melo Neto. São Paulo, Duas Cidades, 1973.

HANSEN, João Adolfo. “O discreto”, in Agudezas seiscentistas e outros ensaios. Org. Cilaine Alves Cunha e Mayra Laudanna. São Paulo, Edusp, 2019, pp. 97-122.

LE CORBUSIER. Vers une archicteture. Paris, Les Éditions G. Crés et Cie, 1923.

LIMA, L. C. Lira e antilira (Mário, Drummond, Cabral). Rio de Janeiro, Civilização brasileira, 1968 .

LIMA, L. C. “Sobre Bandeira e Cabral”. Revista USP, 2001, pp. 39-45.

MARQUES, P. “O rio do poema: João Cabral antiépico”. Revista Brasileira (ABL), ano III, n. 102, 2002, pp. 121-42.

MELO NETO, J. C. A escola das facas. Rio de Janeiro, José Olympio, 1980.

MELO NETO, J. C. “A inspiração e o trabalho de arte”, in Obra completa. 3ª reimp. Rio de Janeiro, Nova Aguilar, 1999, pp. 723-38.

MELO NETO, J. C. Morte e vida severina: auto de natal pernambucano. Rio de Janeiro, Alfaguara, 2016.

NUNES, B. João Cabral de Melo Neto. 2ª ed. Petrópolis, Vozes, 1974.

OLIVEIRA, M. “Introdução geral”, in J. C. Melo Neto. Obra completa. 3ª reimp. Rio de Janeiro, Nova Aguilar, 1999, pp. 15-38.

OLIVEIRA, W. A. O gosto dos extremos: tensão e dualidade na poesia de João Cabral de Melo Neto, de Pedra do sono a Andando Sevilha. São Paulo, Edusp, 2012.

PEIXOTO, S. A. A consciência criadora na poesia brasileira: do Barroco ao Simbolismo. São Paulo, Annablume, 1999.

REBUZZI, S. O idioma pedra de João Cabral. São Paulo, Perspectiva, 2010.

RICIERI, F. W. “Duas execuções musicais”. Diadorim (UERJ), vol. 22, n. 1, 2020, pp. 384-408.

SAMPAIO, M. L. P. Processos retóricos na obra de João Cabral de Melo Neto. Assis/São Paulo, IHLPA/Hucitec, 1978.

SECCHIN, A. C. “A família reescrita [A escola das facas]”, in João Cabral: uma fala só lâmina. São Paulo, Cosac Naify, 2014, pp. 289-314.

SECCHIN, A. C. João Cabral: a poesia do menos. São Paulo/Brasília, Duas Cidades/INL, 1985.

SHIGUEHARA, A. K. Ao longo do rio: João Cabral e três poemas do Capibaribe. São Paulo, Hedra, 2010.

SILVARES, L. Nenhum homem é uma ilha: John Donne e a poética da agudeza. São Paulo, FAP-Unifesp, 2015.

TEIXEIRA, I. “A poesia aguda do engenhoso fidalgo Manuel Botelho de Oliveira”, in M. B. Oliveira. Música do Parnaso. Cotia, Ateliê Editorial, 2005, pp. 7-96 [edição fac-similar].

Downloads

Publicado

2021-10-18

Como Citar

CHAUVIN, Jean Pierre. A escola das facas ou A trivalência da lâmina. Revista USP, São Paulo, Brasil, n. 130, p. 143–154, 2021. DOI: 10.11606/issn.2316-9036.i130p143-154. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/191463.. Acesso em: 17 jul. 2024.