A Lei de Anistia brasileira: os crimes conexos, a dupla via e tratados de direitos humanos

Autores

  • Lucia Elena Arantes Ferreira Bastos

Palavras-chave:

Direito Internacional, Direito Internacional Humanitário, Direitos Humanos, Anistia, Ditadura, Violações, Crimes internacionais, Crimes contra a humanidade.

Resumo

Tendo como pressuposto o Direito Internacional, o que será discutido no presente artigo é a relação entre a soberania e o respeito aos tratados de proteção dos Direitos Humanos, quando se trata da aplicação das leis de anistias aos crimes internacionais. Para tanto, será observado o tratamento dispensado às distintas anistias no Brasil, em especial a de 1979. A esse tema principal agregam-se assuntos correlatos como a incorporação das normas de proteção dos Direitos Humanos, a coexistência dos Estados diante do Direito Internacional, a ditadura, a prática do terror de Estado, as regras aplicáveis durante um período de tensão interna e um conflito armado ou guerra civil e a possibilidade do perdão às violações cometidas em determinados períodos históricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Estado de exceção. São Paulo: Boitempo, 2004.

ARENDT, Hannah. Responsabilidade e julgamento. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

ARIOSI, Mariângela. Conflitos entre tratados internacionais e leis internas. O Judiciário Brasileiro e a nova ordem internacional. Rio de Janeiro: Renovar, 2000.

BATISTA, Nilo. Aspectos jurídico-penais da anistia. Revista Encontros com a Civilização Brasileira, v. 19, p. 195-206, 1980.

BARROS, Alexandre. Problemas de transição democrática na frente militar: a definição do papel dos militares, a mudança da doutrina e a modernização do país. Política e Estratégia, v. 6, n. 2, p. 206-214, 1988.

BICUDO, Hélio. Lei de anistia e crimes conexos. Folha de São Paulo, 6 de dezembro de 1995. Caderno Tendências e Debates, p. 1-3.

BROWNLIE, Ian. Princípios de direito internacional público. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1997.

BOUZAT, Pierre. Traité théorique et pratique de droit penal. Paris: Dalloz, 1951.

BURKE-WHITE, William W. Reframing impunity: applying liberal international law theory to an analysis of amnesty legislation. Harvard International Law Journal, v. 42, n. 2, p. 467-533, 2001.

CABRILLAC, Rémy; FRISON-ROCHE, Marie-Anne; REVET, Thierry (Orgs.). Libertés et droits fondamentaux. 12. ed. Paris: Dalloz, 2006.

CARVALHO FILHO, Aloysio. Comentários ao código penal. Rio de Janeiro: Forense, 1958. v. 4.

CASSESE, Antonio. International criminal law. New York: Oxford University Press, 2003.

COMPARATO, Fábio Konder. Que fizeste de teu irmão? Folha de São Paulo, 13 de agosto de 1995. Caderno Tendências e Debates, p. 1-3.

COMPARATO, Fábio Konder. Questão de decência. Folha de São Paulo, 10 de setembro de 1995. Caderno Tendências e Debates, p. 1-3.

CRAWFORD, James. The international law comission’s articles on State responsibility. Introduction, text and commentaries. 3. ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.

FAUSTO, Boris. A revolução de 1930. In: MOTA, Carlos Guilherme (Org.). Brasil em perspectiva; São Paulo: Difel, 1981.

GASPARI, Elio. A ditadura envergonhada. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

GASPARI, Elio. A ditadura escancarada. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

GOLDMAN, Robert. Amnesty laws and international law: a specific case. In: INTERNATIONAL Comission of Jurists. Seminar on Justice Not Impunity. Geneva: ICJ, 1992.

HADDEN, Tom; HARVEY, Colin. The law of internal crisis and conflict. International Review of the Red Cross, v. 833, p. 119-133, 1999.

HÉLIE, Faustin. Pratique criminelle des cours et tribunaux. 5. ed. Paris: Marchal Billard, 1887.

MAGGIORE, Giuseppe. Derecho penal. Bogotá: Temis, 1972.

MAGNOL, Vidal. Cours de droit criminel et de science pénitentiaire. 8. ed. Paris: Rousseau, 1935.

RANGEL, Vicente Marotta. Direito e relações internacionais. 7. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002.

MELLO, Celso D. de Albuquerque. Direitos humanos e conflitos armados. Rio de Janeiro: Renovar, 1997.

MERA, Jorge. Chile: truth and justice under the democratic government. In: ARRIAZA, Naomi Roth (Org.). Impunity and human rights in international law and practice. New York: Oxford University Press, 1995. p. 171-184.

MEZAROBBA, Glenda. Um acerto de contas com o futuro. A anistia e suas conseqüências – um estudo do caso brasileiro. 2003. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas; Universidade de São Paulo, São Paulo.

MOMTAZ, Djamchid. The minimum humanitarian rules aplicable in periods of internal tension and strife. International Review of the Red Cross, v. 324, p. 455-462, 1998.

PIOVESAN, Flávia. A incorporação, a hierarquia e o impacto dos tratados internacionais de proteção dos direitos humanos no direito Brasileiro. In: GOMES, Luiz Flávio; PIOVESAN, Flávia (Orgs.). O sistema interamericano de proteção dos direitos humanos e o direito Brasileiro. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2000.

RAMOS, André de Carvalho. Responsabilidade internacional por violação de direitos humanos. Rio de Janeiro: Renovar, 2004.

ROUQUIÉ, Alain. O estado militar na América Latina. São Paulo: Alfa-Omega, 1984.

SANTOS, Boaventura de Souza. Os crimes políticos e a pena de morte. Revista de Direito Penal, v. 1, 1971.

SLYE, Ronald C. The legitimacy of amnesties under international law and general principles of anglo-american law: is a legitimate amnesty possible? Virginia Journal of International Law, v. 43, n. 1, 2002.

STEINER, Sylvia Helena de Figueiredo. A convenção americana sobre direitos humanos e sua integração ao processo penal brasileiro. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2000.

STOPPINO, Mário. Ditadura. In: BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco (Orgs.). Dicionário de política. 3. ed. Brasília: UnB, 1991.

TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. Tratado de direito internacional dos direitos humanos. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1997. v. 1.

TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. A interação entre o direito internacional e o direito interno na proteção dos direitos humanos. Arquivos do Ministério da Justiça, v. 46, n. 182, p. 27-54, 1993.

TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. A proteção dos direitos humanos nos planos nacional e internacional: perspectivas brasileiras. San José da Costa Rica: Instituto Interamericano de Derechos Humanos, 1992. p. 317-318.

VIZENTINI, Paulo Gilberto Fagundes. A experiência histórica do Brasil e da Argentina contemporâneos: autoritarismo e desenvolvimento (1964-1985). In: LLADÓS, José Maria; GUIMARÃES, Samuel Pinheiro (Orgs.). Perspectivas: Brasil e Argentina. Brasília: IPRI, 2000.

Downloads

Publicado

2008-01-01

Como Citar

Bastos, L. E. A. F. (2008). A Lei de Anistia brasileira: os crimes conexos, a dupla via e tratados de direitos humanos. Revista Da Faculdade De Direito, Universidade De São Paulo, 103, 593-628. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/rfdusp/article/view/67820

Edição

Seção

Direito Internacional