De que maneira a ideologia afeta a disposição a se vacinar contra o Sars-Cov-2?

Autores

  • Lorena G. Barberia Universidade de São Paulo
  • Isabel Seelaender Costa Rosa Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.i131p47-64

Palavras-chave:

vacinas, vacinação, hesitação vacinal, Brasil, ideologia

Resumo

Desde o início da pandemia de covid-19, houve grande interesse acerca do papel intermediário exercido pela política e da maneira pela qual ela afeta decisões governamentais e individuais sobre o desenvolvimento e a procura por vacinas, bem como da implementação da vacinação. Um fator adicional que tem contribuído para a politização desses processos tem sido a difusão de informações falsas através das mídias sociais relacionadas ao vírus e às vacinas. Neste artigo, exploramos a forma como as atitudes acerca dos imunizantes desenvolvidos para proteger a população dos sintomas mais graves causados pelo Sars-Cov-2 estão correlacionadas com a ideologia. Utilizamos os dados provenientes da pesquisa “Valores em Crise” para analisar em que medida as atitudes dos eleitores em relação à vacinação afetam a probabilidade individual de vacinação contra o Sars-Cov-2.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2021-12-10

Edição

Seção

Dossiê pandemia: valores em crise

Como Citar

BARBERIA, Lorena G.; ROSA, Isabel Seelaender Costa. De que maneira a ideologia afeta a disposição a se vacinar contra o Sars-Cov-2?. Revista USP, São Paulo, Brasil, n. 131, p. 47–64, 2021. DOI: 10.11606/issn.2316-9036.i131p47-64. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/193315.. Acesso em: 19 jul. 2024.