Propriedades fisico-organolépticas e bacteriológicas de carcaças de frangos tratadas por um " iodophor"

Autores

  • José Cezar Panette Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, São Paulo, SP
  • Willer Pinto Coelho Pfizer Química Ltda, Divisão Agrícola, São Paulo, SP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v13i2p401-408

Palavras-chave:

Aves (carcaças), Aves (industrialização), Deterioração

Resumo

Foram analisadas as propriedades físico-organolépticas de carcaças de frangos industrializados (resfriados e congelados), em cuja fase de pré-resfriamento utilizou-se como substância desinfetante uma solução de "iodophor" na proporção de 1:1 .250. Paralelamente, foi determinada a carga bacteriana das carcaças (número global de aeróbios, de coliformes e de enterococos), desde o dia do abate até o vigésimo quinto dia de armazenagem sob congelação, em avaliações regulares de 5 em 5 dias. Os resultados obtidos permitem sumarizar as seguintes conclusões: a) não houve depreciação das características físico-organoléticas das carraças; b ) não houve detecção do “iodophor” sobre a superfície externa das carcaças; c ) a carga microbiana das carcaças tratadas foi relativamente menor do que a das carcaças testemunhas; d ) houve supremacia numérica dos enterococos sobre os coliformes, tanto nas carcaças tratadas quanto nas testemunhas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1976-09-15

Como Citar

Panette, J. C., & Coelho, W. P. (1976). Propriedades fisico-organolépticas e bacteriológicas de carcaças de frangos tratadas por um " iodophor". Revista Da Faculdade De Medicina Veterinária E Zootecnia Da Universidade De São Paulo, 13(2), 401-408. https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v13i2p401-408

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS