O Jogo de Capoeira no Jogo das Políticas Públicas: Uma análise do programa Capoeira viva

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/rgpp.v9i1.156768

Palavras-chave:

Esporte, Capoeira, Capoeira viva, Políticas públicas, Salvaguarda

Resumo

Foi objetivo desse artigo, parte integrante da dissertação “Capoeirando eu vou; cultura, memória, patrimonialização e políticas publicas no jogo da capoeira”, propor uma análise sobre os programas Capoeira viva edições de 2006 e 2007. A partir de uma abordagem qualitativa com base na revisão de literatura e na análise documental, observamos que a Capoeira passará a ser reconhecida como uma manifestação digna de apoio e fomentos por parte do Governo Federal no inicio do século XXI. Para tanto, programas de fomento são criados e planos de salvaguarda e preservação instituídos. Porem, haverá uma descontinuidade das ações dos programas pesquisados em questão devido a questões de ordem burocráticas, políticas e financeiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lindinalvo Natividade, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Licenciado Pleno em Educação Física pelo Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ, Brasil. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana e doutorando no Programa de Pós-Graduação em educação da universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Atualmente é docente do Centro Universitário de Barra Mansa e professor da rede pública do município de Barra Mansa, RJ, Brasil.

Referências

Bonfim, João Bosco., & Vieira, Luiz Renato. (2010). Agenda Legislativa para a Cultura. Em Meneguin, Fernando. (org.). Agenda Legislativa para o Desenvolvimento Nacional. Brasília: Senado Federal, 2010.

Costa, Neuber Leite. (2010). De Ato Marginal à Patrimônio Imaterial: Análise das Políticas Culturais para a Capoeira. Em Rubim, Antonio Albino Canelas. (org). Repositório Cult Políticas Culturais no Governo Lula. Salvador: EdUFBA.

Diário Oficial do Município de Salvador. Salvador: 2007

Frey, Klaus. (2000). Políticas Públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no brasil. Revista Planejamento e Políticas Públicas. 21, 211-259.

Gil, Gilberto. (2004, 19 de Agosto). Homenagem a Sérgio Vieira de Melo. Genebra:. Acessado em 19 de Abril de 2018, de: http://www.cultura.gov.br/site/2004/08/19/ministro-da-cultura-gilberto-gil-na-homenagem-a-sergio-vieira-de-mello/

Huizinga, Johan. (2007). Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva.

Manifesto Capoeira Viva. (2007). À comunidade de capoeira e conhecedores do edital Capoeira Viva. Acessado em 19 de Abril de 2018, de: http://consorciocultural.blogspot.com/2009/04/comunidade-de-capoeira-e-conhecedores.html

Mestre Curió. (2011, 17-18 de novembro). Entrevista concedida a Lindinalvo Natividade. Salvador: mimeo.

Ministério da Cultura. (2005, 29 de março). Secretaria de Programas e Projetos Culturais. Edital de divulgação no 02. Brasília.

Ministério da Cultura. (2006). Edital Programa Capoeira Viva 2006. Brasília. Acessado em 19 de Abril de 2018, de: http://cultura.gov.br/edital-capoeira-viva-2007/

Ministério da Cultura. (2007). Edital Programa Capoeira Viva 2007. Brasília. Acessado em 19 de Abril de 2018, de: http://cultura.gov.br/edital-capoeira-viva-2007/

Natividade, Lindinalvo. (2014). Capoeirando eu vou: cultura, memória, patrimônio e política pública no jogo da capoeira. Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Acessado em 19 de Abril de 2018, de: http://www.ppfh.com.br/wp-content/uploads/2014/01/D_lindinalvonatividade.pdf

Oliveira, Iolanda. (2013). LEI 10.639/03 – Dez anos, o que mudou na educação brasileira? Em Seminário Virtual Nacional. Historia e Cultura Africana e Afrobrasileira na escola.

Santos, Joisciene e cols. (2010). As Políticas Públicas para a diversidade cultural brasileira. Em Rubim, Antonio Albino Canelas (org.). Políticas culturais no governo Lula. Salvador: EDUFBA.

Silva, Paula Cristina Costa. (2002). A educação física na roda de capoeira: entre a tradição e a globalização. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Universidade de Campinas.

Soares, Carlos Eugenio Líbano. (1993). A negregada instituição: os capoeiras no Rio de Janeiro (1850-1890). Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em História. Instituto de Filosofia e Ciências Sociais. Universidade de Campinas.

Soares, Carlos Eugenio Líbano. (1994). A negregada instituição: os capoeiras no Rio de Janeiro, 1850-1890. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura.

Soares, Carlos Eugenio Líbano. (2004). A capoeira escrava e outras tradições rebeldes no Rio de Janeiro (1808 – 1850). Campinas: EdUniCamp.

Vieira, Luiz Renato. (1998). O Jogo da capoeira: corpo e cultura popular no Brasil. Rio de Janeiro: Sprint.

Vieiralves, Ricardo. (2006, 16 de Agosto). Ministro Gilberto Gil lança projeto capoeira viva. Acessado em 19 de Abril de 2018, de: http://portalcapoeira.com/Noticias-Atualidades/ministro-gilberto-gil-lanca-projeto-capoeira-viva

Downloads

Publicado

2019-08-16

Como Citar

Natividade, L. (2019). O Jogo de Capoeira no Jogo das Políticas Públicas: Uma análise do programa Capoeira viva. Revista Gestão & Políticas Públicas, 9(1), 70-83. https://doi.org/10.11606/rgpp.v9i1.156768

Edição

Seção

Artigos