Concentração de Manganês no pêlo de cães, como meio de diagnóstico auxiliar de carência mineral. Nota prévia

  • Magda Raquel de Magalhães Maeoca Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Hospital Veterinário, São Paulo, SP
  • Flavio Prada Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Clínica Médica, São Paulo, SP
Palavras-chave: cães, manganês, pêlos

Resumo

Foram colhidos pêlos de cães atendidos no hospital Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo, visando o conhecimento dos níveis normais de Mn em cães sadios, bem como naqueles com possíveis alterações patológicas. Após exame prévio, estipulou-se colher cerca de 6 g de amostra que era lavada com H20 bi-destilada e digerida por “via seca” em forno mufla a 550 °C. Houve muita dificuldade para obtenção de material, devido à recusa dos proprietários na tosa de seus cães. Para a determinação química foi empregado o método de Periodato de Sódio como agente oxidante. Os resultados encontrados estiveram na faixa de 17,0 ppm de Mn a 97,5 ppm - para os cães considerados normais, com média geral de 57,4 ppm. Já para os animais com alguma patologia, os valores foram de - 14,1 ppm abscesso prostático a 254.9 ppm hiperparatireoidismo nutricional – com média geral de 50,3 ppm. Somente um maior número de observações nos permitirá interpretar com segurança os resultados encontrados.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1987-03-15
Como Citar
Maeoca, M. R., & Prada, F. (1987). Concentração de Manganês no pêlo de cães, como meio de diagnóstico auxiliar de carência mineral. Nota prévia. Revista Da Faculdade De Medicina Veterinária E Zootecnia Da Universidade De São Paulo, 24(1), 97-101. https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v24i1p97-101
Seção
NOTAS E INFORMAÇÕES