A Justiça Kelseniana

Autores

  • Eduardo Carlos Bianca Bittar

Palavras-chave:

Teoria kelseniana, Purismo metodológico, Justo e injusto.

Resumo

Trata-se de investigar alguns aspectos pontuais da teoria kelseniana da Justiça, sobretudo destacando-se a relação das pesquisas ligadas ao purismo metodológico com o relativismo da Justiça. Com este intuito é que se direcionam as pesquisas para a compreensão do justo e do injusto nesta concepção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. 2. edição. Trad. Mauro W. Barbosa de Almeida. São Paulo: Editora Perspectiva, 1972.

______. A condição humana. Trad. Roberto Raposo. 4. edição. Rio de Janeiro: Editora Forense Universitária, 1988.

ARIÈS, Philippe; DUBY, Georges. História da vida privada: da Primeira Guerra a nossos dias (sob a direção de Antoine Prost e Gérard Vincent). Trad. Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. v. 5.

______. Historia da vida privada: da Revolução Francesa à Primeira Guerra (sob a direção de Michelle Perrot). Trad. Denise Bottmann e Bernardo Joffily. São Paulo: Companhia das Letras, 1991. v. 4.

BITTAR, Eduardo C. B. A evolução histórica da filosofia, in Revista da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, v. 89, pp. 228-254, São Paulo, 1994.

______. La reconstruction des droits humains d'après Celso Lafer: points de repère pour l'étude de la problématique de la rupture totalitaire, in Revista da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, v. 90, pp. 399-410, São Paulo, 1995.

BOBBIO, Norberto. Nouvelles réflexions sur les normes primaires et secondaires, in La règle du Droit, Bruxelas, Ed. Perelman, 1971.

DEL VECCHIO, Giorgio. Lições de Filosofia do Direito. 5ª edição. Trad. de Antonio José Brandão. Coimbra: Armênio Amado, 1979.

DINIZ, Maria Helena. Compêndio de Introdução à Ciência do Direito. São Paulo: Saraiva, 1988.

DURANT, Will. A História da Filosofia. Trad. Luiz Carlos do Nascimento Silva. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

FERRAZ JR., Tércio Sampaio. Introdução ao Estudo do Direito: técnica, decisão, dominação. 2ª edição. São Paulo: Atlas, 1994.

FERRAZ JR., Tércio Sampaio. Teoria da norma jurídica. 3ª edição. Rio de Janeiro: Editora Forense, 1997.

GRZEGORCZYK, Christophe; MICHAUT, Françoise; TROPER, Michel (sous a direction de). Le positivisme juridique. Paris; Bruxelles: CNRS; Université Paris X; LGDJ; Story scientia, 1992.

HABERMAS, Jürgen. O discurso filosófico da modernidade. Trad. de Ana Maria Bernardo, José Rui Meirelles Pereira, Manuel José Simões Loureiro, Maria Antonia Espadinha Soares, Maria Helena Rodrigues de Carvalho, Maria Leopoldina de Almeida, Sara Cabral Seruya. Lisboa: Dom Quixote, 1990.

HART, L.A. O conceito de Direito. Trad. de A. Ribeiro Mendes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1986.

HUISMAN, Denis; VERGEZ, André. História dos filósofos ilustrada pelos textos. Trad. de Lélia de Almeida Gonzales. 2. edição. São Paulo: Freitas Bastos, s.d.

JERPHAGNON, Lucien. História das grandes filosofias. Trad. Luís Eduardo de Lima Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

KELSEN, Hans. A ilusão da Justiça. Trad. de Sérgio Tellaroli. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

KELSEN, Hans. O problema da Justiça. Trad. de João Baptista Machado. 3ª edição. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

KELSEN, Hans. O que é Justiça? A Justiça, o Direito e a política no espelho da ciência. Trad. de Luís Carlos Borges. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

KELSEN, Hans. Teoria Geral das Normas. Trad. de José Florentino Duarte. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris Editor, 1986.

KELSEN, Hans. Teoria pura do Direito. 4ª edição. Trad. de João Baptista Machado. Coimbra: Armênio Amado Editor, 1976.

LARENZ, Karl. Metodologia da Ciência do Direito. Trad. José Lamego. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1989.

LYONS, David. As regras morais e a ética. Trad. de Luis A. Peluso. São Paulo: Papirus Editora, 1993.

MACEDO, Silvio de. História do pensamento jurídico. São Paulo: Livraria Freitas Bastos, 1982.

POUND, Roscoe. Justiça conforme a lei. 2ª edição. Trad. de E. Jacy Monteiro. São Paulo: IBRASA, 1976.

REALE, Miguel. Filosofia do Direito. 3ª edição. São Paulo: Saraiva, 1962.

Downloads

Publicado

2001-01-01

Como Citar

Bittar, E. C. B. (2001). A Justiça Kelseniana. Revista Da Faculdade De Direito, Universidade De São Paulo, 96, 541-563. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/rfdusp/article/view/67517

Edição

Seção

Não definido