Estudo sobre Micrococcus pyogenes de mastite bovina

Autores

  • Luiz Zani Neto Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Microbiologia e Imunologia, São Paulo, SP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-5066.v5i3p353-360

Palavras-chave:

O artigo não apresenta palavras-chave.

Resumo

Foram estudadas 73 amostras de Micrococcus pyogenes de vacas portadoras de mastite, tendo sido pesquisadas simultaneamente a produção de hemolisinas, coagulação do plasma oxalatado, fermentação da manita, produção de pigmento e fusão da gelatina. Verificou-se que um número significativo de amostras foi capaz de produzir α β lisinas. Não foi possível obter uma β toxina pura, pois, quando o exame da placa indicava somente produção de β lisina, o filtrado continha também a α lisina. Das amostras hemolíticas praticamente tôdas foram coagulase positivas. A maioria dos estafilococos estudados pertencia à variedade albus. A fermentação da manita foi evidenciada em tôdas as amostras coagulase e toxina positivas. Quanto à fusão da gelatina não obtivemos dados concordantes comas demais provas. Os dados obtidos foram discutidos à luz da literatura especializada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1955-12-14

Como Citar

Zani Neto, L. (1955). Estudo sobre Micrococcus pyogenes de mastite bovina. Revista Da Faculdade De Medicina Veterinária, Universidade De São Paulo, 5(3), 353-360. https://doi.org/10.11606/issn.2318-5066.v5i3p353-360

Edição

Seção

NÃO DEFINIDA