Microbiótica fúngica na pelagem de camundongos de linhagens isogênicas e congênicas mantidos em biotério de criação

Autores

  • Maria de Fatima Costa Pires Universidade de São Paulo, Instituto de Ciências Biomédicas, São Paulo, SP
  • Selene Dall'Acqua Coutinho Universidade de São Paulo, Instituto de Ciências Biomédicas, São Paulo, SP
  • Adhemar Purchio Universidade de São Paulo, Instituto de Ciências Biomédicas, São Paulo, SP
  • Thereza Liberman Kipnis Universidade de São Paulo, Instituto de Ciências Biomédicas, São Paulo, SP
  • Marcia Noronha

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v23i2p139-144

Palavras-chave:

Animais de laboratório, Camundongos, Linhagens isogênicas, Linhagens congênicas, Fungos

Resumo

Como desenvolvimento da tecnologia e do manejo de animais de laboratório, mantidos em biotérios que seguem diferentes normas de trabalho, de acordo com os objetivos a que se propõem, é mister que se avalie a microbiota dos ambientes de criação, bem como dos animais que deles fazem parte. Estudou-se a frequência de fungos na pelagem de 35 camundongos (47 machos e 43 fêmeas) de linhagens isogênicas (A/Sn (10), BALB/c (16), CBA (15), CS7BL/10J (10) e congênicas (B10.A (14), B10 D2/o (15) e B1 .02/n (15), com idade que variava entre 37 e 55 dias. A coleta de material foi realizada pela fricção de um pedaço de tapete esterilizado, em toda região corpórea das camundongos, seguida da compressão do material em placas de Petri, contendo ágar Sabouraud dextrose  acrescido de cloranfenicol (100 µ g/ml) - ASD e “Mycobiotic agar” (MA), para o isolamento dos fungos. Verificou-se maior número de isolamentos no primeiro (224) do que no segundo (61). As frequências de isolamento foram, respectivamente: Penicillium sp (93,68%) , Trichoderme sp (92,63%), Cladosporium sp (38,95%), Torulopsis sp (7,37%), Rhizopus sp (4,21%), Aureobasidium sp (3,16%), Absidia sp (1,05%), Aspergillus sp (1,05%), Mycellia sterilla (1,05%), Trichotecium sp (1,05%), Candida sp (1,05%) e Rhodotorula sp (1,05%). Maior numero de gênero fúngicos foi isolado de linhagens isogênicas e de camundongos do sexo feminino. Estes resultados foram estatisticamente significativo para p=0,05 na prova dos sinais. Entre os fungos isolados nos ambientes de criacão incluíram-se os seguintes gêneros: Absidia, Aureobasidium, Cladosporium, Cephalosporium, Epicoccum, Geotrichum , Mycelia sterilia, Penicillium e Trichoderma. Não. foram encontrados fungos considerados patogênicos para as linhagens estudadas, tanto nos animais como nas diferentes salas de criação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1986-09-15

Como Citar

Pires, M. de F. C., Coutinho, S. D., Purchio, A., Kipnis, T. L., & Noronha, M. (1986). Microbiótica fúngica na pelagem de camundongos de linhagens isogênicas e congênicas mantidos em biotério de criação. Revista Da Faculdade De Medicina Veterinária E Zootecnia Da Universidade De São Paulo, 23(2), 139-144. https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v23i2p139-144

Edição

Seção

CIÊNCIAS BÁSICAS