[1]
L. WATAGHIN, “UM MITO TUPI TRADUZIDO POR GIUSEPPE UNGARETTI”, Rev. USP, nº 37, p. 168-173, maio 1998.