Villa-Lobos: um antimodernista na Semana de 22

Autores

  • Eduardo Seincman Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i94p71-82

Palavras-chave:

Semana de Arte Moderna, modernismo, antimodernismo, nacionalismo, identidade, folclore, Villa-Lobos, Bachianas.

Resumo

A “modernista” Semana de 22 contemplou musicalmente um único compositor brasileiro – Villa-Lobos – mas não propiciou acesso a suas obras antimodernistas. Se atentarmos ao fato de que os nacionalismos são inerentes aos modernismos iniciais do século XX, compreenderemos o profundo alcance e o papel dos antimodernistas que, ao pactuarem com o passado, puderam refl etir criticamente o presente. Na realidade, modernistas e antimodernistas estiveram no mesmo palco dos contundentes acontecimentos mundiais do início do século: atribuir-lhes denominações historicamente datadas, como “passadistas” e “vanguardistas”, pouco acrescenta a suas obras. É preciso, pois, repensar a música em sua dimensão estética a fim de perceber que dentre as personas de Villa-Lobos a antimodernista soa como estranha novidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Seincman, Universidade de São Paulo

Compositor, professor do Departamento de  Comunicações e Artes da ECA-USP e autor de Do Tempo
Musical (Via Lettera).

Referências

BAUDELAIRE, C. “XLVI. A Perda da Auréola”, in Pequenos Poemas em Prosa. Rio de Janeiro/São Paulo, Record, 2006.

BERMAN, M. Tudo que É Sólido Desmancha no Ar – a Aventura da Modernidade. São Paulo, Companhia das Letras, 1986.

BOUCOURECHLIEV, André. Beethoven. Barcelona, Bosch, 1980.

CONTIER, A. D. “O Nacional na Música Erudita Brasileira: Mário de Andrade e a Questão da Identidade Cultural”, in Revista de História e Estudos Culturais, out.-dez./2004, vol. 1, ano 1, no 1 (www.revistafenix.pro.br).

GRIECO, D. Roteirode Villa-Lobos. Brasília, Fundação Alexandre Gusmão, 2010.

LÉVI-STRAUSS, C. O Pensamento Selvagem. Campinas, Papirus, 2005.

MARIZ, V. Heitor Villa-Lobos, Compositor Brasileiro. Rio de Janeiro, Zahar, 1983.

MARX, K.; ENGELS, F. O Manifesto Comunista. São Paulo, Paz e Terra, 2007.

NAVES, S. C. Violão Azul – Modernismo e Música Popular. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1988.

ORTIZ, R. Mundialização e Cultura. São Paulo, Brasiliense, 2000.

. Cultura Brasileira & Identidade Nacional. São Paulo, Brasiliense, 2001.

ROSENFELD, A. O Teatro Épico. São Paulo, Buriti, 1965.

SCHWARCZ, L. M. Racismo no Brasil. São Paulo, Publifolha, 2001.

SEVCENKO, N. A Corrida para o Século XXI – no Loop da Montanha-russa. São Paulo, Companhia das Letras, 2001, pp. 15-6.

VIDAL, Pierre. “Visages de Villa-Lobos”. Encarte do CD Villa-Lobos par Lui Nême. EMI France, CDZ 7 672352, 1991.

Downloads

Publicado

2012-08-30

Como Citar

Seincman, E. (2012). Villa-Lobos: um antimodernista na Semana de 22. Revista USP, (94), 71-82. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i94p71-82