Educação, currículo e diferenças: uma análise dos povos indígenas na educação escolar do Mato Grosso do Sul, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i77p51-69

Palavras-chave:

Educação básica, currículo, cultura, indígenas

Resumo

Este artigo é fundamentado em pesquisa realizada sobre o currículo da educação escolar do estado de Mato Grosso do Sul (MS) e tem como objetivo analisar como os conteúdos relacionados às culturas e histórias dos povos indígenas, instituídos pela Lei n. 11.645/08, são apresentados no Referencial Curricular para o Ensino Médio (RCEM) na área de ciências humanas. Com a implantação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) e a criação da Lei n. 11.645, de 2008, novos desafios surgiram aos profissionais da educação básica. O não cumprimento dessas leis pode prejudicar a construção de uma postura crítica dos professores e estudantes sobre os conhecimentos que tratam dos povos indígenas que lutam pela sobrevivência de suas histórias, culturas e direitos diante do histórico contato interétnico de preconceito e de violência por parte dos não indígenas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sanderson Pereira Leal, Governo do Estado do Mato Grosso do Sul . Secretaria Estadual de Educação

Sanderson Pereira Leal é professor de sociologia da Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul na cidade de Campo Grande (SED/MS) e mestre em Educação pelo Programa Profissional em Educação da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Walter Guedes da Silva, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Walter Guedes da Silva é professor associado do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu – Mestrado Profissional em Educação – da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Referências

ARROYO, M. G. Currículo, território em disputa. 5 ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

ASCURI – Associação Cultural dos Realizadores Indígenas. Nossos vídeos. Disponível em: https://www.ascuri.org/videos. Acesso em: set. 2019.

AZEVEDO, F. et al. (2006). Manifesto do Pioneiros da Educação Nova. Revista Histedbr on-line, Campinas, n. especial, p. 88-204, 2016.

BHABHA. H. O local da cultura. 3. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2005.BITTENCOURT, C. M. F. História das populações indígenas na escola: memórias e esquecimentos. In: PEREIRA, A. A.; MONTEIRO, A. M. (orgs.). Ensino de histórias afro-brasileiras e indígenas. Rio de Janeiro: Pallas, 2013, p. 101-132. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/37520969.pdf. Acesso em: 20 fev. 2018.

BRAND, A. O impacto da perda da terra sobre a tradição kaiowá/guarani: os difíceis caminhos da palavra. 1997. 382f. Tese (Doutorado em História). Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1997.

BRAND, A. “Quando chegou esses que são nossos contrários” – a ocupação espacial e o processo de confinamento dos Kaiowá/Guarani no Mato Grosso do Sul. Multitemas, Campo Grande, n. 12, p.21-51, 1998. Disponível em: http://www.multitemas.ucdb.br/article/view/1235/1151. Acesso em: 3 jul 2018.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Senado Federal, 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm . Acesso em: 14 jan. 2019.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações determinadas pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/94, pelas Emendas Constitucionais nos 1/92 a 91/2016 e pelo Decreto Legislativo no 186/2008. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2016. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf. Acesso em: 4 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais para o ensino médio: ciências humanas e suas tecnologias. Brasília, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/cienciah.pdf. Acesso em: 10 mai. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 11.645, de 10 de março de 2008. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Brasília: Câmara dos Deputados. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11645.htm . Acesso em: 20 jul. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei n. 11.648, de 2 de junho de 2008. Altera o art. 36 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir a Filosofia e a Sociologia como disciplinas obrigatórias nos currículos do ensino médio. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/L11684.htm. Acesso em: 20 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC, 2013.

CARMO, C. R.; EDDINE, E. A. Desenvolvimento e transformação da sociedade pela educação em direitos humanos como processo permanente de conquistas. In: GUTIERREZ, J. P.; URQUIZA, A. H. A. (orgs.). Direitos humanos e cidadania: desenvolvimento pela educação em direitos humanos. Campo Grande: UFMS, 2013, p. 223-242.

CIMI – CONSELHO INDIGENISTA MISSIONÁRIO. Relatório violência contra os povos indígenas no Brasil: dados de 2017. 168p. Disponível em: https://cimi.org.br/wp-content/uploads/2018/09/Relatorio-violencia-contra-povos-indigenas_2017-Cimi.pdf. Acesso em: 30 ago. de 2019.

COLLET, C.; PALADINO, M.; RUSSO, K. Quebrando preconceitos: subsídios para o ensino das culturas e histórias dos povos indígenas. v. 3. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria; Laced, 2014. (Série Traçados, v. 3). Disponível em:

https://www.ufrgs.br/lhiste/quebrando-preconceitos-subsidios-para-o-ensino-das-culturas-e-historias-dos-povos-indigenas. Acesso em: set. 2019.

CURY, C. R. J. A educação básica no Brasil. Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80, p. 168-200, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v23n80/12929.pdf . Acesso em: 12 jul. 2017.

FUNAI – Fundação Nacional do Índio. Índios no Brasil. Disponível em: http://www.funai.gov.br/index.php/index.php# . Acesso em: 12 jan. 2019.

GILAVERTE, A. P. Quem são os povos indígenas para os estudantes? Reflexões sobre o currículo básico comum do estado de Minas Gerais, 09/12/2014, 128f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de São Carlos: Biblioteca Digital de Teses. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2741?show=full. Acesso em: 26 jul. 2017.

GOMES, N. L. Relações étnico-raciais, educação e descolonização dos currículos. Currículo sem fronteiras, v. 12, n. 1, p. 98-109, 2012. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol12iss1articles/gomes.pdf. Acesso em: 4 jan. 2018.

GRAÚNA, G. Educação, literatura e direitos humanos: visões indígenas da lei 11.645/08. Educação & Linguagem, v. 14, n. 23/24, p. 231-260, 2011. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/EL/article/view/2918. Acesso em: 5 fev. 2018.

GUTIERREZ, J. P. Os direitos dos povos indígenas. In: URQUIZA, A. H. A. (org.). Culturas e história dos povos indígenas em Mato Grosso do Sul. Campo Grande: UFMS, 2013, p. 281-304.

HISTÓRIAS E CULTURAS INDÍGENAS NA ESCOLA. In: Rede do Saber. Produzido pelo Núcleo de Inclusão Educacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (videoaulas), 2018. Disponível em: http://www.rededosaber.sp.gov.br/portais/Default.aspx?tabid=1249. Acesso em: 1o set. de 2019.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Os indígenas no Censo Demográfico 2010. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Pesquisas. Disponível em: https://indigenas.ibge.gov.br/images/indigenas/estudos/indigena_censo2010.pdf. Acesso em: 29 abr. 2019.

ÍNDIOS no Brasil. Direção: Vincent Carelli. Edição: Tutu Nunes/editor. Realização: TV Escola/MEC/Vídeo nas Aldeias, Brasil (DVD), 2000. Disponível em: http://www.videonasaldeias.org.br/2009/video.php. Acesso em: 2 set. 2019.

LDB: Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Atualizada até março de 2017. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017. Disponível em: http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/529732/lei_de_diretrizes_e_bases_1ed.pdf. Acesso em: 2 jan. 2019.

LEAL, S. P.; CALDERONI, V. A. O. A (quase) ausência de conhecimentos sobre os povos indígenas em um dos livros didáticos de sociologia da rede estadual de ensino de MS. In. CONGRESSO INTERNACIONAL DE DIREITOS HUMANOS, 12., Anais... Organização de Carla Fabiana Costa Calarge e Antonio Hilario Aguilera Urquiza. Campo Grande: UCDB, 2015, p. 475-491. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/0B1K9blGsFl_YejZTTHphZWVEQ2c/view. Acesso: 5 set. 2016.

MATO GROSSO DO SUL. Secretaria de Estado de Educação. Referencial curricular da rede estadual de ensino de Mato Grosso do Sul, Ensino Médio. Campo Grande, 2012.

MCDB – Museu das Culturas Dom Bosco. Disponível em: http://www.mcdb.org.br/. Acesso em: set. 2019.

MIGNOLO, W. D. Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. Cadernos de Letras da UFF, Dossiê: Literatura, língua e identidade, n. 34, 2008, p. 287-324. Disponível em: http://www.cadernosdeletras.uff.br/joomla/images/stories/edicoes/34/traducao.pdf. Acesso em: 18 jun. 2018.

MOREIRA, A. F. B. (Org.). Currículo: Questões Atuais. 6ª ed. Campinas: Papirus, 2001.

O POVO brasileiro de Darcy Ribeiro. Idealização e direção: Isa Grinspum Ferraz. 1995. Fundação Darci Ribeiro, TV Cultura e GNT. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=rQOPdiEdX24. Acesso em: 4 set. 2019.

SÃO PAULO (Estado). Governo do Estado de São Paulo. Secretaria da Educação. Rede do Saber. Educação Escolar Indígena. Histórias e culturas indígenas. Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação do Estado de São Paulo “Paulo Renato Costa Souza”. Videoaulas. 2008. Disponível em: http://www.rededosaber.sp.gov.br/portais/Default.aspx?tabid=1249. Acesso em: 1 set. 2019.

SILVA, A. L.; GRUPIONI, L. D. B. (orgs.). A temática indígena na escola: novos subsídios para professores de 1º e 2º grau. Brasília: MEC/Mari/Unesco, 1995. Disponível em:

http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=26725. Acesso em: set. 2019. SILVA, M. P. A temática indígena no currículo e a Lei 11.645/2008: mais um desafio à realidade escolar. Revista Contexto, v. 4, n. 1-2, p. 111-126, 2013. Disponível em: https://www.fundaj.gov.br/images/stories/epepe/III_EPEPE/a_tematica_indigena.pdf . Acesso em: 2 fev. 2018.

SILVA, M. P. A “presença” dos povos indígenas nos subsídios didáticos: leitura crítica sobre as abordagens das imagens e textos impressos. Mnemosine Revista, v. 1, n. 2, p. 221-243, 2010. Disponível em: https://bit.ly/3i1R1KJ. Acesso em: 17 abr. 2015.

SOUZA, I. A Lei 11.645 e a educação básica. In: URQUIZA, A. H. A. (org.). Culturas e história dos povos indígenas em Mato Grosso do Sul. Campo Grande: UFMS, 2013, p. 305-331.

TEATRO Imaginário Maracangalha. Tekoha. Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno. Disponível em: http://imaginariomaracangalha.blogspot.com/p/tekoha.html. Acesso em: set. 2019.

URQUIZA, A. H. A. Antropologia e história dos povos indígenas em Mato Grosso do Sul. Campo Grande: UFMS, 2016.

URQUIZA, A. H. A.; BANDUCCI, A. Culturas e relações interétnicas, algumas aproximações conceituais. In: URQUIZA, A. H. A. (org.). Culturas e história dos povos indígenas em Mato Grosso do Sul. Campo Grande: UFMS, 2013, p. 167-216.

URQUIZA, A. H. A.; BANDUCCI, A. Culturas e relações interétnicas, algumas aproximações conceituais. In: URQUIZA, A. H. A. (org.). Culturas e história dos povos indígenas em Mato Grosso do Sul. Campo Grande: UFMS, 2013, p. 167-216.

VANUCHI, P. Programa Nacional de Direitos Humanos. Secretaria Especial de Direitos Humanos. Brasília: SEDH, 2010.

WENCESLAU, M. E.; SILVA, W. G. O espaço na comunidade indígena de Dourados – identidade e alteridade. Revista Geográfica de América Central, v. 2, p. 1-12, 2011. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/4517/451744820538.pdf. Acesso em: 15 ago. 2018.

WITTMANN, L. T. (Org.). Ensino (d)e história indígena. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

Downloads

Publicado

2020-12-03

Como Citar

Leal, S. P., & Silva, W. G. da. (2020). Educação, currículo e diferenças: uma análise dos povos indígenas na educação escolar do Mato Grosso do Sul, Brasil. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, 1(77), 51-69. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i77p51-69

Edição

Seção

Artigos