O Mal-Estar na Civilização: uma aproximação entre o ensaio de Freud e o impacto das mídias digitais

Autores

  • Rafael Rebelo Universidade Nilton Lins
  • Valdeni Terezinha Soares da Silva Universidade Nilton Lins

DOI:

https://doi.org/10.11606/rgpp.v11i1.193740

Palavras-chave:

Mal-Estar na Civilização, Pós-Modernidade, Mídias Digitais, Ação Pública, Psicologia Política

Resumo

Este artigo se propõe a fazer uma revisão do ensaio de Sigmund Freud “O Mal-Estar na Civilização”, publicado em 1930, estabelecendo uma aproximação com o impacto das mídias digitais e da Internet em nosso cotidiano. O referencial teórico é embasado na perspectiva relativa à psicologia social de Freud e suas teorias psicanalíticas. Para aproximar o texto base com nossa atual realidade, fez-se uma síntese sobre o conceito do homem pós-moderno. Como a popularização dos smartphones e aparelhos de mídias digitais é um evento com uma estimativa de 10 anos, muitas pesquisas ainda devem ser feitas para se compreender melhor em como isto está afetando a sociedade. A metodologia foi elaborada a partir da abordagem qualitativa, do tipo pesquisa bibliográfica exploratória, através de material já publicado, constituído principalmente de: livros, revistas científicas, teses, monografias, artigos científicos e sites de Internet especializados e embasados em fontes confiáveis. O artigo faz uma revisão dos estudos mais importantes sobre o impacto das mídias digitais na sociedade, priorizando os estudos situados a partir do ano de 2014 até o ano de 2019. Ao longo desta pesquisa foi constatado que: a Internet está atuando como facilitadora no processo civilizatório, assim como Freud afirmava que a religião atuava; as grandes marcas comerciais estão potencializando o uso problemático de mídias interativas, beneficiando-se diretamente pelo uso prolongado do usuário; e a introdução precoce das tecnologias potencializa aspectos negativos no desenvolvimento humano, no comportamento social e na saúde mental de crianças e adolescentes, o que enseja maior atenção do poder publico e da sociedade, sobretudo no tocante à promoção de políticas públicas com instrumento de Ação Publica. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Rebelo, Universidade Nilton Lins

Psicólogo formado pela Universidade Nilton Lins, Manaus, AM, Brasil.

Valdeni Terezinha Soares da Silva, Universidade Nilton Lins

Psicóloga pela Universidade Luterana do Brasil, Canos RS, Brasil, Especialista em Educação na Saúde para Preceptores do SUS e mestra em Educação pela Universidade do Minho, Portugal. Atualmente é docente da Graduação em Psicologia na Universidade Nilton Lisns, Manaus, AM, Brasil.

Referências

Abreu, Cristiano Nabuco. (2020). Psicologia do Cotidiano 2: Como a ciência explica o comportamento humano. Porto Alegre: Artmed.

Abreu, Cristiano Nabuco., & Young, Kimberly S. (2011). Dependência de Internet – Manual e Guia de Avaliação e Tratamento. Porto Alegre: Artmed.

Abreu, Cristiano Nabuco., & Young, Kimberly S. (2019). Dependência de Internet em Crianças e Adolescentes: Fatores de Risco, Avaliação e Tratamento. Porto Alegre: Artmed.

Bardin, Laurence. (2011). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Bauman, Zygmunt. (1998). O Mal-Estar da Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Bauman, Zygmunt. (2001). Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Bauman, Zygmunt. (2004). Amor Líquido – Sobre a Fragilidade Dos Laços Humanos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Bauman, Zygmunt., & Dessal, Gustavo. (2017). O Retorno do Pêndulo: Sobre a Psicanálise e o Futuro do Mundo Líquido. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Birman, Joel. (2007). Mal-estar na atualidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Cavaco, Nanci Azevedo. (2010). Consumismo é Coisa da sua Cabeça. Rio de Janeiro: Editora Ferreira.

Cortella, Mário Sergio., & Dimenstein, Gilberto. (2015). A Era da Curadoria: O que importa é saber o que importa! – Educação e Formação de Pessoas em Tempos Velozes. Campinas, SP: Papirus 7 Mares.

Dalgalarrondo, Paulo. (2019). Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais. Porto Alegre: Artmed.

Dunker, Christian Ingo Lenz. (2015). Mal-estar, Sofrimento e Sintoma: Uma Psicopatologia do Brasil entre Muros. São Paulo: Boitempo.

Eyal, Nir. (2019). Indistraível: Como dominar sua atenção e assumir o controle da sua vida. Cascavel: Editora AlfaCon.

Eyal, Nir. (2020). Hooked (Engajado): Como construir produtos e serviços formadores de hábitos. Cascavel: Editora AlfaCon.

Freud, Sigmund. (2010). O Mal-Estar na Civilização, Novas Conferências Introdutórias à Psicanálise e Outros Textos (1930-1936). Obras Completas Volume 18. São Paulo: Companhia das Letras.

Freud, Sigmund. (2011). O Eu e o Id, “Autobiografia” e Outros Textos (1923-1925). Obras Completas Volume 16. São Paulo: Companhia das Letras.

Fucuta, Brenda. (2018). Hipnotizados: O que os nossos filhos fazem na Internet e o que a Internet faz com eles. Rio de Janeiro: Objetiva.

Gil, Antonio Carlos. (2008). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas.

Harari, Yuval Noah. (2016). Homo Deus – Uma Breve História do Amanhã. São Paulo: Companhia das Letras.

Harari, Yuval Noah. (2019). Sapiens – Uma Breve História da Humanidade. Porto Alegre, RS: L&PM.

Harari, Yuval Noah. (2018). 21 Lições para o Século 21. São Paulo: Companhia das Letras.

Haynes, Trevor. (2018). Dopamine, Smartphones & You: A Battle For Your Time. Science in the News, Acessado em 20 de outubro de 2019, de: http://sitn.hms.harvard.edu/flash/2018/dopamine-smartphones-battle-time/

Kahneman, Daniel. (2012). Rápido e Devagar: Duas Formas de Pensar. Rio de Janeiro: Objetiva.

Machado, Jorge., & Queiroz, Alcimar. (2012). Segurança, controle e monitoramento versus direitos fundamentais: Uma análise do projeto de lei "Marco Civil da Internet". Revista Gestão & Políticas Públicas, 2(1), 166-184. Acessado em 20 de dezembro de 2020, de: https://doi.org/10.11606/issn.2237-1095.v2i1p166-184

Machado, Jorge. (2017). O Modelo de Expansão da Banda Larga no Brasil: uma análise de políticas de infraestrutura e de gestão do espectro para a universalização do acesso à Internet. Revista Gestão & Políticas Públicas, 7(2), 199-219. Acessado em 20 de dezembro de 2020, de: https://doi.org/10.11606/rg&pp.v7i2.155964

Macit, Hüseyin., Macit, Gamze., & Güngör, Orhan. (2018). A Research on Social Media Addiction and Dopamine Driven Feedback. Journal of Mehmet Akif Ersoy Üniversitesi İktisadi ve İdari Bilimler Fakültesi Dergisi, 5(3), 882-897. Acessado em 20 de outubro de 2019, de: https://dergipark.org.tr/tr/download/article-file/607734

Quinodoz, Jean-Michel. (2007). Ler Freud: Guia de Leitura da Obra de S. Freud. Porto Alegre: Artmed.

Richter, Ernesto. (2013). Psicologia política e a teoria freudiana. Psicologia Política, 13(28),421-475.

Schwab, Klaus. (2016). A Quarta Revolução Industrial. São Paulo: Edipro.

Silva, Alessandro Soares da. (2012a). Psicologia Política, Movimentos Sociais e Políticas Públicas. Tese (Livre Docência). Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo.

Silva, Alessandro Soares da. (2012b). A Psicologia Política no Brasil: lembranças e percursos sobre a constituição de um campo interdisciplinar. Revista Psicologia Política, 12(25), 409-426. Acessado em 24 de setembro de 2019, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2012000300004&lng=pt&tlng=pt

Silva, Alessandro Soares da. (2018a). A Ação Pública: um outro olhar sobre Estado, Sociedade e Políticas Públicas. Revista Gestão & Políticas Públicas, 8(1), 194-204. Acessado em 15 de fevereiro de 2021, de: https://doi.org/10.11606/rgpp.v8i1.175154

Silva, Alessandro (2018a). Um Esboço do que poderia ser a Psicologia Política da Ação Pública. Cadernos da ANPEPP, GT 62, Psicologia Política. Acessado em 25 de fevereiro de 2018, de: https://www.researchgate.net/publication/344134091_Um_Esboco_do_que_poderia_ser_a_Psicologia_Politica_da_Acao_Publica

Silva, Alessandro Soares da., & Corrêa, Felipe. (2015). No interstício das disciplinaridades: a psicologia política. Curitiba: Prismas.

Silva, Alessandro Soares da., Mello-Théry, Neli Ap.., & Romero, Juan Carlos. (2018). Reflexiones acerca del cambio social y participación política como campo interdisciplinar de producción del saber. Revista de Investigación Psicológica, 20, 83-96. Acessado em 19 de abril de 2020, de: https://www.researchgate.net/publication/343575539_Reflexiones_acerca_del_cambio_social_y_participacion_politica_como_campo_interdisciplinar_de_produccion_del_saber

Skinner, Burrhus Frederic. (2011). Sobre o Behaviorismo. São Paulo: Cultrix.

Skinner, Burrhus Frederic. (2015). Ciência e Comportamento Humano. São Paulo: Martins Fontes.

Smithereens. (2019). Black Mirror. (Temporada 5, ep. 2), Direção: James Hawes. Produção: Netflix. Inglaterra: Zeppotron (70 min). Acessado em 19 de abril de 2020, de: https://www.netflix.com/br/title/70264888

Striking Vipers. (2019). Black Mirror. (Temporada 5, ep. 1), Direção: Owen Harris. Produção: Netflix. Brasil: Zeppotron, (61 min). cessado em 19 de abril de 2020, de: https://www.netflix.com/br/title/70264888

Twenge, Jean M. (2018). iGen: Por que as crianças superconectadas de hoje estão crescendo menos rebeldes, mais tolerantes, menos felizes e completamente despreparadas para vida adulta. São Paulo: nVersos.

Wiener, Norbert. (1954). Cibernética e Sociedade - O Uso Humano de Seres Humanos. São Paulo: Cultrix.

Downloads

Publicado

2021-08-21

Como Citar

Rebelo, R., & Silva, V. T. S. da. (2021). O Mal-Estar na Civilização: uma aproximação entre o ensaio de Freud e o impacto das mídias digitais. Revista Gestão & Políticas Públicas, 11(1), 129-155. https://doi.org/10.11606/rgpp.v11i1.193740