“Esquecer Williams?”: materialismo cultural, estruturas de sentimento e pesquisas sobre música popular no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i77p168-183

Palavras-chave:

Raymond Williams, materialismo cultural, estruturas de sentimento, pesquisas em música popular

Resumo

Desenvolvida por Raymond Williams, a hipótese cultural das estruturas de sentimento vem sendo, no Brasil, bastante referenciada em pesquisas sobre manifestações artísticas diversas, em particular – o que nos interessa especificamente – em pesquisas de caráter histórico ou sociológico sobre a música popular gravada. A partir de impressões colhidas em nosso percurso acadêmico, notamos, entretanto, certa desarticulação da noção em pauta em relação ao materialismo cultural concebido e defendido pelo autor. De início, retomamos algumas questões fundamentais que nortearam o debate crítico de Williams com os estudos culturais de tradição marxista em sua época, para, em seguida, discutir o potencial teórico-metodológico de suas reflexões para a pesquisa em música popular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheyla Castro Diniz, Universidade de São Paulo

Sheyla Castro Diniz é pós-doutoranda em História Social na Universidade de São Paulo (USP) e autora de ... De tudo que a gente sonhou”: amigos e canções do Clube da Esquina (São Paulo: Intermeios/Fapesp, 2017).

Referências

ADORNO, Theodor. (1967). Teses sobre sociologia da arte. In: COHN, Gabriel (org.). Adorno: sociologia. São Paulo: Ática, 1986, p. 108-114. (Coleção Grandes Cientistas Sociais).

ADORNO, Theodor. (1968). Mediação. In: ADORNO, Theodor. Introdução à sociologia da música: doze preleções teóricas. Tradução de Fernando R. de Moraes Bastos. São Paulo: Ed. Unesp, 2011, p. 361-398. (Coleção Adorno).

BOURDIEU, Pierre. (1989). O poder simbólico. 12. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009.

CEVASCO, Maria Elisa. Para ler Raymond Williams. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

CEVASCO, Maria Elisa. O diferencial da crítica materialista. Idéias, Revista do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, Campinas, n. 7, Nova Série, 2013, p. 15-30.

DINIZ, Sheyla Castro. Desbundados e marginais: MPB e contracultura nos “anos de chumbo” (1969-1974). Tese (Doutorado em Sociologia). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 2017.

DOSSIÊ Raymond Williams: um expoente do marxismo ocidental. Cult, n. 217, jun., 2017.

FILMER, Paul. A estrutura do sentimento e das formações socioculturais: o sentido de literatura e de experiência para a sociologia da cultura de Raymond Williams. Tradução de Leila Curi Rodrigues Olivi. Estudos de Sociologia, Araraquara, v. 14, n. 27, 2009, p. 371-396.

GARNHAM, Nicholas; WILLIAMS, Raymond. Pierre Bourdieu and the sociology of culture: an introduction. Media, Culture and Society, Londres, v. 2, 1980, p. 209-223.

GLASER, André. Raymond Williams: materialismo cultural. São Paulo: Edusp, 2011.

MARX, Karl. (1859). Contribuição à crítica da economia política. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MIDDLETON, Richard. Studying popular music. London: Open University Press, 1990.

MIGLIEVICH, Adelia. Sobre “estruturas de sentimentos” e contra-hegemonia em Raymond Williams. Labemus, Blog do Laboratório de estudos de teoria e mudança social, 28 set. 2016. Disponível em: https://blogdolabemus.com/2016/09/28/sobre-estruturas-de-sentimentos-e-contra-hegemonia-em-raymond-williams/. Acesso em: set. 2016.

MIGLIEVICH, Adelia. Raymond Williams e “estruturas de sentimentos”: os afetos como criatividade social. Resgate, Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, v. 28, 2020, p. 1-22.MOLINA, Sérgio. Música de montagem: a composição de música popular no pós-1967. São Paulo: É Realizações, 2017.

PASSIANI, Enio. Afinidades eletivas: uma comparação entre as sociologias da literatura de Pierre Bourdieu e Raymond Williams. Estudos de Sociologia, Araraquara, v. 14, n. 27, 2009, p. 285-299.

RIDENTI, Marcelo. Em busca do povo brasileiro: artistas da revolução, do CPC à era da TV. Rio de Janeiro: Record, 2000.

RIDENTI, Marcelo. Brasilidade revolucionária: um século de cultura e política. São Paulo: Ed. Unesp, 2010.

SANDRONI, Carlos. Feitiço decente: transformações do samba no Rio de Janeiro, 1917-1933. Rio de Janeiro: Jorge Zahar/Ed. UFRJ, 2001.

SARLO, Beatriz. Raymond Williams: uma releitura. In: SARLO, Beatriz. Paisagens imaginárias: intelectuais, arte e meios de comunicação. São Paulo: Edusp, 1997a, p. 85-95.

SARLO, Beatriz. Esquecer Benjamin. In: SARLO, Beatriz. Paisagens imaginárias: intelectuais, arte e meios de comunicação. São Paulo: Edusp, 1997b, 97-105.

WILLIAMS, Raymond. The long revolution. Middlesex: Penguin, 1965.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

WILLIAMS, Raymond. Problems in materialism and culture: selected essays. London: Verso, 1980.

WILLIAMS, Raymond. (1973). O campo e a cidade: na história e na literatura. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

WILLIAMS, Raymond. Cultura. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

WILLIAMS, Raymond. (1976). Palavras-chave: um vocabulário de cultura e sociedade. São Paulo: Boitempo, 2007.

WILLIAMS, Raymond. Tragédia moderna: cinema, teatro e modernidade. 2. ed. São Paulo: Cosac Naify, 2011a.

WILLIAMS, Raymond. (1958). Cultura e sociedade: de Coleridge a Orwell. Petrópolis: Vozes, 2011b.

WILLIAMS, Raymond. (1980). Cultura e materialismo. São Paulo: Ed. Unesp, 2011c.

WILLIAMS, Raymond. (1979). A política e as letras: entrevistas da New Left Review. São Paulo: Ed. Unesp, 2013.

WILLIAMS, Raymond. (1989). Recursos da esperança: cultura, democracia, socialismo. São Paulo: Edusp, 2015a.

WILLIAMS, Raymond. (1958). A cultura é algo comum. In: WILLIAMS, Raymond. Recursos da esperança: cultura, democracia, socialismo. São Paulo: Edusp, 2015b, p. 3-28.

WILLIAMS, Raymond. (1975). Você é marxista, não é?. In: WILLIAMS, Raymond. Recursos da esperança: cultura, democracia, socialismo. São Paulo: Edusp, 2015c, p. 97-113.

WILLIAMS, Raymond. (1974). Televisão: tecnologia e forma cultural. São Paulo: Boitempo; Belo Horizonte, PUC-Minas, 2016.

WILLIAMS, Raymond; ORROM, Michael. Preface to film. Londres: Film Drama, 1954.

Downloads

Publicado

2020-12-03

Como Citar

Diniz, S. C. (2020). “Esquecer Williams?”: materialismo cultural, estruturas de sentimento e pesquisas sobre música popular no Brasil . Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, 1(77), 168-183. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i77p168-183

Edição

Seção

Artigos