Acesso à justiça: um direito e seus obstáculos

Autores

  • Maria Tereza Aina Sadek Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i101p55-66

Palavras-chave:

Acesso à justiça, Morosidade, Dificuldades para o acesso à justiça, Cidadania, Poder Judiciário

Resumo

O texto tem por objetivo propor uma reflexão sobre o direito de acesso à justiça e sobre as dificuldades para a sua realização. A exposição parte do princípio de que o direito de acesso à justiça implica que se considerem ao menos três etapas distintas e interligadas: o ingresso visando à obtenção de um direito, os caminhos posteriores à entrada e, finalmente, a saída. Nesse sentido, o direito de acesso à justiça só se efetiva quando a porta de entrada permite que se vislumbre e se alcance a porta de saída em um período de tempo razoável. A morosidade na solução dos conflitos é um importante entrave para alcançar a porta de saída e, em decorrência, para a realização do acesso à justiça.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Maria Tereza Aina Sadek, Universidade de São Paulo
    Professora do Departamento de Ciência Política da USP, diretora de pesquisas do Centro Brasileiro de Estudos e Pesquisas Judiciais (Cebepej) e coordenadora de Magistrados – uma Imagem em Movimento (FGV).

Referências

AGRA, Walber de Moura. Comentários à Reforma do Poder Judiciário. Rio de Janeiro, Forense, 2005.

BOBBIO, Norberto. A Era dos Direitos. São Paulo, Martins Fontes, 1992.

CAPPELLETTI, Mauro; GARTH, Bryant. Acesso à Justiça. Trad. Ellen Gracie Northfleet. Porto Alegre, Sérgio Antônio Fabris, 1988.

. “Acesso à Justiça”, in Revista do Ministério Público. Porto Alegre, Revista dos Tribunais, 1995.

CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: o Longo Caminho. 7a ed. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2005.

DAMATTA, Roberto. Carnavais, Malandros e Heróis: para uma Sociologia do Dilema Brasileiro. 6a ed. Rio de Janeiro, Rocco,1997.

DINAMARCO, Cândido Rangel. A Instrumentalidade do Processo. São Paulo, Malheiros, 2005.

GRINOVER, Ada P. & WATANABE, Kazuo. O Controle Jurisdicional de Políticas Públicas. Rio de Janeiro, Forense, 2011.

JUNQUEIRA, Eliane. “Acesso à Justiça: um Olhar Retrospectivo”, in Revista de Estudos Históricos, n. 18, 1996.

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA. Secretaria de Reforma do Judiciário. Análise da Gestão e Funcionamento dos Cartórios Judiciais, 2007.

MORAES, Alexandre de. Direito Constitucional. São Paulo, Atlas, 2007.

SADEK, M. T. (org.). Acesso à Justiça. Fundação Konrad Adenauer, 2001.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como Liberdade. São Paulo, Companhia das Letras, 2000.

SILVA, José Afonso de. Curso de Direito Constitucional Positivo. São Paulo, Malheiros, 2006.

WATANABE, Kazuo. Participação e Processo. São Paulo, Revista dos Tribunais, 1988.

. “Cultura da Sentença e Cultura da Pacificação”, in Estudos em Homenagem à Professora Ada Pellegrini Grinover. São Paulo, DPJ, 2010.

Downloads

Publicado

2014-05-30

Edição

Seção

Dossiê

Como Citar

SADEK, Maria Tereza Aina. Acesso à justiça: um direito e seus obstáculos. Revista USP, São Paulo, Brasil, n. 101, p. 55–66, 2014. DOI: 10.11606/issn.2316-9036.v0i101p55-66. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/87814.. Acesso em: 29 maio. 2024.