Contribuição do diagnóstico clínico da dirofilariose canina

  • Maria Helena Matiko Akao Larsson Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP
  • Masao Iwasaki Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP
  • Antonio Fernandes Filho Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP
  • Antonio Alberto D'Errico Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP
  • Saemi Ogassawara Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, São Paulo, SP
  • Luiz Fernando Dutra Clínico particular, Guarujá, SP
Palavras-chave: Dirofilariase, dirofilaria immitis, diagnóstico clínico

Resumo

Estudou-se um grupo de 26 cães, 5RD, adultos, 24 machos e 2 fêmeas, originários de uma região endêmica de dirofilariose (Guarujá). Os animais foram examinados através da pesquisa de microfilárias circulantes, e dos exames radiológico, eletrocardiográfico e necroscópico. Dos 26 cães, 16 (61,53%) apresentaram microfilaremia positiva; o exame necroscópico revelou a presença de parasitas em 22 animais (84,61%); 22 cães (84,61%) apresentaram alterações radiográficas que puderam ser associadas à dirofilariose e o eletrocardiograma revelou alterações compatíveis com a parasitose em 14 animais (53,84%). A alteração radiográfica mais frequentemente associada aos casos de dirofilariose foi o aumento ventricular direito e a anormalidade eletrocardiográfica mais significativa da parasitose cardíaca foi o infradesnível do segmento ST.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1987-03-15
Como Citar
Larsson, M. H., Iwasaki, M., Fernandes Filho, A., D’Errico, A., Ogassawara, S., & Dutra, L. F. (1987). Contribuição do diagnóstico clínico da dirofilariose canina. Revista Da Faculdade De Medicina Veterinária E Zootecnia Da Universidade De São Paulo, 24(1), 47-59. https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v24i1p47-59
Seção
PATOLOGIA ANIMAL