[1]
C. V. de Mattos, “ Goethe,o Eikones de Filóstrato e a resistência aos românticos ”, Rev. USP, nº 71, p. 106-115, nov. 2006.