A história vista pelas lentes das ciências sociais

uma interpretação de Economia colonial brasileira nos séculos XVI e XVII, de Celso Furtado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i78p206-222

Palavras-chave:

Celso Furtado, Escola dos Annales, história econômica brasileira

Resumo

O artigo propõe uma leitura da tese de doutorado de Celso Furtado, intitulada Economia colonial brasileira nos séculos XVI e XVII, defendida na Universidade de Paris em 1948. Embora seja considerado o trabalho mais historiográfico de Celso Furtado, argumentamos que seu contato com a história, nesse momento, foi orientado por questões colocadas pelas ciências sociais. Para tanto, examinamos alguns temas de sua tese indicando como a análise é inspirada por questões originadas da sociologia e da economia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Silva, Universidade Federal de Alfenas

Roberto Pereira Silva é professor do Bacharelado em Ciência e Economia e do Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal de Alfenas (Unifal).

Referências

ALCOUFFE, Alain. Furtado, o Brasil e os economistas franceses: influências cruzadas. In: COELHO, Francisco Silva; GRANZIERA, Rui Guilherme (org.). Celso Furtado e a Formação econômica do Brasil. Edição comemorativa dos 50 anos de publicação (1959-2009). São Paulo: Atlas, 2009.

ARRUDA, José Jobson de Andrade. Historiografia: consciência crítica da produção histórica. In: ARRUDA, José Jobson de Andrade. Historiografia: teoria e prática. São Paulo: Alameda, 2014.

BIANCONI, Renata. L’oeuvre de Celso Furtado à Paris: le parcours d’un intellectuel et homme d’État. Thèse de doctorat/Histoire moderne. Université Paris-Sorbonne, 2014.

BOIANOVSKY, Mauro. Between Lévi-Strauss and Braudel: Furtado and the historical-structural method in Latin American political economy. Journal of Economic Methodology, v. 22, n. 4, 2015, p. 1-26. https://doi.org/10.1080/1350178x.2015.1024879

BURKE, Peter. A Revolução Francesa da historiografia: a Escola dos Annales 1929-1989. São Paulo: Editora da Unesp, 1997.

COUTINHO, Maurício C. A teoria econômica de Celso Furtado: formação econômica do Brasil. In: LIMA, Marcos Costa; DAVID, Maurício Dias (org.). A atualidade do pensamento de Celso Furtado. Goiás: Verbena, 2008.

D’AGUIAR, Rosa Freire. Introdução – Os anos de formação. In FURTADO, Celso. Anos de formação – 1938-1948: o jornalismo, o serviço público, a guerra o doutorado. Organização de Rosa Freire d’Aguiar. Rio de Janeiro: Contraponto: Centro Internacional Celso Furtado de Política para o Desenvolvimento, 2014, p. 7-28. (Arquivos Celso Furtado 6).

DOSSE, François. A história em migalhas: dos Annales à Nova História. Bauru: Edusc, 2003.

FURTADO, Celso. Aventuras de um economista brasileiro. In: FURTADO, Celso. Obra autobiográfica. Tomo II. Organização de Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Paz e Terra, 1997a, p. 9-26.

FURTADO, Celso. A fantasia organizada. In: FURTADO, Celso. Obra autobiográfica. Tomo I. Organização de Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Paz e Terra, 1997b, p. 87-360.

FURTADO, Celso. Obra autobiográfica. Organização de Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Paz e Terra, 1997c. 3 t.

FURTADO, Celso. Economia colonial no Brasil nos séculos XVI e XVII. São Paulo: Hucitec/ABPHE, 2001.

FURTADO, Celso. Em busca de novo modelo: reflexões sobre a crise contemporânea. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FURTADO, Celso. Anos de formação – 1938-1948: o jornalismo, o serviço público, a guerra o doutorado. Organização de Rosa Freire d’Aguiar. Rio de Janeiro: Contraponto/Centro Internacional Celso Furtado de Política para o Desenvolvimento, 2014. (Arquivos Celso Furtado 6).

FURTADO, Celso. Diários intermitentes: 1937-2002. Organização, apresentação e notas de Rosa Freire D’Aguiar. Prefácio de João Antonio de Paula. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

NOVAIS, Fernando A.; SILVA, Rogério F. Introdução. In: NOVAIS, Fernando A.; SILVA, Rogério F. (org.). Nova história em perspectiva. V. 1. São Paulo: Cosac e Naify, 2013.

PAULA, João Antonio de. Celso Furtado, a história e a historiografia. Cadernos do Desenvolvimento, Rio de Janeiro, v. 10, n. 17, p. 144-165, jul.-dez. 2015.

PIRENNE, Henri. Les périodes de l’histoire sociale du capitalisme. Bulletin de l’Academie royale de Belgique, classe de lettres, n. 5, 1914, p. 1-25. Disponível em: https://bit.ly/32XjOL0. Acesso em: 18 ago. 2020.

PIRENNE, Henri. Histoire de l’Europe: des invasions au XVIe siècle. 4. ed. Paris: Alcan; Bruxelas: NSE, 1936.

RACINE, Pierre. Henri Pirenne et Marc Bloch, un nouveau regard sur l’histoire médiévale. In: DEYON, Pierre et al. Marc Bloch, l’historien et la cité. Strasbourg: Presses Universitaires de Strasbourg, 1997, p. 79-88.

RICUPERO, Bernardo. Celso Furtado e o pensamento social brasileiro. Estudos Avançados, v. 19, n. 53, 2005, p. 371-377. https://doi.org/10.1590/s0103-40142005000100024.

SAES, Alexandre Macchione. Celso Furtado, 100 anos: Economia colonial no Brasil nos séculos XVI e XVII (1948). Informações Fipe, n. 476, maio de 2020, p. 55-63.

SANTOS, Pedro Afonso Cristovão. Cobiçando o Amazonas: erudição histórica e diplomacia na questão dos limites entre Brasil e França no Segundo Reinado (1858-1863). Tese (Doutorado em História Social). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2014 .

SÉRGIO, António. Sobre a Revolução de 1383-1385. In: SÉRGIO, António. Ensaios. T. VI. 1. ed. Lisboa: Livraria Sá da Costa, 1971.

SÉRGIO, António. A conquista de Ceuta. Anotações (1919). In: SÉRGIO, António. Ensaios. T. I. 3. ed. Lisboa: Livraria Sá da Costa, 1980.

SEWELL Jr. William H. Lógicas da história: teoria social e transformação social. Rio de Janeiro: Vozes, 2017.

SILVA, Roberto Pereira. O jovem Celso Furtado: história, política e ideologia (1941-1948). Bauru: Edusc, 2011.

SILVA, Roberto Pereira. Celso Furtado, entre a história e a teoria econômica (1948-1959): uma interpretação historiográfica. Tese (Doutorado em História Econômica). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2015. https://doi.org/10.11606/T.8.2015.tde-12112015-163949.

SZMRECSÁNYI, Tamás. Sobre a formação da Formação econômica do Brasil de C. Furtado. Estudos Avançados. São Paulo: EDUSP, v. 13, n. 37, 1999, p. 2017-214. https://doi.org/10.1590/s0103-40141999000300011.

THOEN, Erik ; VANHAUTE, Eric. Pirenne and economic and social theory: influences, methods and reception. Belgisch Tijdschrift voor Nieuwste Geschiedenis. n. 3-4, 2011, p. 323-353.

VERHULST, Adrian. The origins of towns in the Low Countries and the Pirenne thesis. Past & Present, Oxford, n. 122, p. 3-35, Feb., 1989. https://doi.org/10.1093/past/122.1.3.

VIEIRA, Rosa Maria. Celso Furtado: reforma, política e ideologia (1950-1964). São Paulo: Educ, 2007.

Downloads

Publicado

2021-05-04

Como Citar

Silva, R. . (2021). A história vista pelas lentes das ciências sociais: uma interpretação de Economia colonial brasileira nos séculos XVI e XVII, de Celso Furtado . Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, 1(78), 206-222. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i78p206-222

Edição

Seção

Dossiê: Celso Furtado, transdisciplinar e contemporâneo