Estudo sobre a coriza infecciosa das galinhas. I. Caracteres culturais, bioquímicos e sorológicos de 17 amostras de Haemophilus isoladas no Brasil

  • Hidemi Narita Departamento de Transferência e Comercialização de Tecnologias, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Brasília
  • Osmane Hipólito Departamento de Transferência e Comercialização de Tecnologias, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Brasília
  • José Américo Bottino Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP
Palavras-chave: Coriza infecciosa (galinhas), Haemophilusgallinarum, Haemophilus paragallinarum

Resumo

Dezessete amostras de organismos do gênero Haemophilus isoladas de galinhas com sintomas clínicos de coriza infecciosa foram obtidas do seio infra-orbitário de aves com infecção natural. Os organismos cresceram bem no meio Ágar-20 e no meio líquido CMI-20 suplementado com 5% de soro de galinha e 2% de extrato de fermento. Esses organismos microaerófilos exigiam o fator V mas não o fator X. Cinco amostras exigiram soro de galinha além do fator V para o crescimento no meio Ágar-20. Não houve crescimento em passagens seriadas no meio Agar-20 em condições aerobiose. O Staphylococcus aureus foi usado como cultura alimentadora nos isolamentos. Todas as amostras eram catalase e indol negativas. Nenhuma delas produziu indol, H2S ou gás nem liquidez a gelatina. Todas reduziram nitratos a nitritos. Eram Gram negativas, imóveis e apresentavam bipolaridade. Todas fermentaram glucose, manose, frutose, sacarose e destrina mas não fermentaram arabinose, ramnose, galactose,lactose, trealose, rafinose, inulina, adonitol, dulcito, inositole salicina. Algumas fermentaram xilose, maltose, manitol e sorbitol. Quinze amostras isoladas foram estudadas sorologicamente e divididas em dois grupos. Oito das amostras representando um tipo sorológico fermentaram a xilose mas sete representando um segundo tipo sorológico deixaram de fazê-lo. Os resultados dos estudos coincidiram bastante com os de outros autores. Pelo fato de não exigirem o fator X mas sim o V, as 17 amostras isoladas e aqui estudadas deveriam ser denominadas Haemophylus paragallinarum BIBERSTEIN e WHITE, 1969.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1980-06-15
Como Citar
Narita, H., Hipólito, O., & Bottino, J. (1980). Estudo sobre a coriza infecciosa das galinhas. I. Caracteres culturais, bioquímicos e sorológicos de 17 amostras de Haemophilus isoladas no Brasil. Revista Da Faculdade De Medicina Veterinária E Zootecnia Da Universidade De São Paulo, 17(1/2), 29-31. https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v17i1/2p29-31
Seção
PATOLOGIA ANIMAL