Reajuste de preços na indústria farmacêutica brasileira e o fator X: uma avaliação usando o método de fronteiras estocásticas

Autores

  • Fabiana Rocha Universidade de São Paulo
  • Igor Viveiros Souza Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2237-1095.v1p131-149

Resumo

O objetivo deste artigo é propor uma metodologia alternativa aquela apresentada pela resolução da CMED para calcular a produtividade da indústria farmacêutica durante o período 2000-2006. Utiliza-se o índice de produtividade total dos fatores (PTF) de Malmquist proposto por Caves, Christensen e Diwert (1982). Para a obtenção do índice é aplicada a metodologia de fronteiras estocásticas desenvolvida por Battese e Coelli (1995). Esta metodologia permite a separação da PTF em variação na eficiência técnica (uso da melhor tecnologia disponível) e variação tecnológica (mudanças na fronteira de produção propriamente dita). Utiliza-se uma base de dados única obtida através de pesquisa feita pela FIPE junto a empresas da indústria farmacêutica. Os resultados indicam uma perda de produtividade em 2005 e 2006, ao contrário do que estabelece o governo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-12-31

Como Citar

Rocha, F., & Souza, I. V. (2011). Reajuste de preços na indústria farmacêutica brasileira e o fator X: uma avaliação usando o método de fronteiras estocásticas. Revista Gestão & Políticas Públicas, 1(2), 131-149. https://doi.org/10.11606/issn.2237-1095.v1p131-149

Edição

Seção

Artigos