O CENTRO-OESTE ANTES DE CABRAL

Autores

  • JORGE EREMITES DE OLIVEIRA Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
  • SIBELI APARECIDA VIANA Universidade Católicade de Goiás. Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i44p142-189

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • JORGE EREMITES DE OLIVEIRA, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

    é Doutor e Mestre em História, com Área de Concentração em Arqueologia, pela PUCRS - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2002, 1995), e Licenciado em História pela UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1991).

  • SIBELI APARECIDA VIANA, Universidade Católicade de Goiás. Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia

    Faz parte do Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia Universidade Católica de Goiás.

Referências

Ab’Sáber, A. N. 1988 O Pantanal Mato-grossense e a teoria dos refúgios. Revista Brasileira de Geografia, 50: 9-57, Rio de Janeiro.

________. 1994 Redutos florestais, refúgios de fauna e refúgios de homens. Revista de Arqueologia, 8(2): 1-35, São Paulo.

Adámoli, J. 1986 Fitogeografia do Pantanal. Anais do I Simpósio sobre Recursos Naturais e Sócio-econômicos do Pantanal, Corumbá-MS, pp. 105-6.

Anais da Conferência Internacional sobre o Povoamento das Américas. 1996 Fumdhamentos, 1(1), São Raimundo Nonato.

Andreatta, M. D. 1982 Padrões de povoamento em pré-história goiana: análise de sítio tipo. Tese de Doutorado, USP, São Paulo.

________. 1985 Projeto Anhangüera de Arqueologia de Goiás (1975-1985). Revista do Museu Paulista, 33: 143-56. São Paulo.

Ataídes, J. 1998 Sob o signo da violência: colonizadores e Kayapó do Sul no Brasil Central. EdUCG, Goiânia.

Barbosa, A. S. 1981-1984 O período arqueológico Arcaico em Goiás. Anuário de Divulgação Científica, 10: 85-97, Goiânia.

Beber, M. V. 1994 Arte Rupestre do Nordeste do Mato Grosso do Sul. Dissertação de Mestrado, Unisinos, São Leopoldo.

Becquelin, P. 1993 Arqueologia Xinguana. In: Coelho, V. P. (org.), Karl von den Steinein: Um Século de Antropologia no Xingu, pp.223-32. Edusp, São Paulo.

Bird-David, N. H. 1995. Hunters and gatherers and other people – a re-examination. In: Ingold, Riches e Woodburn (eds.), Hunters and Gatheres: History, Evolution and Social Change. Washington.

Boggiani, P. C.; Coimbra, A. M. 1995 Quaternary Limestones of Pantanal Area, Brazil. Anuário da Academia Brasileira de Ciências, 67(3): 343-9, Rio de Janeiro.

Boggiani, P. C. et al. 1998 Significado paleoclimático das lentes calcárias do Pantanal de Miranda – Mato Grosso do Sul. Anais do 400 Congresso Brasileiro de Geologia, p. 88, Belo Horizonte.

Brochado, J. P. 1984 An Ecological Model of the Spread of Pottery and Agriculture Into Eastern South America. Tese de Doutorado, University of Ilinois at Urbana-Champaign, Urbana-Champaign.

________. 1989 Expansão dos Tupi e da cerâmica da Tradição Policrômica Amazônica. Dédalo (27): 65-82. São Paulo.

Caggiano, M. A. 1984 Prehistoria del N.E. Argentino: sus vinculaciones con la República Oriental del Uruguay y Sur de Brasil. Pesquisas, Série Antropologia, 38, São Leopoldo.

________. 1994 Arqueología de las tierras bajas del Chaco Austral (Argentina). Revista de Arqueologia, 8(2): 205-18, São Paulo.

Carneiro, R. 1956 Slash-and-burn agriculture: a closer look at its implications for settlement patterns. In: Wallace, A. F. C (ed.), Men and Cultures. Selected Papers of the V International Congress of Anthropological and Ethnological Scienses, pp. 229-34. University of Pensilvania, Philadelphia.

Carvalho, S. M. S. 1992 Chaco: encruzilhada de povos e “melting pot” cultural, suas relações com a bacia do Paraná e o Sul mato-grossense. In: Cunha, M. C. da (org.), História dos Índios no Brasil, pp. 457-74. Fapesp/Companhia das Letras/SMC, São Paulo.

Cunha, N. G. et al. 1985 Solos Calcimórficos da Sub-Região do Abobral, Pantanal Mato-grossense. Série Circular Técnica 19. Embrapa, Corumbá.

Dias, O. F. 1981 Pesquisas Arqueológicas no Sudeste Brasileiro – II. Boletim do Instituto de Arqueologia Brasileira, 2:1-22, Rio de Janeiro.

Fensterseifer, E.; Schmitz, P. I. 1975 Fase Iporá: uma fase Tupiguarani no sudoeste de Goiás. Anuário de Divulgação Científica, Goiânia, (2): 19-7.

Ferrer, D. 1952 Ânua do padre Diogo Ferrer para o provincial sôbre a geografia e etnografia dos indígenas do Itatim (21-8-1633). In: Cortesão, J. Jesuítas e Bandeirantes no Itatim (1596-1760), pp. 29-49. Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro.

Fiedel, S. J. 1996 Prehistoria de América. Tradução de M. Ríos. 2a ed. Crítica, Barcelona.

Fogaça, E. 1991 A tradição Itaparica e as indústrias líticas pré-cerâmicas da Lapa do Boquete (MG-Brasil). Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, (5): 145-58.São Paulo.

Francischini, S. (org.). 1996 Pantanal: um passeio pelo paraíso ecológico. Enciclopédia multimídia em cd-rom. Posthage/Embrapa/Sebrae, Campo Grande.

Girelli, M. 1994 Lajedos com gravuras na região de Corumbá, MS. Dissertação de Mestrado, Unisinos, São Leopoldo.

________. 1996 Pesquisas arqueológicas no Pantanal do Mato Grosso do Sul. Estudos Leopoldenses, 32(147): 91-107. São Leopoldo.

González, E. M. R. 1996a. A ocupação ceramista pré-colonial do Brasil Central: origens e desenvolvimento. Tese de Doutorado, USP, São Paulo.

________. 1996b Os grupos ceramistas pré-coloniais do Centro-Oeste brasileiro. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, 6: 83-121. São Paulo.

Heckenberger, M. J. 1998 Manioc agriculture and sedentarism in Amazonia: the Upper Xingu example. Antiquity, 72: 633-48.

Herberts, A. L. 1998 Os Mbayá-Guaicurú: área, assentamento, subsistência e cultura material. Dissertação de Mestrado, Unisinos, São Leopoldo.

Kashimoto, E. M. 1997 Variáveis ambientais e Arqueologia no Alto Paraná. Tese de Doutorado, USP, São Paulo.

Kipnis, R. 1998 Early hunter-gatheres in the Americas: perspectives from central Brazil. Antiquity, 72: 581-92. La Salvia, F.; Brochado, J. P. 1989 Cerâmica Guarani. 2a ed. Posenato Arte e Cultura, Porto Alegre.

Lahr, M. M.; Neves, W. (org.). Dossiê “Surgimento do Homem na América”. Revista USP, 34: 5-106. São Paulo.

Magalhães, N. W. de. 1992 Conheça o Pantanal. Terragraph, São Paulo, 1992.

Martins, D. 1996 Relatórios de levantamento e Resgate de Serra da Mesa. Museu Antropológico – UFG, Goiânia.

________. 1998 Materiais arqueológicos: indústrias líticas. Projeto de Salvamento Arqueológico Pré-histórico da UHE – Serra da Mesa, v. 2. Museu Antropológico-UCG, Goiânia.

Martins, G. R. 1996 Arqueologia do Planalto de Maracaju-Campo Grande: o estudo do sítio Maracaju-1 através da análise quantitativa de sua indústria lítica. Tese de Doutorado, USP, São Paulo.

________. 1998 Relatório de registro de sítios arqueológicos em Rio Negro-MS. Fronteiras, 2(4): 223-50. Campo Grande.

Martins, G. R.; Kashimoto, E. M. 1998 Arqueologia na área impactada pelo Gasoduto Bolívia-Brasil: trecho Terenos Três Lagoas/MS. Revista do Museu e Arqueologia e Etnologia, 8: 87-107. São Paulo.

Martins, G. R.; Kashimoto, E. M. 1999a Resgate arqueológico na área do Gasoduto Bolívia/Brasil em Mato Grosso do Sul. EdUFMS, Campo Grande.

Martins, G. R.; Kashimoto, E. M. 1999b Projeto de Salvamento Arqueológico na Área Impactada pelo Gasoduto Bolívia/Mato Grosso (Trecho Brasileiro). Primeiro Relatório Trimensal. Fapec-UFMS/Gasocidente do Mato Grosso Ltda., Campo Grande (não publicado).

Martins, G. R.; Kashimoto, E. M. 1999c Projeto “Salvamento Arqueológico na Área Impactada pelo Gasoduto Bolívia/Mato Grosso: Trecho Brasileiro”. Anais da X Reunião Científica da Sociedade de Arqueologia Brasileira, Recife (no prelo).

Mazz, J. M. L. 1994 Uso y organización del espacio en las tierras bajas de la cuenca de la Laguna Merín. Revista de Arqueologia, 8(2): 181-204. São Paulo.

________. 1998 La construcción de túmulos entre cazadores-coletores complexos del Este de Uruguay: la emergencia de la complejidade entre cazadores-coletores. Fronteiras, 2(4): 297-310. Campo Grande.

Meggers, B. J. 1954 Environment limitation on the development of culture. American Anthropologist, (56): 801-24. Mello, P. et al. 1996 Levantamento e resgate do patrimônio arqueológico da área diretamente afetada pela Usina Hidrelétrica Corumbá (GO). Relatório Final. IGPA-UCG, Goiânia.

Miller, E. T. 1983 História da cultura indígena do alto-médio Guaporé (Rondônia e Mato Grosso). Dissertação de Mestrado, PUCRS, Porto Alegre.

________. 1987 Pesquisa arqueológica paleoindígena no Brasil Ocidental. Estudios Atacameños, 8: 37-61. San Pedro de Atacama.

Miranda, J. I. et al. 1967 Nota sobre restos arqueológicos del Chaco (Prov. Argentina). Suplemento Antropológico, 2(2): 415-23. Asunción.

Moreira, E. 1981-1984 Análise dos restos de alimentos de origem animal – Programa Arqueológico de Goiás, recolhidos nas escavações do abrigo GO-JA-01. Anuário de Divulgação Científica, 10: 98-112. Goiânia.

Neves, W. A. et al. 1996 Incidência de cáries na população de Santana do Riacho e o mito do paleoíndio caçador. IV Congreso de La Asociación Latino Americana de Antropología Biológica, Buenos Aires.

Noelli, F. S. 1993. Sem Tekohá não há Teko: em busca de modelo etnoarqueológico da aldeia e da subsistência Guarani… Dissertação de Mestrado, PUCRS, Porto Alegre.

Oliveira, J. E. de. 1994 A utilização da analogia etnográfica no estudo dos aterros da região pantaneira de Corumbá, MS. Revista de Arqueologia, 8(2): 159-67. São Paulo.

Oliveira, J. E. de. 1995 Os argonautas Guató… Dissertação de Mestrado, PUCRS, Porto Alegre.

________. 1996 Guató – Argonautas do Pantanal. Edipucrs, Porto Alegre.

________. 1997a Ambiente e cultura no contexto da ocupação indígena das áreas inundáveis da planície de inundação do Pantanal. Notícias de Antropología y Arqueología, Revista Eletrónica, 19: 1-19. Buenos Aires.

________. 1997b A teoria dos refúgios e a ocupação indígena das áreas inundáveis do Pantanal. Revista de Geografia, 6: 23-30. Campo Grande.

________. 1997c Levantamento arqueológico, para fins de diagnóstico de bens pré-históricos, em áreas de implantação de dutovias. In: Caldarelli, S. B. (org.), Atas do Simpósio sobre Política Nacional do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural, pp. 28-34. IGPA-UCG/Fórum Interdisciplinar para o Avanço da Arqueologia, Goiânia.

________. 1997d A Hidrovia Paraguai-Paraná e o patrimônio arqueológico brasileiro: denúncia de um caso de sofisma. Fronteiras, 1(2): 47-64. Campo Grande.

________. 1998 O sítio arqueológico existente no km 29 do Gasoduto Bolívia-Brasil em Corumbá-MS: relatório final. UFMS-Fapec/Petrobras, Dourados, (não publicado).

Oliveira, J. E. de; Peixoto, J. L. dos S. 1997 Prospecção arqueológica na área a ser diretamente impactada pelo Gasoduto Bolívia-Brasil em Mato Grosso do Sul (km Zero-350). UFMS-Fapec/Petrobras, Corumbá/Dourados (não publicado).

Olmedo, M. N. 1966 El Gran Chaco Paraguayo: amparo de civilización y progresso. Asunción. Pardi, M. L. 1995 Frentes de expansão: seu potencial e impacto sobre o patrimônio arqueológico – o caso da Amazônia Mato-grossense e a partir de um reconhecimento da 14a CR/Iphan. In: Kern, A. A. (org.), Anais da VIII Reunião Científica da SAB, v. 1, pp. 289-306. Edipucrs, Porto Alegre.

Passos, J. A. de M. B. 1975 Alguns petróglifos em Mato Grosso com apêndice sobre outros do Paraguai e Bolívia. Tese de Livre-Docência, USP, São Paulo.

Peixoto, J. L. dos S. 1995 A ocupação Tupiguarani na borda oeste do Pantanal Sul-Mato-grossense: Maciço do Urucum. Dissertação de Mestrado, PUCRS, Porto Alegre.

Petrullo, V. M. 1932 Primitive peoples of Matto Grosso. The Museum Journal, 2(23): 91-178. Philadelphia. Prous, A. 1992 Arqueologia Brasileira. EdUnB, Brasília.

Renfrew, C.; Bahn, P. 1998 Arqueología: teorías, métodos y práctica. Traducción de M. J. M. Rial. 2a ed. Akal, Madrid. Ribeiro, M. et al. 1988 Projeto de Levantamento do Potencial Arqueológico da UHE – Barra do Peixe. IGPA-UCG, Goiânia.

Rogge, J. H.; Schmitz, P. I. 1992 Projeto Corumbá: a cerâmica dos aterros. Anais da VI Reunião Científica da Sociedade de Arqueologia Brasileira, pp. 784-91, Rio de Janeiro.

Rogge, J. H.; Schmitz, P. I. 1994 Projeto Corumbá: a ocupação pelos grupos ceramistas pré-coloniais. Revista de Arqueologia, 8(2): 169-80. São Paulo.

Rosa, A. O. 1997 Programa Arqueológico do Mato Grosso do Sul – Projeto Corumbá: análise preliminar dos restos faunísticos. Biblos, 9: 117-26. Rio Grande.

________. 1998 Os restos faunísticos. Pesquisas, Série Antropologia, 54: 171- 95. São Leopoldo.

Schiffer, M. 1988 The struture of Archaeology. American Antiquity, 53(3): 461-85. Washington.

Schmidt, M. 1912 Reisen in Matto Grosso im Jahre 1910. Zeitschrift für Ethnologie, 44(1): 130-74. Berlin.

________. 1914 Die Guato und ihr Gebiet. Ethnologische und archäologische Ergebnisse der Expedition zum Caracara-fluss in Matto-Grosso. Baessler-Archiv, 4(6): 251-83. Berlin.

________. 1928 Ergebnisse meiner zweijährigen Forschungsreise in Mato-Grosso; September 1926 bis August 1928. Zeitschrift für Ethnologie, 60(1-3): 85-124. Berlin.

________. 1940a Hallazgos Prehistoricos en Matto-Grosso. Revista de la Sociedad Científica del Paraguay, 1(5): 27-62. Asunción.

________. 1940b Nuevos hallazgos de grabados rupestres en Matto Grosso. Revista de la Sociedad Científica del Paraguay, 1(5): 63-71. Asunción.

________. 1942a Estudos de Etnologia Brasileira. Tradução de C. B. Cannabrava, Nacional, São Paulo.

________. 1942b Resultados de mi tercera expedición a los Guatós efectuada en el año de 1928. Revista de la Sociedad Científica del Paraguay, 5(6): 41-75. Asunción.

________. 1951 Anotaciones sobre las plantas de cultivo y los metodos de agricultura de los indígenas sudamericanos. Revista do Museu Paulista, 5: 239-52. São Paulo.

Schmitz, P. I. 1976-1977 Arqueologia de Goiás: seqüência cultural e datações de C14. Anuário de Divulgação Científica. Goiânia.

________. 1980. A evolução da cultura no Sudoeste de Goiás. Pesquisas, Série Antropologia, 31. São Leopoldo.

________. 1981-1982 Novos petroglifos em Goiás, Monte do Carmo, Caiapônia e Serranópolis. Arquivos do Museu de História Natural, 6-7: 409-18. Belo Horizonte.

________. 1984 Caçadores e coletores antigos no Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do Brasil. IAP-Unisinos, São Leopoldo.

________. 1993 Programa Arqueológico do MS – Projeto Corumbá. In: Schmitz, P. I. (org.), Trabalhos Apresentados no VI Simpósio Sul-riograndense de Arqueologia, pp. 40-7. IAP-Unisinos, São Leopoldo.

________. 1997 Pantanal: os primeiros passos da pré-histórica. Ciência Hoje, 129(22): 36-45. Rio de Janeiro.

________. 1998 Arqueologia em Mato Grosso do Sul: dois projetos, dois resultados. Fronteiras, 2(4): 203-23. Campo Grande.

________. 1999a A questão do Paleoíndio. In: Tenório, M. C. (org.), Pré-história da Terra Brasilis, pp. 55-9. EdUFRJ, Rio de Janeiro.

________. 1999b Pescadores-caçadores-coletores do Pantanal do Mato Grosso do Sul. In: Tenório, M. C. (org.), Pré-história da Terra Brasilis, pp. 149-56. EdUFRJ, Rio de Janeiro.

Schmitz, P. I.; Barbosa, A. S. 1985 Horticultores pré-históricos do Estado de Goiás. IAP-Unisinos, São Leopoldo.

Schmitz, P. I. et al. 1978-1980 O Paleoíndio em Goiás. Anuário de Divulgação Científica, 5: 22-4. Goiânia.

Schmitz, P. I. et al. 1981-1982 Os horticultores do Centro-Sul de Goiás. Arquivos do Museu de História Natural, 6-7: 221-34. Belo Horizonte.

Schmitz, P. I. et al. 1982. Arqueologia do Centro-Sul de Goiás: uma fronteira de horticultores indígenas no Centro do Brasil. Pesquisas, Série Antropologia, 33. São Leopoldo.

Schmitz, P. I. et al. 1986 Caiapônia. IAP-Unisinos, São Leopoldo.

Schmitz, P. I. et al. 1989 Arqueologia nos cerrados do Brasil central. Serranópolis I. Pesquisas, Série Antropologia, 44.

Schmitz, P. I. et al. 1991 Os aterros dos campos do Sul: a Tradição Vieira. In: Kern, A. A. (org.), Arqueologia Préhistórica do Rio Grande do Sul, pp. 221-50. Mercado Aberto, Porto Alegre.

Schmitz, P. I. et al. 1997a Serranópolis II. As pinturas e gravuras dos abrigos. IAP-Unisinos, São Leopoldo.

Schmitz, P. I. et al. 1997b O Projeto Corumbá, oito anos de pesquisa no Pantanal do Mato Grosso do Sul. Trabalhos apresentados pela equipe do Instituto Anchietano de Pesquisas por ocasião da IX Reunião Científica da Sociedade de Arqueologia Brasileira. IAP, São Leopoldo.

Schmitz, P. I. et al. 1998 Aterros indígenas no Pantanal do Mato Grosso do Sul. Pesquisas, Série Antropologia, 54. São Leopoldo.

Schuch, M. E. J. 1995 Xaray e Chané: índios frente à expansão espanhola e portuguesa no Alto Paraguai. Dissertação de Mestrado, Unisinos, São Leopoldo.

Silva, C. J. da; Silva, J. A. F. 1995 No Ritmo das Águas do Pantanal. NUPAUB/USP, São Paulo.

Silva, F. A. 1992 Manifestações artísticas pré-históricas: um estudo descritivo-classificatório e interpretativo da arte rupestre de Serranópolis – Goiás. Dissertação de Mestrado, UFRGS, Porto Alegre.

Silva, R. et al. 1997 Resgate arqueológico dos sítios Lourenço e Gengibre. Nacional/IGPA-UCG, Goiânia. Simões, M. 1967 Considerações preliminares sobre a Arqueologia do Alto Xingu (Mato Grosso). Pronapa 1: Resultados Preliminares do Primeiro Ano (1965-1966). Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém.

Simonsen, I. 1975 Alguns sítios arqueológicos da Fase Bambuí em Goiás. Museu Antropológico-UFG, Goiânia.

Simonsen, I.; Oliveira, A. de P. 1976 A cerâmica da Lagoa de Mirararré: notas prévias. Museu Antropológico-UFG, Goiânia.

Simonsen, I. et al. 1983-1984 Sítios cerâmicos da Bacia do Paranã – Goiás. Arquivos do Museu de História Natural, 8-9: 121-9. Belo Horizonte.

Soares, A. L. R. 1997 Guarani: Organização Social e Arqueologia. Edipucrs, Porto Alegre.

Souza, A. M. de. 1997 Dicionário de Arqueologia. Adesa, Rio de Janeiro.

Souza, A. M. de. et al. 1979 Projeto Bacia do Paraná II. Museu Antropológico–UFG, Goiânia.

Souza, A. M. de. et al. 1981-1982 Seqüência Arqueológica da Bacia do Paranã – fases pré-cerâmicas: Cocal, Paranã e Terra Ronca. Arquivos do Museu de História Natural, 6-7: 81-7. Belo Horizonte.

Stern, A. B. de. 1941 Hallazgos arqueológicos en una zona inexplorada del Chaco. Boletín del Museo Colonial, Histórico y de Bellas Artes, 1(1): 11-24. Buenos Aires.

Stern, A. B. 1944 Hallazgos de alfareria decorada en el territorio del Chaco. Relaciones de la Sociedad Argentina de Antropología, (4): 157-61. Buenos Aires.

Susnik, B. J. 1959 Material arqueológico del area alto-paraguayense (Puerto 14 de Mayo). Boletín del la Sociedad Científica del Paraguay y del Museo Etnográfico “Andrés Barbero”, 3(1): 81-103. Asunción.

________. 1961 Clasificación de las poblaciones indígenas del area chaqueña. In: Manual de Etnografia Paraguaya, pp. 209-12. Museo Etnográfico “Andrés Barbero”, Asunción.

________. 1972 Dimenciones migratorias y pautas culturales de los pueblos del Gran Chaco y de su periferia (enfoque etnológico). Suplemento Antropológico, 1-2(7): 85-107. Asunción.

________. 1975 Dispersión Tupi-Guaraní pré-histórica: ensayo analítico. Museo Etnográfico “Andrés Barbero”, Asunción.

________. 1978 Etnografia del Chaco Boreal y su periferia (siglos XVI y XVIII). Série Los Aborígenes del Paraguay I. Museo Etnográfico “Andrés Barbero”, Asunción.

________. 1994 Interpretación Etnocultural de la Complejidad Sudamericana Antigua I (formación y dispersión étnica). Museo Etnográfico “Andrés Barbero”, Asunción.

________. 1995 Interpretación Etnocultural de la Complejidad Sudamericana Antigua I (formación y dispersión étnica). Museo Etnográfico “Andrés Barbero”, Asunción.

________. 1996 Poblados & Vivendas. Manufactura Utilitária (ámbito sudamericano). Serie Manuales del Museo Etnográfico “Andrés Barbero” VI. Museu Etnográfico Andrés Barbero”, Asunción.

________. 1998 Artesanía Indígena. El Lector, Asunción.

Tenório, M. C. (org.) 1999 Pré-história da Terra Brasilis. EdUFRJ, Rio de Janeiro.

Veroneze, E. 1993 A ocupação do planalto central brasileiro: o nordeste do Mato Grosso do Sul. Dissertação de Mestrado, Unisinos, São Leopoldo.

Viana, S. A. 1996 Análise espacial intra-sítio: o estudo do sítio Lourenço (GO-CA-14). Revista de Arqueologia, 9: 65-87. Rio de Janeiro.

________. 1999 Sub-projeto de levantamento do patrimônio arqueológico pré-histórico da região da UHE-Manso/MT. Relatório Final. IGPA-UCG, Goiânia.

Vilhena-Vialou, A.; Vialou, D. 1987 Les peintures pariétales de Santa Elina, Mato Grosso, Brésil. Bulletim de la Societé Prehistorique Française, 84: 10-2. Paris.

Vilhena-Vialou, A.; Vialou, D. 1989 Abrigo pré-histórico Santa Elina, Mato Grosso: habitats e arte rupestre. Revista de Pré-história, 7: 34-53. São Paulo.

Vilhena-Vialou, A.; Vialou, D. 1994 Les premiers peuplements préhistoriques du Mato Grosso. Bulletin de la Société Préhistorique Française, 91(4-5): 257-63. Paris.

Willey, G. R. 1971 An Introduction to American Archaeology, v. 2. Prentice-Hall, Englewood Cliffs.

Willey, G. R.; Phillips, P. 1958 Method and Theory in American Archaeology. University of Chicago Press, Chicago.

Wüst, I. 1975 A cerâmica Karajá de Arauanã. Anuário de Divulgação Científica, 2(2): 95-166 Goiânia.

________. 1983a Aspectos da ocupação pré-colonial em uma área do Mato Grosso de Goiás – tentativa de análise espacial. Dissertação de Mestrado, USP, São Paulo.

________. 1983b A pesquisa etnoarqueológica entre os Bororo do Mato Grosso. Arquivo do Museu de História Natural, 8-9: 285-96. Belo Horizonte.

________. 1989 Aspectos da ocupação pré-colonial em uma área nuclear Bororo entre os rios Vermelho e Garças, MT. Dédalo, Publicações Avulsas, 1: 61-171, São Paulo.

________. 1990 Continuidade e Mudança – para uma interpretação dos grupos ceramistas pré-coloniais da bacia do rio Vermelho, Mato Grosso. Tese de Doutorado, USP, São Paulo.

________. 1992 Contribuições arqueológicas, etnoarqueológicas e etno-históricas para o estudo dos grupos tribais do Brasil central: o caso Bororo. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, 2: 13-26. São Paulo.

________. 1994 The Eastern Bororo from an Archaeological Perspective. In: Roosevelt, A. (ed.), Amazonia Indians from Prehistory to the Present: Anthropological Perspectives, pp. 315-52. The University of Arizona Press, Tucson.

________. 1998a Continuities and discontinuities: archaeology and ethnoarchaeology in the heart of the Eastern Bororo territory, Mato Grosso, Brazil. Antiquity 72(277): 663-75.

________. 1999 As aldeias dos agricultores ceramistas do Centro-Oeste brasileiro. In: Tenório, M. C. (org.), Préhistória da Terra Brasilis, pp. 321-37. EdUFRJ, Rio de Janeiro.

Wüst, I.; Barreto, C. 1999 The ring villages of central Brazil: a challenge for amazonian archaeolgy. Latin American Antiquitity, 10(1): 3-23. Washington.

Wüst, I.; Carvalho, H. B 1996. Novas perspectivas para o estudo dos ceramistas pré-coloniais do Centro-Oeste brasileiro: a análise espacial do sítio Guará 1 (GO-NI-100). Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, 6: 47-81. São Paulo.

Wüst, I.; Migliácio, M. C. 1994 Programa para Preservação do Patrimônio Arqueológico Pantaneiro. Relatório ao IBPC – 14a

Coordenação Regional, Brasília. Goiânia/Cuiabá (não publicado).

Wüst, I.; Schmitz, P. I. 1975. Fase Jataí: estudo preliminar. Anuário de Divulgação Científica II, (2): 71-93. Goiânia.

Wüst, I.; Vaz, L. J. de M. 1998. Grafismos de ação no alto São Francisco, sudeste do Mato Grosso. Revista do Museu Antropológico, 2(1): 47-88. Goiânia.

Downloads

Publicado

1999-02-28

Como Citar

OLIVEIRA, JORGE EREMITES DE; VIANA, SIBELI APARECIDA. O CENTRO-OESTE ANTES DE CABRAL. Revista USP, São Paulo, Brasil, n. 44, p. 142–189, 1999. DOI: 10.11606/issn.2316-9036.v0i44p142-189. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/30098.. Acesso em: 16 jun. 2024.