Efeitos de diferentes temperaturas sobre garrotes de origem européia. I. Frequências respiratórias e temperaturas retais

  • José Carlos Machado Nogueira Filho Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP
  • Carlos de Souza Lucci Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP
Palavras-chave: Câmara climática, Termo-regulação, Gado leiteiro

Resumo

Doze garrotes machos castrados, com alto grau de sangue europeu e aproximadamente 2 anos de idade foram utilizados em um esquema fatorial 2 x 2 num delineamento “change-over” , comparando os tratamentos: A) meio ambiente + ração de volumosos; B) meio ambiente + ração de volumosos e concentrados; C) câmara climática + ração de volumosos e D) câmara climática + ração de volumosos e concentrados. Os bovinos destinados a câmara climática ali permaneceram 23 horas por dia, submetidos a temperatura de 32°C e 86% de umidade relativa do ar, e apresentaram maiores frequências respiratórias (P ≤ 0,01) e temperaturas respiratórias (P ≤0,01) que os animais deixados fora da câmara. Isolando-se os tratamentos C e D (interior da câmara) ocorreram maiores temperaturas retais (P ≤ 0,01) no tratamento D, correspondente à ração com concentrados além do feno.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1981-09-15
Como Citar
Nogueira Filho, J. C., & Lucci, C. (1981). Efeitos de diferentes temperaturas sobre garrotes de origem européia. I. Frequências respiratórias e temperaturas retais. Revista Da Faculdade De Medicina Veterinária E Zootecnia Da Universidade De São Paulo, 18(2), 105-109. https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v18i2p105-109
Seção
ZOOTECNIA