Diários de Maria Isabel Silveira: vestígio e inscrição de uma voz

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i77p220-250

Palavras-chave:

Maria Isabel Silveira, Diário, narrativas, memória, história das mulheres, escrita feminina

Resumo

Este artigo aborda o conjunto de diários pertencentes a Maria Isabel Silveira, casada com o escritor e político Valdomiro Silveira, cujo acervo pessoal foi doado ao IEB/USP em 2006. Em meio aos documentos, atualmente sob a guarda da instituição, destaca-se o conjunto de 62 cadernos que pertenceram a Maria Isabel, entre os quais os volumes que acolheram a sua escrita diarística como registro do cotidiano de sua família, especialmente de seus filhos e, posteriormente, de seu dia a dia. O presente estudo versa sobre materialidade documental, escrita feminina e memória das mulheres, tendo como corpus os diários de Maria Isabel, uma mulher que, com rigor e disciplina, escreveu sobre si e, consequentemente, sobre sua época.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Diniz Mendes, Universidade de São Paulo

Mariana Diniz Mendes é mestranda em Literatura Brasileira com bolsa de auxílio à pesquisa (Capes) no Programa de Pós-Graduação em Literatura Brasileira da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP) e integrante do Conselho de Curadores do Prêmio Jabuti.

Referências

BLANCHOT, Maurice. O livro por vir. Trad. Leyla Perrone-Moisés. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

CARVALHO, Vânia Carneiro de. Gênero e artefato: o sistema doméstico na perspectiva da cultura material – São Paulo, 1870-1920. São Paulo: Edusp, 2008.

COMTE-SPONVILLE , André. Bom dia, angústia!. Tradução de Maria Ermantina Galvão G. Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

GAY, Peter. O coração desvelado: a experiência burguesa da rainha Vitória a Freud. Tradução: Sérgio Bath. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. p.364-365.

LACERDA, Lilian de. Álbum de família: memórias de vida, histórias de leitoras. São Paulo: Editora Unesp, 2003.

LEJEUNE, Philippe. O diário: gênese de uma prática. In: GUTFREIND, Cristiane Freitas (org.). Narrar o biográfico. Tradução: Vanise Dresch. Porto Alegre: Editora Sulina, 2015.

MORAES, Maria da Glória Quartim de. Reminiscências de uma velha. Compilado por Yone Quartim. s. l., s. n. [1981]. 219 p.

PERROT, Michelle. Minha história das mulheres. Tradução: Angela M. S. Côrrea. São Paulo: Contexto, 2017.

SILVEIRA, Maria Isabel. Isabel quis Valdomiro: memórias. São Paulo: Francisco Alves, 1962.

SIMIONI, Ana Paula Cavalcanti; ELEUTÉRIO, Maria de Lourdes. Mulheres, arquivos e memórias. Apresentação do Dossiê. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, Brasil, n. 71, p. 19-27, dez. 2018. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i71p19-27.

SIMONET-TENANT, Françoise. Le journal intime: genre littéraire et écriture ordinaire. Paris: Téraèdre, 2004.

VIANA, Maria José Motta. Do sótão à vitrine: memórias de mulheres. Belo Horizonte: Editora UFMG/Faculdade de Letras da UFMG, 1995.

Downloads

Publicado

2020-12-03

Como Citar

Mendes, M. D. . (2020). Diários de Maria Isabel Silveira: vestígio e inscrição de uma voz. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, 1(77), 220-250. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i77p220-250

Edição

Seção

Documentação