[1]
G. Ricken, “Eram os juízes mengerianos? A concepção de moeda no debate jurídico”, Rev. Fac. Direito Univ. São Paulo, vol. 109, p. 683-699, dez. 2014.