Levantamento dos elementos minerais em plantas forrageiras de áreas delimitadas do Estado de São Paulo. III - Ferro e manganês

Autores

  • Fernando Andreasi Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Zootecnia, São Paulo, SP
  • João Silva Marcondes Veiga Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Zootecnia, São Paulo, SP
  • Flávio Prada Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Zootecnia, São Paulo, SP
  • Cássio Xavier de Mendonça Júnior Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Zootecnia, São Paulo, SP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-5066.v7i4p857-870

Palavras-chave:

O artigo não apresenta palavras-chave.

Resumo

No presente trabalho, foi realizado um levantamento sôbre a riqueza dos minerais — ferro e manganês — em três gramíneas— capim Colonião (Panicum maximum), Jaraguá (Hyparrhenia rufa (Nees) Stapf) e Gordura (Melinis minutiflora) — mais difundidas e colhidas em limitadas áreas do Estado de São Paulo, Brasil. As amostras foram colhidas em duas diferentes épocas —águas (verão) e sêcas (inverno) — respeitados os diversos tipos de solo constantes das tabelas I e II. Os resultados obtidos podem ser assim resumidos.
Ferro
O Capim Gordura apresentou os mais elevados níveis médios do elemento — 494 p.p.m. e 415 p.p.m. —, para as épocas das sêcas e águas, respectivamente, seguindo-se o Jaraguá — 247 p.p.m. (sêcas) e 266 p.p.m. (águas) — e, por último, o Colonião, cujos teores máximos foram de 119 p.p.m. e 114 p.p.m. para as sêcas e águas, respectivamente. Na estação das sêcas, os níveis do elemento foram significantemente mais elevados do que nas águas (tabela I e Figura 1). Deve ser destacado o alto nível de ferro contido no capim Gordura, ao ser cotejado com o Jaraguá e Colonião.
Manganês
Para êste elemento, também houve diferenças significantes entre plantas forrageiras — Colonião mais rico que o Jaraguá e Gordura — assim como discrepâncias entre épocas, com maior concentração nas sêcas (tabela II e Figura 2), à semelhança do que ocorreu com o ferro. Embora apresentando grande amplitude de variação entre gramíneas e tipos de solo, como ainda entre amostras oriundas de um mesmo solo, os conteúdos de manganês, em sua maioria, situaram-se na faixa tida como normal. Foram, entretanto reveladas algumas áreas cujas plantas exibiram altos níveis de manganês (326 e 224 p.p.m. nas sêcas e águas, respectivamente) encontrados no Colonião. Diante dos resultados registrados no presente trabalho, parece lícito concluir-se que os teores de ferro e manganês contidos nas três gramíneas, quantitativamente, garantem o atendimento pleno das exigências dos animais, nas áreas estudadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1968-12-15

Como Citar

Andreasi, F., Veiga, J. S. M., Prada, F., & Mendonça Júnior, C. X. de. (1968). Levantamento dos elementos minerais em plantas forrageiras de áreas delimitadas do Estado de São Paulo. III - Ferro e manganês. Revista Da Faculdade De Medicina Veterinária, Universidade De São Paulo, 7(4), 857-870. https://doi.org/10.11606/issn.2318-5066.v7i4p857-870

Edição

Seção

NÃO DEFINIDA