UMA PERSPECTIVA NÃO ESCOLAR NO ESTUDO SOCIOLÓGICO DA ESCOLA

Autores

  • Marilia Pontes Sposito Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i57p210-226

Resumo

UMA PERSPECTIVA NÃO ESCOLAR NO ESTUDO SOCIOLÓGICO DA ESCOLA.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Marilia Pontes Sposito, Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação

    Professora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo - FE-USP.

Referências

ABRAMO, Helena. Cenas Juvenis; Punks e Darks no Espetáculo Urbano. São Paulo, Escrita, 1994.

ALTHUSSER, L. Ideologia e Aparelhos Ideológicos do Estado. Lisboa, Presença, s/d.

ARAUJO, Carla. A Violência Desce para a Escola. Belo Horizonte, Autêntica, 2002.

ARIÉS, P. História Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro, Zahar, 1978.

AVANCINE, Sérgio. Daqui Ninguém nos Tira: Mães na Gestão Colegiada da Escola Pública. Dissertação de Mestrado. São Paulo, PUC, 1990.

AZEVEDO, Fernando de. Sociologia Educacional. Introdução ao Estudos dos Fenômenos Educacionais e de suas Relações com outros Fenômenos Sociais. São Paulo, Nacional, 1940.

________. Princípios de Sociologia. Pequena Introdução ao Estudo da Sociologia Geral. São Paulo, Melhoramentos, 1964.

BARRÈRE, A. e MARTUCCELLI, D. “La Fabrication des Individus à l’École”, in A. Van Zanten (org.). L’École. L’État des Savoirs. Paris, Éditions la Découverte, 2000.

BAUDELOT, C. e ESTABLET, R. L’École Capitaliste en France. Paris, Maspéro, 1971.

BEISIEGEL, Celso de Rui. Ação Política e Expansão da Rede Escolar. São Paulo, CRPE, Pesquisa e Planejamento, 8, 1964.

________. Estado e Educação Popular. São Paulo, Pioneira, 1974.

BERNSTEIN, Basil. Langage et Classes Socialies. Paris, Minuit, 1975.

BOMFIM, Maria do Carmo. Lutas Populares pela Escola Pública e Gratuita em Teresina. Dissertação de Mestrado. São Paulo, PUC, 1991.

BOONEM, P. Sobre a Vida numa Rua Violenta. Dissertação de Mestrado. FEUSP, 2000.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. Los Estudiantes y la Cultura. Barcelona, Nueva Colección Labor, 1969.

________. A Reprodução: Elementos para uma Teoria do Sistema de Ensino. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1975.

BOURDIEU, P. A Economia das Trocas Simbólicas. São Paulo, Perspectiva, 1974.

________. “De quoi parle-ton- quand on parle du ‘problème de la jeunesse’?”, in François Proust (org.). Les Jeunes et les Autres: Contributions des Sciences de l’Homme à la Question des Jeunes. Vaucresson, CRIV, 1986.

________. La Noblesse d’État. Paris, Minuit, 1989.

________. Escritos de Educação. Organização de M. Nogueira e A. Catani. Rio de Janeiro, Vozes, 1998.

BULE, N. “L’Enseignement Secondaire Face aux Enjeux de la Modernisation Démocratique”, in A. Van Zanten (org.).

L’École. L’ État des Savoirs. Paris, Éditions la Découverte, 2000.

CAIAFA, Janice. Movimento Punk na Cidade. A Invasão dos Bandos Sub. Rio de Janeiro, Zahar, 1985.

CAMPOS, Maria Malta. “Escola e Participação Popular”, in Madeira e Mello (orgs.). Educação na América Latina. São Paulo, Cortez, 1985.

________.“As Lutas Sociais e a Educação”, in Cadernos de Pesquisa, no 79, São Paulo, Fundação Carlos Chagas, nov./1991.

CANDIDO, Antonio. “Tendências no Desenvolvimento da Sociologia da Educação”, in L. Pereira e M. Foracchi.

Educação e Sociedade: Leituras de Sociologia da Educação. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1973.

________. “A Estrutura da Escola”, in Luiz Pereira, Marialice Mencarini Foracchi. Educação e Sociedade: Leituras de Sociologia da Educação. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1973a.

CARDOSO, F. H. e IANNI, O . “As Exigências Educacionais do Processo de Industrialização”, in Revista Brasiliense, 26, São Paulo, 1959.

CARRANO, Paulo C. R. Os Jovens e a Cidade. Rio de Janeiro, Relume Dumará, 2002.

CARVALHO, Marília. Uma Identidade Plural: Estudo de uma Escola na Região Metropolitana de São Paulo. Dissertação de Mestrado. São Paulo, PUC, 1991.

CASTELLS, Manuel. Cidade, Democracia e Socialismo.Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1980.

________. The City and the Grassroots. Berkeley, University of California Press, 1983.

CATANI, A.; CATANI, D.; PEREIRA, G. “Pierre Bourdieu: as Leituras de sua Obra no Campo Educacional Brasileiro”, in Maria de Lourdes Tura (org.). Sociologia para Educadores. Rio de Janeiro, Quartet, 2001.

COSTA, Marcia Regina. Os Carecas de Subúrbio: Caminhos de um Nomadismo Moderno. Petrópolis, Vozes, 1993.

CUNHA, Luiz Antonio. “Educação e Sociedade no Brasil”, in Boletim Informativo e Bibliográfico de Ciências Sociais (BIB), no

, Rio de Janeiro, Anpocs, 1981.

________. “A Educação na Sociologia: um Objeto Rejeitado?”, in Cadernos Cedes, 27, Campinas, Papirus, 1992.

________. “Reflexões sobre as Condições Sociais de Produção da Sociologia da Educação: Primeiras Aproximações”, in Tempo Social, v. 4, n. 1-2, São Paulo, Departamento de Sociologia, 1992 (editado em 1994).

CUNHA CAMPOS, Rogério. A Luta dos Trabalhadores pela Escola.São Paulo, Loyola, 1989.

DAYRELL, Juarez. A Música Entra em Cena: o Rap e o Funk na Socialização da Juventude em Belo Horizonte. Tese de Doutorado. São Paulo, FEUSP, 2001.

DEROUET; VAN ZANTEN; SIROTA. “Approches Ethnographiques en Sociologie de l’Éducation: l’École et la Communauté, l’Établisememnt Scolaire, la Classe”, in Revue Française de Pédagogie, números 78 e 79, Paris, 1990.

DEROUET, Jean Louis. “L’Éducation: un Domaine en Quête de Société”, in Jean-Michel Berthelot. La Sociologie Française Contemporaine. Paris, PUF Fondamental, 2000.

Downloads

Publicado

2003-05-30

Edição

Seção

Textos

Como Citar

SPOSITO, Marilia Pontes. UMA PERSPECTIVA NÃO ESCOLAR NO ESTUDO SOCIOLÓGICO DA ESCOLA. Revista USP, São Paulo, Brasil, n. 57, p. 210–226, 2003. DOI: 10.11606/issn.2316-9036.v0i57p210-226. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/33843.. Acesso em: 22 abr. 2024.