A. subclavia dextra como última colateral do Arcus aorticus em Sus scrofa domestica

Autores

  • Orlando Marques de Paiva Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Anatomia Descritiva dos Animais Domésticos, São Paulo, SP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-5066.v5i1p5-16

Palavras-chave:

O artigo não apresenta palavras-chave.

Resumo

Após dissecar mais de uma centena de exemplares, com o objetivo de apurar o comportamento das colaterais da A. brachiocephalica, tivemos oportunidade de registrar caso de A. subclavia dextra como último ramo da crossa aórtica, em suínos. A observação recaiu sobre um feto, quase de têrmo, macho, medindo 24.5 cm, procedente do Frigorífico Armour de São Paulo, único, do grupo retirado do mesmo útero, a exibir as seguintes particularidades: o primeiro ramo calibroso a se destacar da crossa da Aorta, a 10 mm da origem desta, era o Truncas bicarolicus, do qual se isolavam as Aa. carotides communes sinistra e dextra; a intervalos de 1.9 mm viam-se partir, distalmente ao citado tronco, as Aa. subclaviae sinistra e dextra. Os três primeiros ramos apresentavam origem e decurso normais, em contraposição ao que ocorria com o último; êste, nascendo da parte terminal da crossa, transpunha imediatamente a linha mediana,  passando dorsalmente ao esôfago e traquéia, entre estas formações e o  tracto da coluna correspondente à juntura das 3a e 4a vértebras  torácicas. Esôfago e vaso não evidenciavam, respectivamente, sinais de compressão e de diminuição de calibre. Tôdas as colaterais da A. subclávia direita mostravam disposição habitual, o que também se verificava no tocante à Ansa subclavia. Já relativamente ao N. laryngeus caudalis, não o víamos, à direita, cingir a A. subclávia homolateral; com efeito, êle se separava da porção cervical do N. vagus ao nível da juntura entre as 5a e 6a vértebras cervicais. Oferecemos a interpretação embiológica da anomalia que — a julgar pelo exame da escassa literatura a propósito das variações do Arco aórtico nos mamíferos domésticos — acreditamos muito rara.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1953-12-14

Como Citar

Paiva, O. M. de. (1953). A. subclavia dextra como última colateral do Arcus aorticus em Sus scrofa domestica. Revista Da Faculdade De Medicina Veterinária, Universidade De São Paulo, 5(1), 5-16. https://doi.org/10.11606/issn.2318-5066.v5i1p5-16

Edição

Seção

NÃO DEFINIDA