Diagnóstico “in vivo” da raiva em cães experimentalmente infectados. Emprego do teste de cómea e isolamento de vírus por inoculação intracerebral de saliva em camundongos

  • Silvio Arruda Vasconcellos Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, São Paulo, SP
  • José de Agelis Côrtes Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, São Paulo, SP
  • Moacir Rossi Nilsson Instituto Biológico de São Paulo, Seção de Raiva e Encefalite, São Paulo, SP
  • Fumio Honma Ito Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, São Paulo, SP
  • César Eduardo Enriquez Rozas Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, São Paulo, SP
Palavras-chave: Raiva, cães, Diagnótico in vivo, Saliva, Vírus (isolamento)

Resumo

Cinquenta e duas amostras de saliva e células de córnea tomadas, paralelamente, em dias sucessivos, de oito cães experimentalmente infectados com o vírus da raiva, foram examinadas, respectivamente, pelas técnicas de inoculação intracerebral em camundongos e imunofluorescência direta aplicada a impressões de córnea (teste de córnea). O teste de córnea apresentou uma positividade de 17/18 (94%) no período pré-clínico e de 33/34 (9 7%) durante a fase sintomática da doença, enquanto que as proporções de isolamentos de vírus a partir de saliva, para os mesmos períodos, foram, respectivamente de 10/18 (56%) e 3/34 (9%). Em todas as ocasiões em que foi isolado vírus da saliva, o teste de córnea correspondente apresentou resultado positivo. A ocorrência de um resultado negativo ao teste de córnea não exclui a possibilidade de infecção pelo vírus da raiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1978-03-15
Como Citar
Vasconcellos, S., Côrtes, J. de, Nilsson, M., Ito, F., & Rozas, C. E. (1978). Diagnóstico “in vivo” da raiva em cães experimentalmente infectados. Emprego do teste de cómea e isolamento de vírus por inoculação intracerebral de saliva em camundongos. Revista Da Faculdade De Medicina Veterinária E Zootecnia Da Universidade De São Paulo, 15(1), 75-86. https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v15i1p75-86
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS