(In)Equidade de gênero e ensino jurídico: o papel da pós-graduação para a representação feminina no Direito

Autores

  • Ana Elisa Liberatore Silva Bechara Universidade de São Paulo. Faculdade de Direito

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-8235.v116p299-315

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Elisa Liberatore Silva Bechara, Universidade de São Paulo. Faculdade de Direito

Professora Titular de Direito Penal da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, atualmente no exercício da Vice-Presidência da Comissão de Pós-Graduação da Faculdade (2018-2022).

Referências

ADORNO, Sérgio. Os aprendizes do poder. São Paulo: Paz e Terra, 1988.

ALMEIDA, Maria Clara D’Avila. Gênero, violência e subversão: o ensino jurídico como prática de liberdade. Trabalho de Conclusão de Curso, Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais do Centro Universitário de Brasília – UniCEUB. Brasília, 2016.

ANDRADE, Mailô de Menezes Vieira. Ela não mereceu ser estuprada. A cultura do estupro nos casos penais. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2018.

BERTOLIN, Patrícia Tuma Martins. Feminização da advocacia e ascensão das mulheres nas sociedades de advogados. Cadernos de Pesquisa. 2017, v. 47, n. 163, p. 25. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-15742017000100016&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 2 abr. 2021.

BOKEK-COHEN, Ya’arit; DAVIDOWITZ, Nitza. Beauty and teaching evaluation: a comparison between female and male college professors. Problems of Education in the 21st Century, v. 7, 2008. Disponível em http://www.scientiasocialis.lt/pec/files/pdf/Bokek-Cohen.pdf.

BONELLI, Maria da Gloria. Docência do direito: fragmentação institucional, gênero e interseccionalidade. Cadernos de Pesquisa. 2017, v. 47, n. 163.

CAMPOS, Isabelle Oglouyan de. Mulheres na Academia: Desigualdades de Gênero no Corpo Docente da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. São Paulo: Cátedra UNESCO de Direito à Educação/Universidade de São Paulo, 2021, p. 21-22. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000376046.

CRENSHAW, Kimberlé Williams. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Estudos feministas, Ano 10, 1° semestre de 2002.

FACIO, Alda. Hacia outra teoria crítica del derecho. In: FACIO, A.; FRIES, Lorena (coord.). Género y derecho. Santiago de Chile: LOM Ediciones, 1999.

HOOKS, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática de liberdade. Trad. Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

LEMAITRE RIPOLL, Julieta. El feminismo en la enseñanza del derecho en los Estados Unidos: estrategias para América Latina. Academia: Revista sobre enseñanza del Derecho de Buenos Aires, Buenos Aires, ano 3, n. 6, 2005. Disponível em: https://revistas-colaboracion.juridicas.unam.mx/index.php/revista-ensenianza-derecho/article/view/33855.

MACKINNON, Catherine A. Mainstreaming feminism in legal education. Journal of Legal Education, v. 53, n. 2, 2003.

MOSCHKOVICH, Marília Bárbara Fernandes Garcia. Teto de vidro ou paredes de fogo? Um estudo sobre gênero na carreira acadêmica e o caso da UNICAMP. 2013. Dissertação de Mestrado – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/REPOSIP/251113.

MOVIMENTO RESGATE ARCADAS. Mulheres e carreira: docência em foco. 2014. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=NWTmsOVvBYA.

NEDER CEREZETTI, Sheila Christina et al. Interações de gênero nas salas de aula da Faculdade de Direito da USP: um currículo oculto?, São Paulo, Cátedra UNESCO de Direito à Educação / Universidade de São Paulo (USP), 2019. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000367420.locale=en.

PIMENTEL, Silvia et al. Recuperando a memória: a atuação das feministas na conquista dos direitos das mulheres e os desafios atuais para assegurar os direitos conquistados. In: Vv. Aa. Tecendo fios das críticas feministas ao direito no Brasil. Rev. Técnica Fabiana Severi e Myllena Calasans de Matos. Ribeirão Preto: FDRP/USP, 2019.

PIMENTEL, Silvia; SCHRITZMEYER, Ana Lúcia P.; PANDJIARJIAN, Valéria. Estupro: crime ou “cortesia”? Abordagem sociojurídica de gênero. Porto Alegre: Fabris, 1998.

SCOTT, Joan W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Trad. Guacira Lopes Louro, ver. Tomaz Tadeu da Silva. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, jul./dez. 1995.

SEVERI, Fabiana Cristina; CAMPOS, Carmen Hein. Violence against women and the feminist critique of law: a brief analysis of Brazilian academic production. Revista Direito e Práxis, Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, 2019.

VENÂNCIO FILHO, Alberto. Das arcadas ao bacharelismo: cento e cinquenta anos de ensino jurídico no Brasil. Rio de Janeiro: Perspectiva, 1977.

VENTURINI, Anna Carolina. Ações afirmativas para pós-graduação: desenho e desafios da política pública. 41º Encontro Anual da ANPOCS, 2017.

WU, Alice. Gender Stereotype in Academia: Evidence from Economics Job Market Rumors Forum, Working Papers 2017-09, Princeton University, Woodrow Wilson School of Public and International Affairs, Center for Health and Wellbeing, 2017. Disponível em: https://ideas.repec.org/p/pri/cheawb/2017-09.html.

Downloads

Publicado

2021-11-10

Como Citar

Bechara, A. E. L. S. (2021). (In)Equidade de gênero e ensino jurídico: o papel da pós-graduação para a representação feminina no Direito. Revista Da Faculdade De Direito, Universidade De São Paulo, 116(1), 299-315. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8235.v116p299-315

Edição

Seção

Os 50 anos da Pós-Graduação em Direito no Brasil