Economia e educação

Autores

  • Antonio Carlos Coelho Campino USP; Faculdade de Educação

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0102-25551986000100001

Resumo

Nos contatos que, eventualmente, o autor tem mantido com alunos de pós-graduação em pedagogia, tem observado que nestes cursos muitas vezes enfatiza-se a preocupação com o estudo econômico da educação como limitada ao cálculo das taxas de retorno e à aplicação da metodologia de análise custo-benefício. O objetivo deste artigo é o de apresentar esta metodologia e situá-la como uma dentre um conjunto mais amplo de metodologias que têm sido desenvolvidas e aplicadas pelos interessados no estudo dos aspectos econômicos da educação. Com esse objetivo apresenta-se também a metodologia de previsões de necessidades de mão-de-obra, a de programação linear, a de screening, além de fazer-se uma menção mais rápida à metodologia de segmentação do mercado de trabalho e à abordagem dos chamados economistas radicais. Por outro lado, ocorreu uma significativa mudança de ênfase nas pesquisas econômicas voltadas para o setor educacional. Essa mudança de ênfase, que já houvera sido detalhada a nível de literatura por Psacharapoulos, em artigo de 1976, ocorreu também no Brasil, razão pela qual dediquei todo o item 3 deste trabalho à mesma. A sessão final é dedicada ã aplicação de uma análise do tipo custo-benefício aos diversos cursos da USP, tendo-me limitado ao cálculo do pay-back period pela dificuldade em obter os dados necessários à aplicação da metodologia da taxa de retorno. Este item teve, entretanto, o objetivo de demonstrar que esta metodologia pode ser aplicada ao planejamento educacional em nossa universidade, potencial aliás também existente nas demais metodologias resenhadas. Porém, como enfatizo nas conclusões, o importante é fixar uma metodologia e aplicá-la consistente e coerentemente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1986-12-01

Edição

Seção

Colaborações