Formação do professor de geografia: um olhar para o pensamento geográfico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i79p87-103

Palavras-chave:

Educação, pensamento geográfico, formação de professores

Resumo

Atualmente vivemos em tempos de constante transformação educacional, pensando e estudando possibilidades de melhoria da educação em todas as áreas do conhecimento. Para compreender o pensamento geográfico na formação do professor de geografia em dois cursos de licenciatura na modalidade a distância, pretendemos analisar as correntes de pensamento geográfico contidas nas DCNs de geografia e nos PPCs e identificar as correntes de pensamento geográfico contidas na matriz curricular dos cursos. A abordagem foi qualitativa e a técnica utilizada foi a análise documental dos cursos. A corrente de pensamento que mais foi identificada foi a crítica, evidenciando nos documentos a interação entre o espaço vivido e a sociedade, não sendo possível, no entanto, perceber no estudo como essa interação é organizada na modalidade a distância.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréa Marcelino, Universidade do Extremo Sul Catarinense

Andréa Rabelo Marcelino é professora e coordenadora do Curso de Geografia da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC).

Gildo Volpato, Universidade do Extremo Sul Catarinense

Gildo Volpato é professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Extremo Sul Catarinense (PPGE/Unesc).

Referências

ANDRADE, Manuel Correia de. Geografia: ciência da sociedade. São Paulo: Atlas, 1987.

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalho na graduação. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

ARCASSA, Wesley de Souza. Friedrich Ratzel: a importância de um clássico. Geographia Opportuno Tempore, v. 3, n. 1, 2017, p. 98-115. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel//index.php/Geographia/article/view/31840. Acesso em: 22 de janeiro de 2019.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BESSI, Meri Lourdes. Região: uma (re)visão historiográfica – da gênese aos novos paradigmas. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2004.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Características da investigação qualitativa. In: BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994, p. 47-51. (Coleção Ciências da Educação 12).

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei 9.394, de 20 de dezembro 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 22 jan. 2019.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: história, geografia/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF,1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro051.pdf. Acesso em: 22 jan. 2019.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: geografia. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/geografia.pdf. Acesso em: 22 jan. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação/Câmara Superior de Educação. Parecer CNE/CES 492/2001 – homologado. Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Filosofia, História, Geografia, Serviço Social, Comunicação Social, Ciências Sociais, Letras, Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia. Brasília: MEC/CNE, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES0492.pdf. Acesso em: 9 mar. 2019.

CALLAI, Helena Copetti. A formação do profissional da geografia: o professor. Ijuí: Ed. Unijuí, 2013.

CHRISTOFOLETTI, Antonio. Perspectivas da geografia. 2. ed. São Paulo: Difel, 1985.

FERREIRA, Conceição Coelho; SIMÕES, Natércia Neves. A evolução do pensamento geográfico. 7. ed. Lisboa: Gradiva, 1992.

GIL, Antonio Carlos. Técnicas de pesquisa em economia e elaboração de monografias. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOMES, Paulo César da Costa. Geografia e modernidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996.

MARCELINO, Andréa Rabelo. O pensamento geográfico na formação do professor de geografia: um estudo em dois cursos de licenciatura. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 2019.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MEDEIROS, Lucy Satyro de. O currículo escolar de geografia e a construção do conhecimento: um olhar para a prática pedagógica do professor de Geografia. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa. 2010. Disponível em: http://www.geociencias.ufpb.br/posgrad/dissertacoes.html. Acesso em: 11 jan. 2019.

MORAES, Antônio Carlos Robert. Geografia: pequena história crítica. São Paulo: Hucitec, 2002.

MOREIRA, Ruy. O que é geografia. São Paulo: Brasiliense, 1994.

MOREIRA, Ruy. O pensamento geográfico brasileiro: as matrizes clássicas originárias. São Paulo: Contexto, 2010.

NOGUEIRA, Valdir; CARNEIRO, Sônia Maria Marchiorato. Educação geográfica e a formação da consciência espacial cidadã. Curitiba: ed. UFPR, 2013.

PEREIRA, Raquel Maria Fontes do Amaral. Da geografia que se ensina à gênese da geografia moderna. 4. ed. ver. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2009. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/75444. Acesso em: 9 mar. 2019.

PIMENTA, Selma Garrido. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2002.

SÁ-SILVA, Jackson Ronie; ALMEIDA, Cristóvão Domingos, GUINDANI, Joel Felipe. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, n. I, julho de 2019, p. 1-15. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_nlinks&ref=000215&pid=S0034- 7612201400040000400033&lng=pt. Acesso em: 9 mar. 2019.

SANTOS, Milton. Espaço e método. São Paulo: Nobel, 1985.

SANTOS, Milton. Por uma geografia nova: da crítica da geografia a uma geografia crítica. 3. ed. São Paulo: Hucitec, 1986.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez, 2007.

SOUZA, C. G. et al. As principais correntes do pensamento geográfico: uma breve discussão da categoria de análise de lugar. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, Goiânia, n. 7, 2009. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Disponível em: http://www.conhecer.org.br/enciclop/2009/as%20principais.pdf. Acesso em: 9 mar. 2019.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VESENTINI, José William (org.). O ensino de geografia no século XXI. 7. ed. Campinas: Papirus, 2013.

Downloads

Publicado

2021-09-01

Como Citar

Marcelino, A., & Volpato, G. (2021). Formação do professor de geografia: um olhar para o pensamento geográfico. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, 1(79), 87-103. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i79p87-103

Edição

Seção

Artigos